POESIAS DE UMA POETA LOUCA. (Terminado)
Pequena Estrela
Usuários Acompanhando
Tipo: Antologia Poética
Postado: 25/03/19 20:45
Editado: 04/04/19 17:04
Gênero(s): Poema Romântico
Qtd. de Capítulos: 10
Cap. Postado: 26/03/19 12:36
Cap. Editado: 26/03/19 12:37
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 2min
Apreciadores: 0
Comentários: 1
Total de Visualizações: 30
Usuários que Visualizaram: 2
Palavras: 336
[Texto Divulgado] "O quarto" Quando a filha bem sucedida e mais nova de uma família instável, recebe uma ligação do seu irmão e retorna para a sua antiga casa, não imaginaria a série de eventos que iria acontecer.
Não recomendado para menores de dezesseis anos
POESIAS DE UMA POETA LOUCA.
Notas de Cabeçalho

Bem, essa daqui, foi feita enquanto estava ouvindo Lord Huron - The Night We Met durante a madrugada.

E ela me fez pensar demais, pensar sobre tantas coisas, tantos amores, tantas decisões não tomadas....

Ela me fez pensar sobre tudo o que vivi.

O pouco que vivi.

Quinta Poesia. No final foi por um só.

No final foi por um só

Ah quem diria, ela voltará a sentir tudo de novo de uma vez só

Tentava esquecer com outros mas a quem ela achava que enganava?

Sabia que cada amor falso se resumia a pó

Quando as pequenas lembranças lhe agarrava.

Dizia ela que tudo começou com um sorriso gentil e sem compromisso

Que ocorreu sem querer de manhã naquela garagem

Ela sabia, e como sabia. Que tudo teve início, muito antes disso.

E então sua mente fez uma viagem singela

Lembrou se do dia que o conheceu, e como o choque ocorreu

Tomaram forma então a cor dos olhos, cabelos e até a mesma voz voltava a ser ouvida por ela.

Mas então o que aconteceu?

Por que depois de conhecer seu amor teve de esquever?

Bem, talvez por seus pecados o destino tirou o que no passado ofereceu...

E um dia ele sumiu, sem nenhum aviso ou sequer um bilhete quis escrever.

E aquele amor doce por dúvida se converteu

Então a verdade veio a tona

Doída como ponta de faca, que sangrava e pedia por cura

O rapaz que cortejava em segredo já havia dona

E ele tinha partido a sua procura.

Então as flores do coração da anônima que se apaixonara sem ele saber

Quase murchou, escapou por um triz de morrer

Então decidiu esquever, amar os outros, amar a si.

Esquecer do momento em que conheceu tal pessoa

Esquecer do sorriso naquela garagem

Sumir dali.

Porém a cada amor novo que tentava criar, o homem do passado voltava

Ela se sentia perseguida pelas noites sem dormir.

Obrigando a abandonar por achar traição pensar em outro alguém

Obrigando a destruir no amor superficial que tentava construir.

Enfim, não é de interesse de ninguém saber que final isto levou

Ou em que caminho se meteu

Só se sabe que todas as noites as paixões se convertia às cinzas do dia para a noite.

Voltando a admirar e sonhar com um amado que nunca fora seu.

Autora: Pequena Estrela

❖❖❖
Notas de Rodapé

Espero que tenham gostado.

Link da musica que escutei enquanto escrevia: https://www.youtube.com/watch?v=bNgUyJTuA0E

Bem, é isso, até a proxima poesia meus amados e amadas.

Apreciadores (0) Nenhum usuário apreciou este texto ainda.
Comentários (1)
Postado 14/04/19 15:35

Ah, que escrita magnífica, que forma de se espressar. Você tem o dom de colocar seus sentimentos nas palavras certas e transmitir mensagem profunda.

Quao misterioso é isso que chamamos de amor.