Marcado
Nunca Mais
Tipo: Lírico
Postado: 28/04/17 00:43
Avaliação: 10
Tempo de Leitura: 2min a 3min
Apreciadores: 11
Comentários: 8
Total de Visualizações: 578
Usuários que Visualizaram: 23
Palavras: 388
[Texto Divulgado] ""
Não recomendado para menores de dezoito anos
Notas de Cabeçalho

Dedicado exclusivamente para a Moça. Se ela sorrir nem qye seja um milímetro que seja por conta dessa... Coisa, já compensou.

Agora sim, é o fim.

Sayonara.

Capítulo Único Marcado

Muito antes do almoço

Ele apareceu

Aqui no meu estúdio

Eu conhecia aquele moço

A nossa turma cresceu

Junta no subúrbio

Ele era todo certinho

O tipo de bom menino

Que sempre vai à igreja

Todo santo domingo

Louvar, pagar o dízimo,

Rezar ou orar, que seja.

Sempre foi assim

Da infância à mocidade

Até onde me lembro

Então para mim

Foi uma baita novidade

Quando pisou aqui dentro

Com a cabeça raspada

Usando lentes brancas

E roupas escuras

Não parecia nada

Com a pessoa mansa

Que mal saía na rua.

Ele parecia extasiado;

Me cumprimentou animado

E pediu a pasta de desenhos.

"Hoje é meu aniversário

E faz algum tempo

Que quero algo diferente,

Um símbolo revolucionário

Que destrua cem por cento

A minha imagem de antigamente!

Sei que vai sair caro

Mas pagarei adiantado

Desde que termine hoje mesmo"

Ele escolheu a tatuagem:

Era enorme e detalhada

Iria dar muito trabalho...

Também queria uma mensagem

Escrita como se queimada:

"Propriedade do Diabo"

Já fiz muita doidera

Então nem liguei,

Apenas dei meu preço.

Ele abriu a carteira,

Seu cartão passei

E fui pegar meus apretechos.

"Tu tá ligado, né não?

Uma tatoo desse tamanho

Vai doer pra caralho."

"Não se preocupe, irmão:

A dor é algo santo...

Já estou acostumado."

Ele tirou a camiseta

E mandou tatuar nas costas.

Aí eu vi o arregaço:

Tinha cicatriz pra caceta,

Do tipo que dá a resposta

Sem nem termos perguntado:

Auto-flagelamento,

Queimaduras

E surras adicionais.

Marcas do tratamento

E da ditadura

Religiosa dos pais.

Não falei mais nada

E ele muito menos:

Concentrados ficamos.

Foi barra pesada

Levou muito, muito tempo

Mas, à noite, terminamos.

A face do Demônio

Ficou perfeita:

Era minha obra-prima!

O rapaz, atônito,

Apenas maneou a cabeça

Satisfeito com o que tinha.

Apanhou suas roupas

E foi até a saída

Caminhando lentamente.

Foi quando minha boca

Sempre tão enxerida

Não segurou a língua nos dentes:

"Estava a me perguntar

O quê sua família dirá

Sendo toda ela cristã?"

Ele parou de caminhar

Abrindo a porta ao falar:

"Nada. Sacrifiquei-a esta manhã."

E então desapareceu

Nas trevas da noite

Louvando a Satã

Foi aí que eu

Do massacre soube:

Doze corpos, coisa pagã...

Confirmada a notícia

Eu liguei para a Polícia

Mas era tarde demais:

Ele havia sumido

Para sempre cingindo

Sua tatuagem de Satanás.

❖❖❖
Notas de Rodapé

Doença e malevolência nível... Sei lá. Tá foda.

Hora de dar um tempo...

Let's say good bye now.

Apreciadores (11)
Comentários (8)
Postado 28/04/17 01:25

~Mi agrada, de fato, mi agrada!~

Gostei do tatuado, gostei do tatuador, gostei da narrativa, gostei de ter lido, EU GOSTEI!!

O final de cada obra sua é o que me surpriende, faz sair um sorriso largo no rosto e com este eu fico por um bom tempo (AHHAHA). Obrigado por postar.

Postado 29/04/17 19:38

Muito me honra e alegra ler e saber de tais coisas... Ganhei a noite!

Gratíssimo, Srta Shizu! Gratíssimo!

Postado 29/04/17 23:07

Retribua, produzindo e postando seus textinhos "amorzinhos" no site.

<3

Postado 29/04/17 23:11

Viiiiiiixi...

Defina "amorzinhos", senhorita.

Postado 29/04/17 23:34

"Amorzinho" (no seu caso): Textinhos cheios de mortes criativas e apaixonantes.

