Perdida
Diablair
Tipo: Lírico
Postado: 30/07/17 18:56
Editado: 30/07/17 19:02
Avaliação: 9.8
Tempo de Leitura: 1min
Apreciadores: 8
Comentários: 6
Total de Visualizações: 196
Usuários que Visualizaram: 14
Palavras: 215
[Texto Divulgado] "Metamorfose. " Ele se olhou no espelho e não sabia mais quem era, ou o que estava fazendo ali, aos poucos, se viu mudar, seus braços ficaram firmes, seus pés se agarraram ao chão, sua cabeça gravitou num segundo - ele fez uma rotação ao redor do mundo; estava ele no mesmo lugar? Já não sabia dizer, mas, ele agora entendia, que não era mais o mesmo homem. Nunca mais.
Não recomendado para menores de catorze anos
Notas de Cabeçalho

Dedicado à Srta Stephanny.

Música-Tema/Inspiracional: Ohne Dich, da banda alemã de rock Rammstein (versão cantada por Tarja Turunen). Sugiro fortemente ouvir esta bela e soturna canção durante a leitura deste texto. Link:

https://youtu.be/tftEYrD2CXI

Tenha, se possível, uma excelente leitura.

Capítulo Único Perdida

Houve um tiroteio

Entre ladrões e a Polícia

Uma bala perdida

Atingiu você em cheio.

Voltávamos de um encontro:

Foi o nosso primeiro

Nos divertimos tanto...

Era recíproco e verdadeiro

O que sentíamos um pelo outro.

Mesmo com todos os defeitos,

Eu já fazia planos;

Lutaria para fazer tudo direito

E o que seguiria como namoro

Agora termina com seu enterro.

Lembro de você caindo

Enquanto seu sorriso eu admirava

Dos meus próprios gritos

Enquanto seu pescoço sangrava

Do som das balas zunindo

Enquanto você sufocava

Do brilho de seus olhos sumindo

Do sabor de minhas lágrimas

Quando eu ouvi baixinho

Você dizer que me amava

Do seu corpo ficando frio

Enquanto a ajuda não chegava

De ignorar os demais tiros

Enquanto sua mão eu segurava

Do seu último suspiro

Ao morrer naquela calçada.

Agora só restou o vazio

Nesta minha alma mutilada

Por aquele único tiro

Que abreviou nossa história.

Antes do cemitério deixar

Tenho algo para dizer

Mesmo que seja a soluçar;

Esteja onde estiver,

Espero que possa me escutar:

Aconteça o que acontecer,

Passe o tempo que passar,

Nunca irei te esquecer.

Jamais deixarei de te amar.

E um dia, eu juro pra você,

A gente vai se reencontrar

Seja em outra vida ou no Além

E nunca mais vão nos separar...

❖❖❖
Notas de Rodapé

“Porque a todo o que tem, dar-se-lhe-á, e terá em abundância; mas ao que não tem, até aquilo que tem ser-lhe-á tirado”.- Mateus 25:29

Não sou cristão, mas este versículo resume bem como as coisas funcionam neste mundo maldito.

Bom, é isso.

Acho... Que meu regresso foi um erro. Ou uma farsa. Mas, o quê em mim nunca o foi? Haha.

Hiatus

Apreciadores (8)
Comentários (6)
Postado 30/07/17 19:57

Como expressar o que me passou na mente ao ler?

Posso dizer que esse foi o texto mais romântico que já li vindo de você, caro amigo. Mesmo assim, sua mania de mensagens realistas foi passada. Talvez, seja isso que gostos em seus textos... ou não.

De todo modo, minha imaginação voou longe dessa vez, obrigado.

(O medo assola meu coração, quando meus ouvidos escutam a palavra "ADEUS"...)

... <3

Postado 17/08/17 10:57

Olha, eu já postei algumas nojeiras desse tipo por aqui... De vez em nunca arrisco uma ou outra empreitada dessas. Mas, fico feliz que tenha apreciado esta... Coisa.

Gratíssimo!

Postado 30/07/17 21:42

Me surpreendeu de verdade, Moço. Não esperava esse romantismo todo. Foi fofoso, mesmo ainda sendo tão macabro. É bom ler "coisas novas" vindas da vossa pessoa.

