Crimine e Punizione
6 de Janeiro
Tipo: Conto ou Crônica
Postado: 31/08/20 18:44
Avaliação: 9.65
Tempo de Leitura: 2min a 3min
Apreciadores: 5
Comentários: 4
Total de Visualizações: 65
Usuários que Visualizaram: 6
Palavras: 371
[Texto Divulgado] "Mais uma noite" "Cá estamos novamente, eu e os meus demônios, prontos para mais uma noite..."
Livre para todos os públicos
Notas de Cabeçalho

"O mio babbino caro

Mi piace è bello, bello

Vo'andare in porta rossa

A comperar l'anello!

Sì, sì, ci voglio andare!

E se l'amassi indarno

Andrei sul ponte Vecchio

Ma per buttarmi in arno!

Mi struggo e mi tormento!

O, Dio, vorrei morir!

Babbo, pietà, pietà!" - Maria Callas.

Capítulo Único Crimine e Punizione

Ela sempre me dizia o quanto o amava e cria naquele amor, e eu, tolo pai que sou, acreditei neles também... Eu deveria ter previsto, deveria ter sido mais atento às noites que ela voltou chorando e de repente, no sia seguinte, eles estavam "bem". Bem que eu poderia ter sido mais intruso, metido o nariz velho de pai aonde não sou requisitado... Mas como dizer não para aqueles olhinhos que eu vi abrir pela primeira vez? Para aqueles doces lábios miúdos que tantas vezes limpei o suco derramado, o molho de tomate salpicado, o sangue que de algum dentinho de leite recém arrancado, escorreu?

Ainda me lembro dela ter me implorado para que eu a deixasse ir até Porta Rossa para comprar um belíssimo anel de noivado... Eu desisti de ralhar que ele é quem deveria dar o anel, fazer o pedido, assumir o pacote completo, comprar as passagens de trem, dar a maior quantia para começarem uma vida nova, não é machismo, é apenas consideração... Amor... Mas ela me jurou, sabe... Jurou com toda alma que o amor era recíproco, que ele só estava sem dinheiro, mas que ia fazê-la tão feliz quanto eu fui com a mãe dela...

Inventei meu pecado. Obedeci minha filha.

O sangue dela agora corre por entre meus dedos, suja minhas roupas, meus sonhos, minha existência... Doce sangue de inocência.

A alma dela está adormecendo no rio Arno... E a culpa, nem mesmo dele é... E sim minha...

La colpa è mia.

Ela me deixou um bilhete, na manhã que ele resolveu encontrá-la, eu bem notei, nos nós da minha barba que o tempo havia mudado... Que algo estava diferente na atmosfera, no sol, nos pássaros que pararam de cantar.

Mas eu disse "Filha minha Deus te abençoe e te guarde, agora vá..."

Semanas depois, sem qualquer notícia dos dois, até a dada hora, ouvi dizerem, entre os cantos, em sussurros, que ele fugiu... Sozinho... E ela...? Aonde poderia estar?

Foi então que mais tarde, recebi um telegrama. Peguei em mãos trêmulas aquele papelzinho amarelado, nele estava escrito

"Caio em prantos e sofro tormentas!

Oh, Deus, preferiria morrer!

Pai, tende piedade, tende piedade!".

Mas já era tarde... Tarde demais para não tê-la deixado partir...

❖❖❖
Notas de Rodapé

Minha pequena interpretação desta música triste. Amo Mio Babino Caro, fico feliz de participar deste belíssimo desafio!

Obrigada a todos que pularam no rio Arno comigo!

Apreciadores (5)
Comentários (4)
Postado 02/09/20 15:46

Essa música é tão bonita e a sua interpretação acerca deixou tudo ainda mais incrível. Não podemos subestimar a sua capacidade latente em desvendar as coisas e muito menos a sua imensa criatividade!

A narrativa é tão melancólica. Desde o início, o leitor sabe que algo horrível está para acontecer, como se ele mesmo estivesse na pele desse pai que se culpa tanto, mas não sabe o que é. Esse suspense gera uma ansiedade descontrolada, quando as ações da filha passam a ser contadas, também. Toda essa atmosfera paternal consome o leitor e um medo profundo nos toma a alma quando descobrimos o que se passou.

Obrigada por ter compartilhado esse ponto de vista conosco! Eu amei muito!

Parabéns, 6

Postado 02/09/20 18:09

EU QUERO TE GUARDAR DENTRO DO MEU CORAÇÃO!

Obrigada, mais um comentário para me fazer chorar!

Postado 03/09/20 15:52

Meu Deus, a senhorita adora estraçalhar o coração dos seus leitores...

Toda a descrição do amor desse pai, com as lembranças de quando a filha era pequena... Isso foi tão melancólico, tão triste...

E o destino dela, eu me sinto incoformada... É uma triste realidade para muitas mulheres...

Mocinha 6, a senhorita é uma escritora espetacular <3

Obrigada por ter escrito esse texto que é como um soco no estômago...

Um grande abraço <3

Postado 07/09/20 10:13

Esse é um tema muito triste mesmo, mas vc colocou tudo de forma tão bonita no seu texto, assim, de forma a mostrar essa realidade trágica com palavras tocantes, é isso que eu quis dizer. Pq vc escreve de maneira maravilhosa, parabéns viu *_*

Postado 18/09/20 20:45

Que forma dolorosamente bela de iniciar o nosso desafio. A música que você escolheu é linda além da conta, amo muito e aí você vem e faz uma interpretação desse nível, meu coração não aguenta.

Parabéns, 6!