Sem Conserto
Sabrina Ternura
Tipo: Conto ou Crônica
Postado: 09/01/18 00:01
Gênero(s): Drama Romântico
Avaliação: 9.85
Tempo de Leitura: 1min
Apreciadores: 8
Comentários: 6
Total de Visualizações: 172
Usuários que Visualizaram: 13
Palavras: 205
[Texto Divulgado] "Eternizar-te-ei" Eu sinto muito por não ter te avisado o que é ser amado por mim, mas não vou pedir desculpas por fazer o que deve ser feito: Eternizar meu amor por ti.
Não recomendado para menores de dez anos
Capítulo Único Sem Conserto

Sim, vim novamente falar sobre você, pois a dor de sua perda é bem maior do que eu imaginava. Já se passaram anos e ainda sou capaz de lhe amar como se fosse a primeira vez. Querido, você estava certo: sou somente um mísero pedaço de vidro quebrado que não se encaixa em lugar nenhum.

Hoje tive uma outra crise de ansiedade que quase virou um surto de pânico. Quase. Não é algo bom de se ler; sei bem que você se preocupa, mas nunca consegui me expressar sem citar minha dor. Sinto que você está sumindo e com isto, parece que estou desaparecendo. Não sei se estou pronta para deixá-lo ir.

Há três anos atrás foi necessário nosso término e segui em frente até que bem; acho que você ficaria orgulhoso de saber que consegui dar conta de tudo sozinha. E sei que, mesmo estando longe, você sempre esteve olhando por mim. Saiba que fico feliz por saber que você ainda sente minha falta, mas nunca se esqueça de que jamais deixei de sentir a sua presença aquecendo minha alma nos momentos mais sombrios.

Foi bom te ver partir; um ato necessário para nós dois, mas não sei como me consertar sem você aqui.

❖❖❖
Apreciadores (8)
Comentários (6)
Comentário Favorito
Postado 08/03/18 18:09

Infelizmente, existem pessoas que devem partir de nossas vidas, mesmo se o nosso sentimento por elas for extremamente grande. Vemos isso em muitos casos, seja de uma filha partindo para seguir seus sonhos, seja por um término de alguém que prometeu o seu sempre, ou até mesmo, amigos se despedindo por ser necessário.

Despedidas estão tão sujeitas quanto boas-vindas e é esse a nossa realidade, apesar de não conseguirmos lidar com isso como gostaríamos.

Deixar aquela pessoa importante partir não é fácil e na sua narrativa, isso é mostrado claramente. Vai doer e o sentimento de vazio vai continuar por muito tempo e, talvez, mesmo com inúmeras outras pessoas incríveis que conhecemos, esse espaço deixado nunca vai se preencher.

É como diz a frase "Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós." e é tão maravilhoso (e doloroso) deixar isso acontecer, você não acha?

Com o tempo, a gente aprende a lidar com isso e não depender tanto daquela pessoa, mesmo que continue com o vazio que, talvez, o tempo cure.

É necessário deixar as pessoas partirem, porque, ás vezes, não estamos prontos para isso ou elas não estão. Além de que tudo, como sempre digo, nunca deixe de valer a pena. É um aprendizado ou também boas memórias.

Seus textos são realmente de uma natureza romântica (outras trágicas) maravilhosa e gostosa de se ler e esse não deixou de ser um! Está maravilhoso o modo que descreve as coisas, fazendo com que eu sinta o sentimento angustiante da (o) personagem!

Parabéns como sempre! <3

Atenciosamente, Savoir.

Postado 28/05/18 16:21

Obrigada!

Postado 09/01/18 23:34

Eu sempre levei comigo a ideia de que não se deve prender algo ou alguém a nós: deve-se deixá-lo livre, sem pressões ou obrigações. E para mim, às vezes, desistir não é sinal de não amar. Às vezes o amor é tão grande que a felicidade do outro é mais importante que a sua própria, deixando-o assim livre para escolher outro caminho.

