Coração temível
6 de Janeiro
Tipo: Conto ou Crônica
Postado: 25/01/20 06:01
Editado: 13/03/20 15:34
Avaliação: 9.6
Tempo de Leitura: 55seg a 1min
Apreciadores: 4
Comentários: 3
Total de Visualizações: 313
Usuários que Visualizaram: 8
Palavras: 148
[Texto Divulgado] "A esperança na sombra da morte." Ódio ou Esperança? Qual desses sentimentos poderia proteger o amor?
Não recomendado para menores de dezoito anos
Notas de Cabeçalho

to whom it may concern.

Capítulo Único Coração temível

meu coração bate carregado

e apressado

talvez eu o cuspa pela boca

não posso mais pegar meu tempo

e transformá-lo apenas em lágrimas

- lágrimas estas que lamentam

por terem brotado de mim -

gostaria de pegar meu tempo

e voltar a pintá-lo no papel

fotografá-lo nas nuvens

cantá-lo vividamente

escrevê-lo com as palavras mais belas

mas estou tão quebrada e cansada

cansada de ter virado mulher

cansada do dinheiro - da falta deste

e da falta de tempo para ser quem se quer

quero morder as palavras

arrancar minha língua, lançá-la ao fogo

pois sou fútil, amaldiçoo meus dias

mas anseio pelos ainda não vividos

novamente, brota em meu corpo

a sensação de congelamento

há dor e perda em cada nervo

sem saber ao certo, o que eu perdi

me perdi novamente de mim mesma,

está sendo minha morte mais longa.

gostaria de não mais ter motivos

para continuar

aqui.

❖❖❖
Notas de Rodapé

mas tenho amigos, tenho família, tenho a você passarinho. sórdidamente, eu os encantei, não posso me permitir ir e fazer com que vocês tenham os mesmos sentimentos que expressei aqui.

gostaria eu, de não ser importante.

obrigada, se alguém estiver lendo.

e perdão, por ser sempre o mesmo assunto em todo texto.

Apreciadores (4)
Comentários (3)
Postado 04/04/20 18:54

Tuas palavras me tocam muito, por isso, obrigado.

<3

Postado 03/07/20 15:57

eu que agradeço, por me deixar saber <3 você é incrível, é sempre uma honra

Postado 09/07/20 18:13

Noto sempre um padrão, uma tristeza e palavras que dizem mais que deveriam dizer.

Mais que isso, não posso falar. Apenas desejar que se cuide

Postado 01/08/20 23:34

Essa constante dor de se perder em águas conhecidas sempre me soa a mais dolorosa de todas. Afinal, a gente se perde na gente, como se fôssemos bestas descontroladas que nunca sabem aonde ir, mesmo conhecendo o caminho. É a dor mais difícil de superar e nem sempre ela vai embora. Alguns dores são eternas feridas abertas, por mais que estejam curadas. Um pensamento que me conforta nessas horas de perdição, é imaginar que sou um universo completo e nem mesmo uma vida inteira me faria conhecê-lo por completo e por isso dói.

De vez em quando nós temos consciência, mas a dor é a mais pura expressão do insconciente. Ela vem, mas vai. Ela não diminuiu a importância que temos diante dos outros e muito menos a estima que temos por eles, mas ela nos derruba. E tudo bem. Às vezes tudo o que precisamos é de uma válvula de escape para diminui-la. A dor volta, mas o que de bom podemos tirar dela? Conhecimento próprio, talvez? Gosto de pensar que toda dor é uma forma de descoberta, mas que tudo bem ela ser o que é: a dor.

Obrigada por sempre compartilhar conosco pedaços de todos nós e nos fazer refletir sobre eles.

Parabéns, 6 ♥

Postado 03/08/20 16:09

Não há cura se não conhecermos nossas partes mais doentes... É sabendo de onde vem o vírus e a infecção que podemos criar uma forma de curar, essa forma sempre vai ser a mais demorada e a mais dolorida, mas com absoluta certeza, a mais eficaz.

Como sempre, eu nem sei como te agradecer por me presentear com tantas palavras e sentimentos... Você é bela por inteiro, agradeço pela sua existência <3

Outras obras de 6 de Janeiro

Outras obras do gênero Cotidiano

Outras obras do gênero Drabble

Outras obras do gênero Drama

Outras obras do gênero Poema