E, tão rápido quanto a bala que acertou a moça, o Moço se vai... Ç.Ç

Postado 17/08/17 10:58

Não sou só Doença, Srta Flávia. Ou melhor: minha Doença às vezes se manifesta de uma forma mais amena...

Gratíssimo!

Postado 30/07/17 22:44

Querido Diablair.

Esse foi um belíssimo poema! Realmente inusitado, mas espantosamente bonito de se ler, e triste de se sentir...

Cada palavra me fascinou, e cada frase me hipnotizou, como se cada letra fosse um imã, um imã diferente de qualquer outro, um imã de puro sentimento, que atrai puro sentimentalismo.

Como um todo, foi uma obra realmente bela, carregada de uma tristeza horrível... tristeza essa que começou como uma coisa linda, o doce amor de duas pessoas apaixonadas, mas que terminou em trágica tragédia...

Como foi revoltante!! Poxa, estava tudo tão bem, eles tinham todo um futuro pela frente... Mas tudo acabou tão rápido... de forma tão cruel...

Diablair, você tem um dom incrível, você é capaz de escrever com uma maestria sem igual, você tem a capacidade maravilhosa de expressar os mais variados tipos de sentimento, desde o asco repugnante e repulsivo, até o carinho e amor.

Você é incrível...

Atenciosamente, uma pessoa que se sente muito agradecida por ter tido a oportunidade de conhecê-lo, e de poder ler as obras primas de sua autoria...

Meiling...

Postado 17/08/17 11:04

Solidão e desprezo fazem isso com alguns autores, acredito eu... O Mal e o Sofrimento deles próprios, de outrem e da Existência arrancam o melhor deles na hora de passar adiante em forma de escrita, música ou de qualquer outro modo...

Gratíssimo, Srta Yukari! Sua gentileza e sempre constante apoio me deixam um tanto orgulhoso e animado! Gratíssimo!

Postado 16/08/17 21:33

Tocaste minha alma, diablerie.

Definitivamente, tu és meu autor favorito.

Postado 17/08/17 10:54 Editado 29/08/17 11:20

Pudera eu tocar nas tuas tripas e percorrer todo o caminho corpo adentro até esmagar teu coração... E depois arremessar sua alma direto no Inferno...

Ademais, gratíssimo! Gratíssimo!

Postado 17/08/17 12:37

Se tu não jogar minha alma no inferno, relaxa que eu vou para lá só para te encontrar AHauhuahaua

Postado 17/08/17 14:05

Touché.

Postado 13/11/17 20:00

É impressionante a capacidade que temos de ganhar e perder coisas/pessoas. Lendo essas palavras, notei como a vida é rara, finda e, muitas vezes, injusta. Rara, pois é uma dádiva, querendo ou não. Finda, pois é curta como um piscar de olhos. Injusta, pois algo que amamos sempre é tirado de nós, seja acaso do destino, seja por algo determinado a acontecer.

Eu sempre digo e vou bater nessa tecla eternamente: nós nunca estamos prontos para perder algo que faz parte de nós. Nada no mundo nos prepara para carregar a dor de ver partindo para longe, alguém que custumava a caminhar ao nosso lado. Essa dor não é algo que se aprende a suportar, pois ela, eternamente, vai estar em nosso peito, nos lembrando como é ruim a sensação de impotência diante de uma situação inevitável.

O poema nos mostra isso com tamanha simplicidade e melancolia, que sentimos juntamente com o eu-lírico a eterna dor de perder alguém diante dos nossos olhos. Faltam-me palavras para dizer o quão profundamente estes versos me tocaram a alma e o coração.

Como sempre, surpreendo-me com sua escrita magistral que toca o âmago, o espírito e o coração. Meus sinceros palavras. Diab!

#ad01 - 46/98

Postado 13/11/17 20:32

Se antes do Skip Time já me era árduo responder um comentário dessa magnitude, quem dirá agora... Satan, sinto muito por não conseguir expressar o quanto me deixou animado e agradecido por tão intenso review!

E sim... A dor da perda é... Imensurável...

Postado 16/11/17 23:37

Texto meigo, embora trágico. Não parece ser de quem é. Gostei do texto. Estou num momento em que o álcool me eleva os sentimentos mais amorosos e o texto me tocou.

Muito bom. Parabéns.

Postado 17/11/17 13:43

Muito obrigado.