Tic-tac
Vitória Turbiani
Tipo: Conto ou Crônica
Postado: 06/03/16 10:46
Editado: 06/03/16 11:14
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 2min a 3min
Apreciadores: 12
Comentários: 6
Total de Visualizações: 341
Usuários que Visualizaram: 26
Palavras: 463
[Texto Divulgado] "Id" Se você quer perder seu precioso tempo lendo tão "negativo"... Vá em frente.
Livre para todos os públicos
Notas de Cabeçalho

Esse tema foi uma sugestão da nossa amada AzuriSky (conhecida como Joi <3). Espero que goste do texto, Joi. Esforcei-me para conseguir fazer algo bom e, de certa forma, bonita.

Boa leitura a vocês.

Capítulo Único Tic-tac

Tempo. Ah, o tempo. Uns tem de sobra; outros, no entanto, dizem não ter tempo para nada. Calúnia. Ou será que não? Afinal, no mundo caótico de hoje, já não se tem mais um tempinho para mais nada, não é? Não se pode mais sentar-se na varanda de casa, com um bom livro em mãos para ler. Motivo? Ora, caro leitor, quantas vezes você não ouviu um: estou sem tempo para isso, preciso terminar um trabalho.

Tic-tac.

O tempo, amigo, não volta. Você pode dizer: terei tempo no futuro, quando estiver cheio de dinheiro, para aproveitar minha velhice em paz. Mas, e a sua juventude? Jogou-a fora para, então, apenas ficar em casa, vendo televisão? Não que a velhice não seja boa, ah não... Sorrir, satisfeito, com seus netos e seus filhos a sua volta, felizes, é mais do que um bom motivo para gozar dessa faze da vida.

Tic-tac.

Contudo, aquelas lembranças inapagáveis, intangíveis, e eternas... Onde ficam? Aqueles bons momentos ao lados dos amigos, rindo, caçoando. Ou até mesmo, os maus momentos, onde sua ajuda foi o diferencial em tudo. Ah... Os jantares e almoços em família, sejam em dias normais, corriqueiros, ou em datas extremamente especiais. Aqueles dias perfeitos, ao lado da pessoa que você mais ama na vida. Dias em parques, praias, um rápido passeio dentro de um shopping para, então, ir ver algum filme no cinema.

Tic-tac.

O tempo, como eu disse, não volta. Não para. Não dá segundas chances para se viver aquele momento. Ele apenas continua. Implacável. Pomposo. Majestoso. Ah, tempo... Tão maravilhoso você é. Uma pena que não são todos que conseguem aproveitar-lhe.

Tic...

E ele continua. Seguindo em frente. Impiedoso, não? Claro que não. O Tempo nada mais é do que... A oitava maravilha do mundo. É ele quem nos proporciona o que somos. É ele quem nos faz viver. Ele consegue nos dar momentos inesquecíveis. Sem exceção e preconceitos... Virtuosos são aqueles que se agarram a ele e aproveitam cada segundo.

Tac...

– Tempo...? – Sussurrou uma voz um tanto quanto calorosa.

– Diga, minha queria amiga. – Ele disse, sem parar de andar.

Ela, então, segui-o às pressas.

– Por qual motivo você é tão implacável...?

– Ora, Morte, minha amiga. Você deveria saber a resposta para tal pergunta. Afinal, quando as almas são colhidas por ti, as emoções e lembranças daquela pessoa passam por todo o seu ser. Estou correto?

Então, a Morte sorriu. Sorriu e abaixou a cabeça, deixando o Tempo seguir seu caminho.

– Você é tão bondoso quanto eu, Tempo. – Ela sussurrou, voltando a colher as almas desesperadas, dando-lhes um abraço caloroso. – Sem você, ninguém viveria e, tampouco, colheria bons frutos. Mesmo aqueles que são atarefados, cheios de problemas... Encontram alguns momentos especiais para se viver e, portanto, levaram tal memória o resto da vida.

❖❖❖
Apreciadores (12)
Comentários (6)
Comentário Favorito
Postado 10/03/16 12:26

Não basta o início do texto ser especialmente transcendente e reflexivo, ainda tinha de haver um diálogo entre a Morte e o Tempo? Este texto é de uma genialidade incrível. E maravilhosamente bem escrito, com lições muito atuais e com que me identifiquei profundamente! Muitos parabéns. :)

Postado 06/03/16 10:55

Sobre o diálogo da Morte de do Tempo: TOCANTIS, TOCANTIS!

Brincandeiras de lado, muito bom, Vic. Vc escreveu exatamente o que eu tinha idealizado. E olha que eu nem falei muito. Só disse: "Fala sobre o tempo e o quanto ele é implacável". Tá muito bom. Só gostaria de complementar que o tempo é incrível porque ele é único. Só vivemos ele uma única vez e quando ele passa só temos a memória. É o tempo que nos mostra o quanto evoluímos ou mudamos (seja para o bem ou para o mal).

Muito bom. Gostei muito de ler :)

Postado 06/03/16 11:04

Um bela lição reflexiva sobre o ''tempo'', adorei!

Tempo: o único recurso que todos temos e não é reciclável.

Tá lindão mesmo, praticamente impécavel.

Postado 06/03/16 22:13

belo. usou de um carinho expressivo em falar sobre tempo, vida, morte. parabéns.

Postado 09/03/16 18:07

Maravilhoso. Meus parabéns!

Postado 11/01/18 22:35

Personificar o tempo e a morte no final realmente foi uma finalização ótima e única, não poderia esperar menos. Quanto ao enredo, foi muito bem escrito, as palavras tão bem escolhidas fazendo com que a leitura fluísse de maneira natural, sem impasses ou transtornos.

É uma realidade tão vivida. Sempre estamos correndo, atarefados, planejando um futuro e, muitas vezes, esquecendo de viver o presente. Não digo que é errado, ao contrário, porém saber conciliar e saber a hora de parar e relaxar é primordial. Porque é como foi citado: quando envelhecer, ficará aquela pergunta no ar: o que eu fiz todo esse tempo?

O tempo não para. É único, absoluto e soberano. Saber aproveitá-lo é uma dádiva. Saber organizá-lo é um dom.

Meus parabéns pela obra!

Outras obras de Vitória Turbiani

Outras obras do gênero Cotidiano

Outras obras do gênero Crônica

Outras obras do gênero Fantasia

Outras obras do gênero Reflexivo