Desejos opostos
Shizu
Tipo: Lírico
Postado: 19/12/17 01:32
Editado: 20/03/18 19:12
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 3min a 5min
Apreciadores: 5
Comentários: 4
Total de Visualizações: 265
Usuários que Visualizaram: 7
Palavras: 624
[Texto Divulgado] ""
Não recomendado para menores de dezoito anos
Notas de Cabeçalho

Estou começando a temer-me...

Capítulo Único Desejos opostos

Jamais vou esquecer

A noite que passei com você,

O quarto iluminado por velas vermelhas

Que emanavam o aroma das mais férteis cerejeiras.

E mesmo que o seu apartamento estivesse sentindo

A falta de alguns móveis,

Era aconchegante demais estar lá...

Mas foi necessário somente o simples estralar do interruptor

Para revelar nossos verdadeiros desejos (monstruosos)

Não existia (naquele) momento a pressão de mentir

Só permaneceria no ambiente

O extinto animal crescente em dois corpos

(a ambição de ter um ao outro nas posições mais incomuns).

Mais rápido que recuperar o folego,

Depois dos beijos demorados e muitas vezes doloridos,

Foi o tirar de roupas por todos os lados.

Contudo, os arranhões ou roxos beijos em seu corpo

Não seria assim tão fácies de tirar,

Mas seriam ótimas lembranças (não?)

Em meu corpo só sobrou meus brincos dourados

E um colar que não parava de pular,

Pelo mesmo motivo (muito bem conhecido)

Eu não conseguia parar de tremer ou morder forte meus lábios...

Até quando poderia suportar tudo aquilo?

Por muitas vezes você parava tudo

Para ficar a olhar intensamente meu corpo

Como se não acreditasse em minha simples existência,

Mas o potencial de destruição

Que seus olhos causavam sobre o meu ser

Era inconfundível...

A angustia de ver tamanha afeição em mim,

Fez com que eu por um minuto

Imaginasse um futuro ao seu lado,

Ter frutos de um amor que poderíamos nutrir

Com um simples sorriso no café da manhã

Ou com um beijo de "bem-vindo de volta" à noite.

Seria uma bela vida florida

Contudo, morreria

Deixar-me-ia mais rápido do que me encontrou,

A deriva no mar sem fim que é minha vida.

Por obsequio, eu não posso negar

Que seus olhos escuros me davam um frio na barriga

Assim como aquele sorriso que fazia toda a vez

Que mexia comigo em momentos distraídos.

Sabe, agora olhando a obra de arte que eu fiz

não me arrependo da minha decisão.

Com a decisão de aceitar o desejo (maior) em minha mente,

"Se está com fome, mata um homem é come..."

Deitado no carpete novo,

Eu lambi seu rosto rindo sem parar

Enquanto entrelaçava suas mãos com as minhas

Sobre a sua cabeça.

Enfim, mordisquei sua bochecha

E mostrei a você a minha verdadeira fome

De pouquinho em pouquinho

Fui tirando da sua orbita ocular

E engoli seu globo ocular tão saboroso

Que desceu inteiro pela minha garganta...

De todo o sangue que nos sujou

Eu não pude evitar "limpar"

Justo o que caiu em seu rosto tão sério e pavoroso,

Quase pensei em parar,

Mas o roncar de meu estômago vazio foi alto demais.

(devora-lo era minha única saída?)

Eu perguntei entre um sorriso sedutor:

"Você me daria o seu coração?"

Você fechou seu então único olho e respondeu:

"Sim, todo seu" e sorriu.

Inevitável era engolir a seco aquela resposta,

Então, simplesmente, cravei fundo e sem volta minhas presas em seu pescoço.

Por um tempo recebi seu sangue sem muito esforço,

Bebendo como de uma torneira.

(era suavemente doce)

Mas só líquido não saciaria a minha maldita fome,

Por isso, arranquei todo o pedaço mordido.

Pude mastigar rápido a sua macia carne

Para, então...

Não esquecer de mostrar ao resquício da sua consciência

Para que servia as unhas grandes

Depois de arranhar um pouco, rasguei seu abdome

E coloquei minha mão para pegar o MEU coração,

Com raiva por não achar a minha propriedade ou de mim mesma,

Mostrei tamanha força ao quebrar seu tórax

E comer o ainda previamente pulsante membro

Que espirrava um pouco mais de sangue em tudo.

Depois que notei,

Não haver mais nenhum resquício de vida em seu corpo,

Foi impossível pensar em qualquer coisa.

Eu havia perdido a fome... e a culpa era sua.

❖❖❖
Apreciadores (5)
Comentários (4)
Comentário Favorito
Postado 19/12/17 13:37

Ah, só um texto tão sedutor, malevolente e inspirador como este para melhorar meu maldito dia...

Guro-chan, a senhorita é uma Doente irreparável, o que me deixa bastante feliz. Seu texto reúne sensualidade e morbidez em um misto profano e perfeito. Versos deveras inspiradores aos quais lhe agradeço e parabenizo!

Eu me apeço regiamente com este seu lado... Que ele se torne mais e mais predominante aqui na AC!

Atenciosamente,

Um ser cheio de desejos, Diablair.

Postado 19/12/17 13:56

Agradeço pelo comentário e fico muito feliz que tenha gosta...

<3

Postado 19/12/17 14:04

Este tipo de obra me atrai como o Inferno às almas dos humanos... É inevitável.

Postado 19/12/17 14:22

Que bom saber que meus textos não terão sua existência negligenciada por todos... HAHAHAHA.

<3

Postado 20/12/17 21:55

Uma ótima obra! *-*

Parabéns.

Postado 20/12/17 23:23

Obrigado

<3

Postado 22/12/17 01:47

Muito bom, adoreeei.

Parabéns!

Postado 22/12/17 10:23

Obrigado.

<3

Postado 04/08/18 17:06

Gente! :o Que coisa mais doida. Eu não esperava por isso! Muito bem escrito

Postado 05/08/18 17:53

Fico feliz que tenha gostado das minhas palavras... HAHA

<3

Outras obras de Shizu

Outras obras do gênero Erótico ou Adulto

Outras obras do gênero Reflexivo

Outras obras do gênero Romântico

Outras obras do gênero Sobrenatural