Maré
Lucia
Tipo: Conto ou Crônica
Postado: 22/09/20 00:15
Editado: 22/09/20 00:26
Avaliação: 9.92
Tempo de Leitura: 2min a 3min
Apreciadores: 6
Comentários: 5
Total de Visualizações: 175
Usuários que Visualizaram: 10
Palavras: 431
[Texto Divulgado] "Quarto dia" Os dias com eles pareciam perfeitos, a não ser pelo sabor estranho na comida que ele cozinhava ou pelo fato de que esquecer a maioria das coisas que aconteciam no dia anterior. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Não recomendado para menores de dezesseis anos
Notas de Cabeçalho

E ela falou amor

Por que tu ta lutando contra o amor?

(Um Pouco de Você - Vitão)

Capítulo Único Maré

Os cachos, dourados pela luz solar, balançavam com a brisa que vinha do mar a sua frente. Os nós do biquíni preto faziam dois laços, que ornavam perfeitamente com sua pele dourada. Os músculos das coxas se contraiam toda vez que ela flexionava as pernas para chutar a bola, espalhando a areia ao vento.

Era segunda-feira, e a praia estava quase vazia. A bicicleta dele, atualmente estacionada perto de um poste, serviam de apoio para suas mãos nervosas.

Haviam marcado um encontro quando conversaram pela primeira vez. Não fazia muito tempo que se conheciam, mas sentiram uma conexão que dificilmente aconteceria novamente.

Queria que a amizade desse certo, mas o sotaque dela era charmoso demais para que ele sequer pensasse em tentar. Quando seus olhos se cruzaram, penso que que talvez a amizade fosse apenas uma mera ilusão de sua mente e que talvez ele precisasse tentar um pouco mais.

Quando a bola veio em sua direção, acompanhada do sorriso dela, desejou pular toda a programação e pensou que seria ótimo se compartilhassem um pouco de si mesmos.

x

A mesa que dividiam não era tão grande, facilitando a comunicação. Os sulcos na madeira atraiam sua atenção de tempos em tempos, mas os cachos dela eram quase como uma droga psicodélica da qual ele estava totalmente dependente.

O nervosismo já havia passado quando o flerte, contido nos olhares, teve início. O polegar dela deslizava pelas juntas de seu dedo indicador. A segunda garrafa de cerveja que dividiam já estava pela metade e o sol já se punha. Era uma típica cena de filme romântico.

Tudo que ele mais temia, tudo do que fugia, estava se concretizando. Estava começando a ficar ainda mais confuso sobre seus sentimentos, mas tinha certeza de uma única coisa: Queria compartilhar uma noite com ela, ou duas.

O sorriso dela se abriu, e ele lamentou.

x

Deslizou a boca sobre a coxa torneada, distribuindo pequenos selares pelo caminho, ouvindo ela suspirar baixinho. Sentiu a mão dela agarrar seus cabelos, fazendo uma leve pressão, como se implorasse para que ele continuasse descendo a boca. Ah, como queria saborear cada parte daquele belo corpo.

Delicioso.

x

Deitado ao seu lado, ele ouviu o resmungo ofegante dela:

- Amor, porque você está lutando contra?

Ele se fazia a mesma pergunta, mentalmente. Sabia que gostava de estar com ela, de poder tocar sua face e sentir a pele dela arrepiar a cada toque seu; sabia que sentia saudades, mas talvez fosse apenas saudades do corpo dela. Talvez não gostasse realmente.

- Me deixa ter mais um pouco de você?

Ou talvez ele gostasse.

❖❖❖
Apreciadores (6)
Comentários (5)
Postado 22/09/20 01:06

Satanás me translade para o Inferno se um certo alguém.não estiver vivenciando exatamente a mesma coisa e sua situação atualmente resida na primeira parte desta inesperada e bem vinda surpresa literária...

E, por Lúcifer, esta leitura me fez sorrir com a possibilidade, vislumbrando com nitidez cada detalhe e imaginando as cenas, traçando um paralelo com o que este certo alguém pode ter a chance de realizar se tudo seguir como está... Com quem está.

Meus parabéns por esta deliciosa obra e muito obrigado por me permitir enxergar algumas coisas do lado de fora da caixa, Srta Lucia!

Atenciosamente,

Um ser resistente, porém disposto, Diablair.

Postado 22/09/20 01:40

Lucia, que texto maravilhoso!

Sinto muita falta da praia e seu começo me fez ir em pensamento para ela, adorei a maneira como você escreve, muito sutil e leve, não é nada forçado.

Espero que ele se permita entregar e viver essa relação! Gostaria muito de saber os desfechos dessa história! Meus parabéns!!!!!!

:)

Postado 25/09/20 23:26

A sua habilidade de escrita é transcendental em todos os sentindos, mas principalmente no aspecto que tange o preparar imersivo do leitor na narrativa. Desde o início até o fim, o leitor se sente como um convidado especial, destinado a assistir e entender as minúcias que rodeiam esse casal. Os sentimentos transpassados são palpáveis e a própria adapção do cenário é extremamente cotidiana, o que torna tudo ainda mais próximo da realidade do leitor. A relação entre ambos é muito bem desenvolvida e elaborada, e o leitor sente vontade de saber mais acerca do desenrolar do acontecimento final (favor providenciar a continuação).

Obrigada por compartilhar essa obra incrível conosco!

Parabéns, Lulu ♥

Postado 01/10/20 22:02

Você nem imagina o tanto que eu me surpreendi quando li a primeira vez. Quer dizer, minha Hyu escrevendo "coisas desse tipo?". Quase que não acreditei. kkkkkkkkkkkkkkk

Amei o texto do início ao fim. Você é incrível, Hyu.

Parabéns!

Postado 06/10/20 23:17

Que texto mais lindo. Há uma mescla de sensações únicas e conflitantes: por um lado o desejo de mais, de aprofundar essa relação tão harmoniosa como foi no começo, todavia, por outro lado o receio, a falta de entendimento completo sobre o que eram e o que se tornaram para cada um.

É uma leitura bem leve, um erotismo gostoso de ler, sem ser vulgar ou pacata demais. Na medida certa que o próprio tema exige por si.

Parabéns ♡