Borboleta
Azurisky
Tipo: Lírico
Postado: 11/04/17 19:09
Gênero(s): Poema Suspense
Avaliação: 10
Tempo de Leitura: 1min a 2min
Apreciadores: 7
Comentários: 4
Total de Visualizações: 703
Usuários que Visualizaram: 15
Palavras: 261
[Texto Divulgado] ""
Não recomendado para menores de catorze anos
Notas de Cabeçalho

A ideia foi fazer um poema mórbido que não seja realmente explícito com violência, mas temido como se assim o fosse e que abordasse a similaridade entre o passado e o presente, bem como o processo danoso feito em um (passado) que acarreta muitas outras ações igualmente danosas em outro (presente).

A dor que é sentida em um pode ser igualmente sentida - e provocada - no outro.

Capítulo Único Borboleta

Me diga sobre o tempo

Quanto demora

Para as asas que bateram

Se transformarem

Em um furacão?

Me diga sobre a dor

O que mais é sentido

A dor do que foi passado

Ou a do que se faz presente?

Me diga sobre o desespero

O que te enlouquece

A insegurança do presente

Ou a constância do passado?

Me diga sobre a raiva

O que te perturba

O que já foi feito

Ou o que ainda está sendo?

Me diga sobre a violência

O que te machuca

É a faca que em ti penetro

Ou o momento que me conheceu?

Me diga sobre o inferno

O que mais queima

É o que você fez comigo

Ou o lugar que te levo agora?

Me diga sobre a insanidade

O que te adoece

É a dor em suas infinitas maneiras

Ou o espectro do que ainda está por vir?

Me diga sobre o temor

O que te faz suar frio

São arrependimentos amargos

Ou todas as facas que ainda não usei?

Me diga sobre o passado

O que te faz odiar-se

É o amor que nele existiu

Ou a escolha de não fazer nada?

Me diga sobre o presente

O que te faz morrer

É teu sangue derramado

Ou as consequências do teu bater de asas?

E então me diga sobre o futuro

O que te faz ter esperança

É a porta do recinto aberta

Ou a vida após a morte?

Não se engane!

O passado eu já te arranquei

No presente eu já te esfolei

E ter um futuro eu não permitirei.

❖❖❖
Notas de Rodapé

O poema fica ainda mais legal se você tiver uma mente insanamente criativa para imaginar cada tortura com o passar dos versos :3

Deixa um comentário aí :3

Apreciadores (7)
Comentários (4)
Postado 13/04/17 21:42

O poema tá muito bacana, bahh.. Se percebe a intensidade dele, de alguém que quer acabar com o outro, nem que seja psicologicamente.

Devo admitir que se não fosse pelas notas, eu não o veria tão cruel. Na primeira vez que li pensei até ser só alguém que gosta de falar bastante e não fazer nada, hehehe. Na verdade, fiquei com essa sensação de ser só blablabla até o último estrofe, em que vi sim que o eu lírio estava decidido em fazer algo.

No mais, bom português e boa estruturação. Parabéns!

Ah, esse é o meu comentário de número 500!

Postado 22/04/17 18:26

Ufa, ainda bem que no final fez parecer isso! hahaha

Muito obrigada por ter lido e comentado, Chico! <3

Postado 21/04/17 14:38

Uma abordagem feliz do duplo tema e do mórbido. Feito na medida certa. Do início ao fim, uma obra completa e satisfatória que nos leva a um mundo controlado e possivelmente real; que nos mostra fatos concretos e surpreendentes, com um final premeditadamente perfeito!

Quando terminei, minha mente estava cheia de teorias e imagens, acho que preenchi o requisito "mente insanamente criativa" antes mesmo de saber que seria bom ter algo assim no arsenal! Me dei bem!

Eu realmente viajei no final. Imaginei cada coisa divertida. Seria bem legal se houvesse uma continuação, ou melhor, um texto meio que paralelo que "mostrasse" o quão insanamente criativa a sua mente é. #corre.

Parabéns!

Postado 22/04/17 18:28

Anwww <3 Tava esperando seu comentário, pois fiz esse texto pensando em você! Bem sei que a senhorita é insamente critiva, logo esse texto "funcionaria". To feliz que deu tudo certo! <3

Obrigada por tudo! <3

Postado 22/04/17 18:52

OMG! <3 Ela pensou em mim! Vemk! Deixa eu te morder! *3*

Postado 24/04/17 03:03

A moça nem percebeu a maldade/ironia da Joy na frase...

Ainda bem que ela não estava pensando em mim quando escreveu tamanha atrocidade. Pelo pouco que a conheço, nem no Inferno eu estaria tão f...

Postado 24/04/17 09:33

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

diab kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Postado 24/04/17 13:34

kkkkkkkkkk Moço, fica na tua! Pelo menos ela pensa em mim, diferente de você. u_u

Postado 25/04/17 20:27

Eu penso sim... E imagino também.

Postado 25/04/17 21:31

Moço, você é sinistro!

Postado 24/04/17 03:13

Eu pensei/imaginei tanta coisa que fiquei até ex...austo mentalmente com tal exercício criativo. De fato, a proposta da obra é de uma singularidade tão malevolente quanto refinada e o fato de deixar N interpretações a torna ainda mais bela, atrativa e digna de elogios. Isso só mostra o quão astuta, talentosa e doentia a autora é, o que eu particularmente acho belíssimo...

Parabéns e muitíssimo obrigado por sempre nos brindar com textos de qualidade tão alta, Srta Hellphaistos!

Atenciosamente,

Um ser que somente desperdiçou/desperdiça tempo e acumula dor e remorso por isso, Diablair.

Postado 24/04/17 09:34

Ahhh, saudades de vc! <3

Obrigada por ter lido e comentado! :D

Postado 11/07/17 16:00

10000000000000% foda, como tu <3

Postado 31/07/17 09:38

like u

Postado 31/07/17 13:28

Tu <3