Meus Suicídios (Em Andamento)
Excrement
Usuários Acompanhando
Tipo: Romance ou Novela
Postado: 26/08/17 18:15
Editado: 12/06/18 06:41
Qtd. de Capítulos: 7
Cap. Postado: 11/06/18 23:07
Cap. Editado: 12/06/18 06:41
Avaliação: 9.98
Tempo de Leitura: 2min a 3min
Apreciadores: 1
Comentários: 1
Total de Visualizações: 51
Usuários que Visualizaram: 3
Palavras: 476
[Texto Divulgado] "Eternizar-te-ei" Eu sinto muito por não ter te avisado o que é ser amado por mim, mas não vou pedir desculpas por fazer o que deve ser feito: Eternizar meu amor por ti.
Não recomendado para menores de dezoito anos
Meus Suicídios
Notas de Cabeçalho

ATENÇÃO: ESTA OBRA É EXTREMAMENTE PESADA E DOENTIA DEVIDO À TEMÁTICA ABORDADA E O MODO COMO ISTO FOI FEITO. LEIA POR SUA CONTA E RISCO.

Esta obra não faz ou pretende fazer alusão ao tema abordado, bem como o autor não incentiva a prática do mesmo. Todavia, se o/a leitor(a) quiser mesmo ir em frente, não creio que eu poderia impedir, certo? Haha.

https://youtu.be/Z6hL6fkJ1_k

VII Feito Repetição

Em uma das inúmeras madrugadas em que permaneci desperto fui até a cozinha decidido a fazer um lanche. Peguei uma faca na gaveta e juntei os poucos ingredientes que tinha em casa: quando fui colocar o preparado na mesa, tropecei e o mesmo voou direto no chão, se espatifando junto com o prato no piso e se convertendo em uma nojenta mistura de alimento com cacos de vidro.

Bizarramente, foi quando pensei em como e no quanto eu falhei, não só com outrem, todavia e principalmente comigo. De novo. Era como se o Universo estivesse querendo me dizer algo uma vez mais naquela hora enquanto as minhas veias fervilhavam em resposta a minha intolerância cada vez maior a mim mesmo. Uma palavra apenas, que eu ouvi perfeitamente enquanto relembrava de coisas mais sérias e danosas que eu havia feito.

Fracassos.

Sim, fracassos. Uma infinitude deles em sequência, como se cada ato ou mesmo intenção minha tivessem fadados a se transformar e se acumular neles, cada um como uma catarrada na cara. Como farpas na mente. Como buracos na alma, que se esvai feito uma artéria rompida após um assassino golpear fundo o corpo de sua vítima, várias e várias vezes.

Igual, em um rompante de coragem e fúria, decidi fazer comigo mesmo.

Em um movimento célere apanhei o meu mais novo objeto favorito e em outro o metal pontiagudo adentrou meu flanco direito de modo incrivelmente doloroso. Todavia, o ódio e o desespero que moveram minha mão nunca se satisfariam com um só golpe e grito. Não. NÃO! Era preciso ir mais forte, mais fundo! Quase como se fosse um estupro, efetuando outras arremetidas que faziam a haste cinzenta se tornar mais e mais escarlate enquanto pedacinhos de pele e carne caíam junto com o líquido quente e viscoso, o suor frio, o pranto salgado, a saliva sanguinolenta, os berros.

Rosto, braços, mão, coxas, estômago: como essa faca pode estar perfurando meu corpo e orgãos se, a despeito do surto, na verdade eu me sentia tão vazio por dentro?

Eu me perdi na brutalidade sádica e insana enquanto tinha forças, mas logo a visão embaçou e o corpo esmoreceu, me fazendo cair por cima da faca, que adentrou certeira no peito. Os jorros rubros foram perdendo potência e se converteram em um caótico verter de filetes enquanto grunhi alguma coisa desconexa e sem importância. Meu âmago ardia em sofrimento enquanto simultaneamente o futuro cadáver que seria eu ficava na temperatura ideal: cada vez mais fria.

Tal qual minha alma se tornara bem antes da primeira estocada.

Então abri meus olhos marejados, desisti de fazer outro lanche, apaguei a luz e deitei meu corpo incólume e trêmulo no chão imundo, me perguntando por que não desistia de viver com a mesma facilidade.

Fracasso. Até mesmo nisso...

A faca permaneceu tentadoramente na minha mão mesmo quando enfim adormeci.

❖❖❖
Notas de Rodapé

Tic. Tac. Tic. Tac. Tic. Tac...

Haha.

Apreciadores (1)
Comentários (1)
Comentário Favorito
Postado 12/06/18 19:29

Está para ser criada uma obra tão intensa e profunda como essa. Antes de mais nada, quero dizer que a cada capítulo, minha admiração pelo autor só cresce. Teu talento com o manejo não somente das palavras, mas também dos sentimentos, são impressionantes.

A cada novo capítulo, um novo susto. A narrativa foi impecável nesta empreitada, me senti na pele do personagem, engoli seu desespero, respirei sua raiva e abracei seu fracasso. Olhei para dentro de mim e disse: sim, eu sei como é ser feito de fracassos. Ter ideia deste sentimento é se sentir cada vez mais impotente, mais frágil e mais melancólico. Não existe nada pior do que ser um grande nada.

O fracasso no ato também me foi nostálgico. Só os deuses sabem o quanto é devastador planejar e fracassar miseravelmente no que sua alma mais pede. Sim, essa sensação eu também conheço bem, infelizmente.

Novamente, um capítulo incrível. Meus parabéns, meu estimado amigo ♥

Postado 13/06/18 00:24

Srta Tristeza, suas palavras decerto amputaram minha língua/dedos e perfuraram-me a alma... Apenas digo isso, além de modestamente lhe agradecer (e também me entristecer) por cada uma delas...

Outras obras de Excrement

Outras obras do gênero Cotidiano

Outras obras do gênero Crítica

Outras obras do gênero Drama

Outras obras do gênero Erótico ou Adulto