Senhorito Chevrolet
Monise
Tipo: Conto ou Crônica
Postado: 17/09/20 23:05
Editado: 17/09/20 23:06
Gênero(s): Cotidiano Reflexivo
Avaliação: 9.9
Tempo de Leitura: 1min a 2min
Apreciadores: 6
Comentários: 6
Total de Visualizações: 91
Usuários que Visualizaram: 8
Palavras: 302
[Texto Divulgado] "O Livro da Sina" Histórias lindas que poderiam ter tido um fim mais amistoso, se o mês não fosse Outubro...
Livre para todos os públicos
Notas de Cabeçalho

Passaram-se muitos anos, meu irmãozinho cresceu mas minha tia nunca se esqueceu do Senhorito Chevrolet, pois segundo ela, sempre que esfriava seu dedão doía...

Capítulo Único Senhorito Chevrolet

Meu irmão é quase sete anos mais novo que eu, mas aproveitamos bastante a infância juntos.

O quintal de nossa casa, mesmo sendo na cidade era bem grande e permitia muitas brincadeiras legais.

Lembro que brincávamos de índios e fazíamos cabanas com os rodos, vassouras e as mantas de quando meu irmão era bebê.

Brincávamos de polícia e bandido com pistolas de água e de cabana de lençóis usando os varais do quintal.

Havia também a brincadeira de viajar, de escolinha e muitas outras...

E meu irmão era tão lindinho, muito loirinho, cabelos muito cacheados, parecia o Pequeno Príncipe, mas só que aquele anjinho, não tinha nada de anjo e muito menos de príncipe...

Quando meu irmãozinho tinha uns três anos e meio, ganhou um jipe todo de metal que ele pedalava a mil pelo quintal de casa.

Ele amava aquele jipe e lhe deu o nome de Senhorito Chevrolet! Ele cuidava com carinho do carro, lavava e até encerava tal qual meu pai fazia com o carro de verdade...

Entretanto o Senhorito Chevrolet se tornou o terror lá de casa, pois adivinhe qual era a brincadeira preferida do meu irmãozinho com seu carrinho?!

Ele gostava de brincar de atropelamento! Sério, ele ficava escondido num dos cantos do quintal, só observando, quando alguém ia atravessar o quintal para ir da cozinha a lavanderia, um percurso de uns seis metros, tinha de ir atento, senão se tornava a vítima do Senhorito Chevrolet...

As vítimas mais prejudicadas foram as que não davam conta de correr, minha avó paterna, que levou uma pancada na canela e minha tia materna, que meu irmãozinho passou o Senhorito Chevrolet no pé dela. Tadinhas delas, sofreram um atropelamento por puro prazer daquele anjinho maldoso de três aninhos...

Como podia um bichinho lindo daquele ter um instinto tão maldoso assim?!

❖❖❖
Apreciadores (6)
Comentários (6)
Postado 17/09/20 23:43

Hahaha Senhorito Chevrolet foi um trauma na família!

Nunca dê um carro de verdade para seu irmão, Monise, vai que as lembranças do Senhorito Chevrolet voltam a tona hahaha

Brincadeiras a parte! Gostei muito do texto, adoro ouvir memórias, acho uma experiência incrível!

Beijos!!

​:)

Postado 18/09/20 09:27

Menina, acredita que se puxar na memória, pareço sentir dor na canela das vezes que ele conseguiu me atropelar?!

Meu irmão era tão lindinho, mas dirigia aquele jipe numa velocidade, que olha, era complicado...

Fico feliz que tenha gostado.

Um carinhoso abraço!

Postado 18/09/20 09:29

Ih, Thaís, ele tá velho agora, daqui a pouquinho entra nos 40, já teve vários carros e graças a Deus, nunca atropelou ninguém!

Postado 18/09/20 18:34

Poesia doce e de infância, maravilhoso haha

Postado 18/09/20 19:53

Obrigada! :)

Postado 18/09/20 20:09

Adorei esse texto!!

Fiquei aqui só imaginando esse Pequeno Príncipe maldoso de 3 aninhos hahahahaha

Eu tive um jipe verde escuro quando era criança, mas diferente do seu irmão, minha brincadeira preferida era a de "auto destruição": eu ia com toda a força em direção da parece... nem precisamos dizer que o coitado do jipe não sobreviveu muito tempo kkkkkkk

A leitura desse texto me deixou muito feliz, com as lembranças que me trouxe!

Obrigada, senhorita Monise <3

Um enorme abraço <3

Postado 18/09/20 21:15

Você nunca se machucou com essas trombadas?

Fico feliz que tenha trago boas lembranças! :)

Postado 25/09/20 00:49

Simplesmente amo obras que conseguem transmitir essas lembranças familiares que rendem boas risadas.

Sua obra é divertida e muito bem escrita. O leitor solta uma pequena risada a cada linha lida e consegue visualizar com perfeição esse trágico fragmento da infância (certamente não para o seu irmãozinho, que deve ter se deliciado horrores com tal situação kkkkkk).

Obrigada por compartilhar essa obra divertida conosco!

Parabéns, Monise ♥

Postado 25/09/20 00:55

Escrever esse texto me trouxe boas recordações...

Que bom que você curtiu!

Abraços e obrigada pela presença! :)

Postado 01/10/20 21:31 Editado 01/10/20 22:50

Eu ri agora. Lembrei dos meus primos, era uma verdadeira loucura quando juntava todo mundo lá em casa. Pelo menos nunca tivemos nenhum atropelamento, eu acho... kkkkkk

Muito lindo, parabéns!

Postado 01/10/20 22:11

Que bom que era mais tranquilo. Lá em casa era trash, descuidava pra ver...

Até escuto o barulho daquelas quatro rodinhas do mal... Kkkk

Obrigada por comentar! :*

Postado 06/10/20 19:36

Eu estava escutando cada palavra e imaginando seu quintal com um anjinho querendo atropelar todo mundo HAHAAH! Adorei sua história, eu sou a irmã mais velha aqui e também tivemos muitas histórias assim, eu e o Lipe (ele também era fofinho, mas um diabinho as vezes)

Seu texto me trouxe tantas memórias, obrigado. Agradeço também por compartilhar sua obra, Adorei!

Assinado alguém que ama histórias da infância, <3

Postado 06/10/20 19:38

Que bom que gostou!

Ser filho mais velho tem suas doçuras e desventuras...

Essas lembranças sempre trazem saudades...

Obrigada por comentar! Beijinhos!!!