Aprisionado
The v
Tipo: Lírico
Postado: 30/04/19 20:45
Gênero(s): Poema Reflexivo
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 13seg a 18seg
Apreciadores: 4
Comentários: 3
Total de Visualizações: 124
Usuários que Visualizaram: 5
Palavras: 36
[Texto Divulgado] "Conhecimento de tela" Tenho assistido muito vídeo no Youtube ultimamente. Tenho visto muita coisa sobre filosofia e medicina, sobre comportamento e história. Isso é muito legal, pois pareço ser um cara intelectual, que busca meios para entender melhor a si mesmo e a sociedade. No entanto, os problemas são dois: não sei se o que me dizem é verdade e não sei o quanto absorvo do que vejo.
Livre para todos os públicos
Capítulo Único Aprisionado

Estava frio, gelado.

Me encontrava aprisionado.

Nos meus medos, naquela corrente fria

Vazia.

Pouco a pouco dominei aquele estado.

Não era mais gelado.

Apenas calmo e controlado.

Um reflexo da experiencia. Algo não explicado pela ciencia

❖❖❖
Notas de Rodapé

Autoria de luke skywalker, winter poet

Apreciadores (4)
Comentários (3)
Comentário Favorito
Postado 07/07/19 20:44

Eu gosto desses poemas que nos fazem refletir e ter inúmeras interpretações. No começo, pensei em algo mais melancólico - o drama já marcou o meu coração, então sou suspeita -, como se o eu-lírico estivesse desistindo, se conformando com o fim.

O frio, o clima mais gélido nos faz pensar em primeira instância sobre a morte. É como se tudo fosse um turbilhão de sentimentos misturados - medo, receio, incapacidade -, mas que em uma determinada hora é aceita. O conformismo faz tudo parecer mais calmo, mais prático, com uma única saída: o fim.

Ao mesmo tempo, finalizando a prosa, dá-se outra percepção: superação. O que a última linha é capaz de explicar: a experiência - por vezes dolorosa e cruel - nos molda, capacita, e nos faz superar. A vivência uma hora nos faz manter a calma, para controlar aquilo que nos prende.

Parabéns! ♡

Postado 30/04/19 20:47

Bela obra senhor Luke, parabéns.

Postado 30/04/19 21:03

Obrigado Sah.

Postado 08/10/19 22:18

Realmente uma bela obra. Parabéns!