Acho que é isso...

<3

Postado 29/04/17 23:37

Ah, isso é o de praxe... 80% do que produzo é isso.

Gratíssimo! Gratíssimo!

Postado 29/04/17 21:35

Os desafios da Moça ele participa, o meu que é bom nada. Okay, seu traíra, vou deixar passar isso só porque eu amei esse poema. O texto foi muito bem escrito (e quando não está?), diga-se de passagem, e a narrativa foi bem prazerosa de acompanhar. Eu podia jurar que pelo título teria uma decapitação detalhada, mas isso não diminuiu em nada a intensidade transmitida.

Eu não sou jurada do DQ, então não sei o que se passa na mente da Gema quando ela lançou esse desafio, mas ao meu ver sua obra se encaixa muito bem no tema proposto. Tatuagens têm uma existência milenar, onde a palavra taitiana tatua quer dizer “deixar uma marca", onde muitos acreditavam que era como um ritual de passagem.

E aqui vemos um exemplo perfeito do sentido literal de ser marcado. Aliás, de marcar também, pois creio que esse massacre cometido irá estar tatuado e marcado eternamente nas mentes daqueles que os conheciam.

Bela obra, Manu, como sempre!

Postado 29/04/17 22:06 Editado 29/04/17 22:07

Não, pera.

Parem o mundo... Eu despenquei dele. Eu recebi uma apreciação e um comentário da Srta Paney! SATANÁS ESTÁ RETRIBUINDO O TEXTO, SÓ PODE! GLÓRIA A TI, LU!

Ok, eu confesso: eu ri alto com o "seu traíra". Tipo, eu estou rindo enquanto escrevo pois juro que isso foi inusitado. Mas, lembre-se, a senhorita meio que me ameaçou e também chantageou (com a promessa do Paneytone) se eu conseguisse pontos suficientes no Ranking. Logo...

Prometo compensar-lhe de algum outro modo. Aceito sugestões, inclusive.

Como sempre, é muito gratificante e enaltecedor receber um feedback de tamanha qualidade e ainda mais com palavras tão positivas acerca da obra! Fora a aula! Oh, Satan... Ganhei a noite, com toda certeza!

Gratíssimo, gratíssimo!

Ps: ainda estou rindo... Até pude imaginar sua bela face com raiva ao digitar "seu traíra"... SHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA! Boba...

Postado 01/05/17 10:02

Quanta gente endiabrada que tem nesse nosso site, meu Deus!

Embora eu goste da maioria deles, inclusive esse! Cara decidido, otimista, que vai atrás do que quer. Matou algumas pessoas e se flagelou, coisa de demente, mas de demente decidido. Gosto de pessoas decididas!

E por isso que gosto dos teus textos, Diab. Sempre com esse tom sobrio e sempre tão tu, hehehe.

Muito bom. Que as marcas desses texto fiquem para sempre em todos os que lerem.

Postado 01/05/17 19:13

Também és uma dessas pessoas, monsiieur. Com certeza.

Bom, na verdade ele se auto flagelou bem antes de matar a família dele, mas concordo: ele e eu somos dementes... Por isso estes textos assim, belos e adoráveis.

Muitíssimo obrigado por este comentário tão positivo, Sr LEcrivain! Gratíssimo, gratíssimo!

Postado 02/05/17 14:01

Eita!!!

O.o

Eu não esperava esse final, não.

Que mudança radical aconteceu na vida desse jovem. De certo, estava escondendo seu verdadeiro "Eu" de um forma tão esmagadora que foi impossivel não explodir pra todos os lados.

Imaginei ele em um momento de fúria.

Prevaleceu o lado mais forte.

"Memorial" de marcas.

Eu iria até participar, mas, depois de ler seu texto, não vou nem tentar kkkkkkkkk

Postado 03/05/17 21:15

Fico muito feliz e honrado em ter consiguido lhe entreter ao ponto da surpresa, Srta Belality! De fato, muitas vezes a repressão se dá em níveis e sobre coisas inimagináveis...

Eu até pensei em descrever a tal "coisa pagã", mas não quis perder a essência do DQ, então deixei a cargo da imaginação dos leitores o ocorrido. Espero que a sua tenha ido tão longe quanto possível!

Não diga/faça isso... Prestigie o DQ com sua obra, por obséquio! Cada participação é muito importante!

Muitíssimo obrigado! Gratíssimo!

Postado 03/05/17 22:36

Socorro,

Juro, achei que ele só tinha se tornado um satanista, ovelha negra da família, mas não, pq não tem mais família.