Por isso digo que o amor é complexo demais e que nunca, mas nunca mesmo, vamos entendê-lo. Para muitos é um sinal de falta de amor, para outros um ato altruísta. Seja o que for, não chega perto do sentimento daquele que o faz. No caso da protagonista, é nítido que o amor ainda prevalece em seu coração, mas a certeza de seu ato a impede de voltar atrás.

Lendo a obra, em vários momentos me perguntei se de fato foi o certo a se fazer, pois ambos os lados sentem a falta da companhia um do outro. Porém, não sabemos a história por detrás desse término, eu não sei, e seria hipocrisia demais julgar algo que não entendemos.

A única certeza é a saudade que predominou e a maneira como tudo perdeu-se o rumo, tornando-se um cotidiano confuso e inconsertável.

Postado 10/01/18 14:53

É um ponto de vista bem interessante. Contudo, aos 14 anos eu não tinha ideia disso. Cada palavra reflete uma paixão imatura que me trouxe muitos problemas. Prefiro não falar muito a respeito do motivo dessa escolha, mas, apenas digo: em hipótese alguma se machuca fisicamente alguém que você diz amar.

Foi uma escolha difícil, mas, como dito no texto, necessária para ambos. Sim, quando amamos deixamos ir e foi exatamente isso que eu fiz.

Obrigada pelo comentário ❤

Postado 10/01/18 16:27

"sou somente um mísero pedaço de vidro quebrado que não se encaixa em lugar nenhum."

Nem sei como dizer o quanto gostei dessa parte.

Parabéns!

Postado 10/01/18 22:09

Obrigada ❤

Postado 16/01/18 19:49

A necessidade de cortar laços muitas vezes é abandonada pelo desejo de permanência, de segurança, de zona de conforto... Mas é algo necessário, para que nós mesmos possamos amadurecer e aprender cada vez mais, mas sem esquecer os bons momentos vividos no passado.

Congratz!

Postado 16/01/18 20:06

Obrigada ❤

Postado 19/01/18 22:06

QUE CONTO MARAVILHOSAMENTE TRISTE, REAL (e próximo a mim)

Me faz lembrar de duas músicas da Lorde

"Eu acendi as velas, espalhei flores por todos os cômodos, cuido de mim mesma como costumava cuidar de você" - Hard Feelings.

E, estes outro trechos de Writer in the Dark:

"Eu vou te amar até minha respiração cessar, vou te amar até você chamar os policiais para mim, mas em nossas horas mais difíceis eu tropecei em um poder secreto e vou aprender a viver sem você, querido"

(Juro, seu texto me arrepiou e congelou meu coração doce e tristemente como esse verso. O amor é um incêndio completo.)

E por fim, da mesma música supracitada:

"Eu ando no metrô, leio as placas, deixo as estações mudarem minha mente, e amo isto desde que parei de precisar de você"

A superação é uma ardência sonolenta, ela acontece aos poucos e quando menos esperamos, aquela pessoa é apenas um vazio dentro de muitos outros, mas não é mais o coadjuvante principal em nossas vidas.

Parabéns de verdade pelo conto, sinto que precisarei voltar aqui para lê-lo algum dia.

Postado 22/01/18 21:40

Que bom que gostou. Obrigada ❤

Postado 11/03/18 02:17

Eu me vi muito nessa obra quando mais nova. Quando me via amando no entanto não era o tipo de amo genuíno, como o primeiro comentário da moça que disse: às vezes, desistir não é sinal de não amar. Às vezes o amor é tão grande que a felicidade do outro é mais importante que a sua própria, deixando-o assim livre para escolher outro caminho.

É exatamente isso que o amor genuíno e verdadeiro é, quando se tem o amor genuíno não existe o medo de perder. Existe aquela liberdade de: você pode ir quando quiser, quando meu abraço não lhe servir mais como casa e nem meu riso puxar o teu. Quando se ama de verdade você reza pela felicidade do outro independente de com quem ele esteja, mas não aquilo de: sua felicidade acima de tudo. Como disse a Emma em as Vantagens de ser Invisível: "Não coloque a felicidade dos outros acima da sua e pense que isso é amor"

Do mais, eu amei sua obra e sua escrita maravilhosa!

Muito obrigada por essa belezura <3

Postado 28/05/18 16:20

Obrigada <3