Amor, por favor
Julih
Tipo: Conto ou Crônica
Postado: 26/02/18 20:57
Editado: 02/03/18 23:35
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 1min a 2min
Apreciadores: 4
Comentários: 3
Total de Visualizações: 252
Usuários que Visualizaram: 6
Palavras: 317
[Texto Divulgado] "Tempestade" Porque eu sou como uma força da natureza, não tente me parar. Isso é tudo o que eu te peço.
Não recomendado para menores de dezesseis anos
Notas de Cabeçalho

Só queria mudar um pouco o estilinho de sempre <3

Capítulo Único Amor, por favor

Os sussurros inaudíveis no quarto davam um ambiente interessante, descontraia os dois jovens da vergonha que tinham de olhar seus corpos despidos suavemente. O beijo passava de sua boca para os ombros, dos ombros abaixo, parando na coxa.

"Por favor...", o rapaz começou, a garota apenas entrelaçou suas pernas em volta do garoto, silenciando-o com os próprios lábios. Era um beijo apaixonado ou apenas o êxtase do momento, com a respiração tão próxima e ofegante? O beijo que iniciava na boca terminava no pescoço, descendo aos seios, onde corava ao ouvir o coração acelerado do outro lado. Seria, ele, adulto ou criança?

Os amigos apoiavam o casal, os adultos deixavam, o que poderia dar de errado? Se era amor ou desejo, ninguém sabia, porém não podiam mais parar. As mãos que se encontravam de vez em quando corriam pelos corpos, tirando o que restava da roupa.

As mãos param, a garota se vira uma ou duas vezes e cobre o rosto com o braço. Se o garoto não estiver apaixonado, com certeza babou no sorriso que ela mostrou e ardeu com o olhar que lhe foi entregue. No tempo que passam escondidos nos quartos, os amigos brincam e os adultos conversam, contudo, qual o sentimento que existia naquele quarto?

Poucas peças sobrando, tiradas afoitamente, seria agora ou nunca mais? Amor ou desejo, o que descobririam? Era o momento ou para sempre? Havia pureza no olhar ou apenas fogo incessante? O resultado parecia assustador, mas não era possível parar, não agora. De modo algum. Poderiam esconder, depois disso, os olhares indiscretos de quem sabe o que há por debaixo dos panos?

Se olhar, eram duas crianças. Definitivamente, não havia maturidade, ainda assim...

- Por favor... - O sussurro razo de um jovem que ganhava cafuné enquanto descansava a cabeça no peito da garota.

- O que? - Ela respondia, delicadamente, sorrindo com pequenos selinhos que recebia.

- Seja o meu amor, por favor.

❖❖❖
Apreciadores (4)
Comentários (3)
Postado 14/03/18 05:12

Esse texto é carregado por uma leveza impressionante, mesmo na hora do sexo e é tão bom de se ler! <3

O amor puro e, ainda sim, cheio de dúvidas é algo realmente cativante nesse seu texto tão bem escrito. Ele demonstra as incerteza que muitas pessoas apresentam, quando gostam de alguém e não sabem se são correspondidas (mesmo havendo um sinal bem claro que são).

Eu gostaria muito de saber qual foi a resposta, apesar de ter 98% de certeza que será um sim.

Esse amor pueril é tão bonitinho de se ver e ter que dá um gosto imenso ao ler histórias assim.

Eu penso, algumaas vezes, em como é esse amor puro com um toque de admiração. Como se ela fosse princesa e ele o príncipe. É maravilhoso ver esses amores e conhecê-los!

Parabéns!

Atenciosamente, Savoir. <3

Postado 15/03/18 22:46

Teu comentário foi de uma leveza incrível que me deixou sem palavras.

Muito obrigada <3

Postado 25/05/18 21:14

Quando eu vi o gênero, não acreditei que era um texto teu, mas depois que o "susto" passou... Julih, que texto bonitinho. É tão fofo... Sei lá, não consigo descrever exatamente o que achei, só sei que gostei...

Parabéns!

Postado 25/05/18 23:54

Obrigadinha <3

A GENTE VAI TENTANDO, TENTANDO E TENTANDO

Postado 01/11/18 20:07

Eu poderia dizer que achei fofo, mas essa incerteza do futuro torna o texto reflexivo.

Tamanhas são as incertezas e medos da protagonista, porém o mais interesante/assustador é gostamente ela questionar-se no meio/fim do sexo...

As palavras doces e incertas que trás a garota, o medo de não ser o que parece e essa maravilosa inocencia cheia de vergonha.

Cativa-me muito essa forma de escrita, jamais me cansarei de textos assim, parabés!

Agradeço por compartilhar sua obra.

<3