Proeminência
Jdcc1
Tipo: Lírico
Postado: 03/12/19 21:18
Gênero(s): Romântico
Avaliação: 9.13
Tempo de Leitura: 43seg a 58seg
Apreciadores: 2
Comentários: 3
Total de Visualizações: 208
Usuários que Visualizaram: 5
Palavras: 117
[Texto Divulgado] "Um, dois, três indiozinhos..." Um, dois, três indiozinhos viram uma caravela ao longe um, dois, três indiozinhos, pobrezinhos, mal sabia que a caravela trazia de convidada a morte.
Livre para todos os públicos
Capítulo Único Proeminência

As vezes no labirinto das minhas percepções

Surge sorrateiro o calabouço das tuas inseguranças

Pois além das minhas vagas divagações

Existe em tua alma fatídicas lembranças

Sois tuas memórias como uma armadura

A defender-se copiosamente da desilusão

Mas esqueces que nosso amor é candura

E meu anseio por ti beira insanamente a rendição

Como se cada uma de minhas falhas e desacertos

Fosse para ti metódica comprovação

De que seus amores sobrevoam o céu dos imperfeitos

E pior, tua tristeza respira insubordinação

Sinta-me com a mesma necessidade egoísta de outrora

Não me limite ao cruel hábito de suas comparações

Pois o espelho passado não reflete amores de agora

E nem permite a simples menção das inexistentes ilusões

❖❖❖
Apreciadores (2)
Comentários (3)
Postado 02/06/20 14:15

Peço, desde já, perdão por não conseguir sentir falta/desejo de amores por qualquer ser humano. Somente a falta de amizades tediosas de idosos... Companheiros.

Seu poema é de fato ricos e muito estiloso em palavras distintas, mas eu senti falta de rimas melodiosas.

Contudo, agradou-me o sofrimento do eu lírico por ser, em certa forma, palpável. Acredito ao meu ver.

Demais a mais, agradeço por compartilhar sua obra e deixo meus sinceros parabéns por tão bem vocabulário.

Assistindo alguém que não encherga amores no espelho do passado, <3

Postado 18/08/20 22:52

Os amores, em suas infinitas possibilidades, sempre conseguem transmitir um misto de sentimentos contraditórios que se fundem em um só: o amor. Por conta disso, é muito difícil seguir em frente em alguns casos, pois tamanha é a marca de outrora em nossa alma.

Seus versos são tão suaves e leves. A leitura é como tocar uma nuvem, mas todos os sentimentos descritos pelo eu lírico são como densas nuvens carregadas prestes a explodir uma árvore com um raio. As lembranças desse amor passado são tamanhas, que tornam-se palpáveis ao leitor. Além disso, ele é envolvido na melancolia das rimas que possuem uma sonoridade incrível.

Obrigada por comparitlhar essa obra maravilhosa conosco! Espero ter a oportunidade de ler mais escritos teus!

Parabéns ♥

Postado 14/09/20 14:41

Eis um poema infinitamente lindo, tanto em sua significação tão bela, quanto em sua construção tão bem feita, com rimas tão maravilhosas que enchem o leitor de satisfação durante a leitura!!

Tudo foi lindíssimo <3

Meus sinceros parabéns!!

Um abraço <3