A Imperatriz do Massacre
Diablair
Tipo: Lírico
Postado: 03/08/17 04:51
Editado: 03/08/17 10:09
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 1min a 2min
Apreciadores: 7
Comentários: 4
Total de Visualizações: 122
Usuários que Visualizaram: 10
Palavras: 276
Livre para todos os públicos
Notas de Cabeçalho

Inspirado em e dedicado à minha querida, preciosa e bizarra amiga Moça (conhecida como Moça das Facas ou Flávia). Espero que tenha ficado minimamente aceitável.

Feliz aniversário, Moça!

Capítulo Único A Imperatriz do Massacre

Uma lenda me foi contada:

A da moça de trajes escuros

Cuja cabeleira azulada

Combina com o tom rubro

Do sangue que enfeita

Seu rosto feito maquiagem

Que de suas facas goteja

Sempre fresco e em quantidade

Conforme segue oculta

Nas sombras da madrugada

Ai de quem quer que cruza

Com ela em sua jornada!

Dizem que até o Diabo

Aprecia as obras dela

Tamanho o estrago

Que é feito por ela

Ao extrair o máximo de dor

Das maneiras mais criativas

Sorrindo em meio ao terror

De sua alegria assassina.

Quantas vidas ela ceifou?

É impossível contar.

Há tempos a matança começou

E nunca mais vai parar:

Enquanto ela se mover

E ainda puder respirar,

Os outros irão morrer

Para sua psicopatia saciar

De formas tão abomináveis

Que até Deus duvida

E consideraria imperdoáveis

Apesar que ela nem liga...

Somente a morte alheia

Merece sua atenção.

Ela é como o fogo que incendeia

O Inferno desde a Criação:

Sem remorso, sem piedade,

Sem culpa, sem escapatória,

Sofrimento é felicidade

Na sua versão da história.

Suas presas, todas humanas,

Não seguem nenhum padrão;

Sua dedicação é insana,

Seus crimes, sem solução,

Tributos à violência,

Pedaços por toda a parte.

Sadismo e sanguinolência

Elevados ao status de Arte

E nunca, sem exceção,

São encontrados os olhos

Pois os espelhos das almas

São o mais precioso espólio.

Afinal, a última visão

Que tiveram em vida foi ela,

A garota sem compaixão

Tão homicida... Tão bela!

Somente a alguns doentios

Ela considera seus iguais

E um deles, o mais antigo...

Acredite, ambos são rivais.

O resto? Somente vítimas

Para o interminável abate

Da absoluta carnificina

Da Imperatriz do Massacre!

❖❖❖
Notas de Rodapé

#CarnificinaParaSempre

#SomosDoentes

#desaparece

Apreciadores (7)
Comentários (4)
Postado 03/08/17 11:37

Bela lenda e que descrição amável.

Obrigado pr compartilhar mais uma obra, caro amigo.

<3

Postado 14/08/17 20:36

Eu quem agradeço pela sua leitura, review e elogios, Guro-san.

Postado 03/08/17 16:45

AAAIII QUEE LIINDOOO!!!!!

VOU MORRER DE FOFURA AQUI!! <3 <3 <3

Que texto mais maravilhoso!!!

Descreveu ela perfeitamente aawwnn!!

Que moça mais incrível!! *----------*

E o lindo poema mais incrível ainda!!! *----*

Postado 14/08/17 20:39

Gratíssimo, Srta Yukari. Gratíssimo.

Postado 04/08/17 22:53

Ah, mano, como cê tem coragem de achar que não ta bom. Olha essas rimas xD

Postado 14/08/17 20:40

A senhorita me conhece, sabe que meu senso autocrítico é mordaz como as chamas do próprio Inferno...

Gratíssimo.

Postado 17/08/17 08:53

Então, como sempre, eu vou lançar aquele extintor maroto que derrota qualquer chama mordaz:

XIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIUUUUUUUUUUUUUUUUU

Postado 17/08/17 10:33

SHAHAHAHAHAHAHAHA! BEXTA!

Postado 08/08/17 15:45

CHEGUEI!!!! Demorei uma eternidade, mas tô aqui agora, então vamos lá:

Moço, o que foi isso? O que foi essa descrição de Doença? Eu ainda não acredito que li algo assim. Foi tudo tão preciso e lindo. Amei.

Já tinha falado antes, mas vou falar de novo: Vou imprimir e colar na minha parede (em uma beeeeem escondida das vistas da minha mãe, é claro.)

Rivais é pouco pra descrever as nossas pessoas, Moço. Somos um caso que nem a NASA, em seus mais insanos devaneios, deseja estudar. Nossa rivalidade e/ou Doença está em um nível ridiculamente elevado. Ninguém nos supera / sobrevive a nós.

Muito obrigada! <333

Postado 14/08/17 20:41

...

Disponha, Flávia.