Ossos e Sangue
6 de Janeiro
Tipo: Conto ou Crônica
Postado: 13/10/20 18:29
Editado: 14/10/20 12:33
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 3min a 4min
Apreciadores: 3
Comentários: 3
Total de Visualizações: 54
Usuários que Visualizaram: 7
Palavras: 593
[Texto Divulgado] "O Livro da Sina" Histórias lindas que poderiam ter tido um fim mais amistoso, se o mês não fosse Outubro...
Não recomendado para menores de catorze anos
Notas de Cabeçalho

"Say can you dream, in nightmare seems

A million voices, silent dreams

Where hope is left so incomplete" - Running With the Wolves (AURORA)

Capítulo Único Ossos e Sangue

Quando a Lua Cheia canta no topo do Céu, não há muito tempo para se pensar, minha pele simplesmente se enrijece, e minha respiração torna-se ofegante e quente como lava vulcânica. Enquanto a Metamorfose ocorre, é como se o cérebro se desligasse por horas, de repente, eu nunca existi, nem meus pais, nem meus amigos, nem minha vila... Quando abro os olhos, percebo a altitude de minha visão mudar... Estou mais perto da terra.. Os odores se transformam em minhas narinas... É grotesco, é repugnante...

Mas logo minhas patas são guiadas por minhas narinas, ponho-me a correr por selvas, florestas, montes e casas. Cada morte, é apenas uma sobremesa. Não há um objetivo para que eu exista, para que eu faça isso... Nem ao menos posso dizer se sou realmente eu.

Em meu coração, a parte que resta dele, torço para que a próxima vila a ser atacada não seja a minha, pois quando se é um lobo, os humanos são os assassinos, são inimigos e todos passam a ser iguais, um borrão de cores, distintos apenas por odores de carne humana fresca. Bebês tem cheiro de mofo, adultos tem cheiro oleoso de terra, idosos cheiram à pus... Mas ele... Eu consigo sentir seu cheiro de longe... Espero que eu esteja longe o suficiente e nunca consiga achá-lo, não nesta noite.

O Alfa uiva, e todos nós, instintivamente, saímos em disparada pelo mar, abocanhando e destruindo tudo que houver pela frente.

A noite torna-se caótica, estou cansada desta vida... Como cessa-se o sofrer de um lobisomem? Se este monstro não fosse tão forte, eu simplesmente me entregaria aos caçadores, mas se estes olhos que me aprisionam veêm prata, eles fogem, e não há nada que eu possa fazer, a não ser pensar, como se eu fosse apenas uma voz durante o sonho, como se quando eu me transformo, não mandasse mais em meu corpo.

Que tipo de deus permite que isso ocorra?

Senti então, o doce cheiro familiar, o cheiro de tardes ensolaradas, vinho e risadas, o cheiro do amor, dos quitutes, das flores que ele pegava para mim na beira da estrada... Mas então, meu nariz morre e a criatura toma posse dele... O único cheiro que me vem agora é carne, ossos, sangue, pele, músculos, epiderme, derme, membros... A boca gigante do mostro que me sequestra, saliva.

Não, por favor, ele não...!

-

O sol acordou, e eu despertei nua em algum lugar que não reconheço.

Nunca sei dizer se a parte mais desconcertante é a transformação em si, ou quando acordo no outro dia, sendo eu mesma, como se fosse uma ressaca, uma dor de cabeça, um sonho ruim...

Será que ele vai querer me ver hoje... De alguma forma o sinto dentro de mim... Penso que é amor, quero me declarar, me declarar antes da próxima Lua Cheia, quero beijá-lo, quero seu corpo dentro de mim...

Caminho nua por entre a grama e os espinhos, que estilhaçam minha pele frágil de humana... Estranhamente, sinto o cheiro dele em meu corpo... Minha pele sangra, percebo no entanto, que o sangue não pertence a mim... Vou até o rio, abaixo-me para degustar a água pura... Contudo, vejo meu reflexo - será que é meu - encoberta de entranhas.

Mais a frente, avisto um corpo... Meu coração para.

Ele é inconfundível, mesmo estando em pedaços.

Meus pés calçados de sangue, andam lentamente ao seu encontro...

Suspiro, com pesar.

Pelo menos, meu amado, agora somos um só. O que resta agora, sem mais ninguém para amar, é correr com os lobos, até meu tempo se findar.

❖❖❖
Notas de Rodapé

Minha primeira história sobre lobisomens, espero que tenham gostado!

Apreciadores (3)
Comentários (3)
Postado 14/10/20 00:17

Lobisomens são criaturas que sempre me apavoravam mas, de certa forma, me deixavam fascinada, talvez pela vontade de descobrir e enfrentar meus maiores medos hahaha

Foi, realmente, incrível! A forma como descreveu as sensações fez com que fosse possível entrar na cena e vivê-la! Escreva mais sobre lobisomens por favor!!!!

E o que dizer sobre esse final?? Perder seu amor e aceitar seu lugar na escuridão... fiquei sem palavras!

Meus parabéns!!

:)

Postado 16/10/20 01:22

Eu simplesmente AMO histórias com lobisomens. A maneira que você desenvolveu a narrativa de forma misteriosa e sobrenatural, cativa o leitor e o faz observador de toda a situação descrita, como se estivesse caminhando entre as árvores, escondido. O final é surpreendente e poético! Adorei a analogia de correr com os lobos usada.

Obrigada por compartilhar conosco!

​Meus parabéns, 6 ♥

Postado 16/10/20 22:08

Lobisomens são seres fantásticos. Ta, eu prefiro os vampiros, mas lobinhos são legais também!

Me vi presa a narrativa, como se eu tivesse me transformado em algo e só pudesse voltar ao normal com o final da leitura. Não sei explicar direito.

Amei, com todas as forças, esse final macabro. Muito lindo!

Parabéns!

Outras obras de 6 de Janeiro

Outras obras do gênero Mistério

Outras obras do gênero Reflexivo

Outras obras do gênero Sobrenatural

Outras obras do gênero Suspense