Estou abismada?

Como sempre foi de um humor negro aterrorizante! E marcante como uma tatuagem!

Consigo ver a ironia do ritual, doze como os seguidores do Cristo.

(Eu tenho que deixar de ser psicopata, zulive, eu ri com o final)

Postado 03/05/17 23:00

SHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA! A SENHORITA É TÃO PARECIDA COMIGO EM PENSAMENTO E SENTIMENTO QUANDO O ASSUNTO É ESSE TIPO DE COISA QUE SÓ CONSIGO GARGALHAR DE SATISFAÇÃO! SHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA!

Seu comentário teve referências gentis e muito bem elaboradas, as quais muito agradeço e aprecio! E sim, enxergou perfeitamente a ironia nas entrelinhas (inclusive, eu iria usar "ceia pagã" ao invés de "coisa", mas acabei esquecendo de corrigir e temi fazê-lo sem ter certeza de que não seria dedclassificado por isso)!

Muitíssimo obrigado, saudosa e querida Srta Tríplice! Gratíssimo! Gratíssimo!

Postado 06/05/17 15:20

Gent, que horror!

HAHAHAHA, sei que era pra ser essa a reação certa, mas, olha, meu cool travou tanto enquanto eu lia, que não passava nem ar.

Acho que posso te parabenizar, é como se eu estivesse sendo assaltada enquanto eu lia, aquele espasmo, aquele susto, tudo acontecendo tão rápido e ao mesmo tempo, tu imagina toda a vivência dos personagens, uma metamorfose para o homem de lentes brancas, algo que decreta o fim, e o início, chocante, real. De verdade, seu dom é um dom sublimamente e verdadeiramente original das trevas. Talvez até um pouco invejável!

Postado 06/05/17 21:36

SHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA! SRTA JANEIRO! SHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA! AI MEU RIM! SHAHAHAHAHHAHAHAHAGAHAHAHA!

Rouba-me as palavras s presenteia-me com os melhores dos (sor)risos com teus comentários tão espetaculares, Srta Janeiro! Oh Satan, como adoro ler tudo o aue provém da senhorita! Me fascina, sabia?

Satanás é comigo... Satanás é comigo.

Gratíssimo! Gratíssimo!

Postado 28/08/17 01:28

"E saiu pela noite, cantarolando, voando... Estando, enfim, livre"

Foi assim que a minha Doença narrou o final dessa bela e macabra obra.

Devo dizer que quando li o poema pela primeira vez, imaginei mil e uma coisas diferentes, mas tudo sempre me levava para um mesmo ponto: O fim. Olhando assim, pode parecer meio obvio, já que toda história chega ao seu fim um dia, mas o fim a qual me refiro não é exatamente esse.

Eu comparei o protagonista a uma bomba que explodiu e deixou rastros bastante tenebrosos. Então, o fim a qual me refiro é isso: Mesmo que cada caminho, cada possibilidade que eu tenha pensado para a tatuagem que o personagem escolheu, cada possível gatilho ou até mesmo a falta de um gatilho tenha sido diferente, não consegui chegar a um final que não tivesse sido realmente o fim. Esse fim. Um ótimo fim. (Acho que isso está meio confuso. Não consigo explicar... Sorry)

Eu amei muito esse poema.

#ad01 - 019/154

Postado 28/08/17 10:21

É... Confesso que nåo compreendi completamente suas palavras, mas houve sim um vislumbre do quê a senhorita quis dizer... Se bem que, como já havia dito antes, meu nível interpretativo é tão deplorável quanto o próprio usuário. Então... Ficamos/fiquemos assim. No caos e no subententimento mútuo...

Gratíssimo, Srta Flávia! Gratíssimo!

Postado 14/11/17 17:34

Tenho interesse (safado) nesse moço. Onde encontra? Digo, oi, tudo bom?

Adorei, simplesmente sensacional todo o desenvolvimento e o modo como apresentou o moço. Estou apaixonada por um personagem fictício. :c

#ad01 - 28/90

Postado 15/11/17 04:48

Quem disse que ele ou a história são fictícios? Quero dizer, olá, tudo bem?

Se tiver alguma proposta ou qualquer outra coisa ( principalmente safada) para enviar ao rapaz, pode mandar para mim que eu encaminharei com todo o prazer, Srta Julihpata#

Uma vez mais, muitíssimo obrigado pelo review tão positivo e divertido! Gratíssimo!

Outras obras de Nunca Mais

Outras obras do gênero Drama

Outras obras do gênero Mistério

Outras obras do gênero Poema

Outras obras do gênero Reflexivo