Boötes
Lucia
Tipo: Conto ou Crônica
Postado: 14/10/20 12:04
Avaliação: 9.87
Tempo de Leitura: 37seg a 50seg
Apreciadores: 3
Comentários: 3
Total de Visualizações: 90
Usuários que Visualizaram: 7
Palavras: 100
Este texto foi escrito para o concurso "Concurso de Drabbles - Cotidiano" A proposta desse pequeno desafio é abordar alguma temática cotidiana de forma interessante contendo exatas 100 palavras de acordo com o contador do site.  Ver mais sobre o concurso!
Não recomendado para menores de dez anos
Capítulo Único Boötes

A camisola deixava pouco à imaginação. Era de um branco transparente e, provavelmente, ficaria mais transparente com a água que respingava da louça que ela lavava.

Encostado no batente da porta, traçou os olhos por milhares de pintinhas visíveis que pontilhavam suas costas. Ah, como as amava. Amava tudo nela, mas quem imaginaria que as pintinhas seriam seu fraco? Levou a xícara aos lábios e formou a constelação que sempre mapeava quando faziam amor, da qual seu nome derivava.

Amava as constelações naquelas costas, constelações que carregavam seu nome.

Não sentia que lhe pertencia.

Sentia como se fosse sua morada.

❖❖❖
Notas de Rodapé

De acordo com a Wikipedia: "Uma teoria alternativa, que só ganhou aceitação limitada entre os estudiosos, deriva o nome de Arthur do latim Arcturus (a estrela mais brilhante da constelação de Boötes, perto da Ursa Maior"

Apreciadores (3)
Comentários (3)
Postado 14/10/20 12:37

Que delicado! Toda a sua descrição, o amor que um sente pelo outro, os detalhes na pessoa amada... Uma coleção de encantamentos! Eu amo seus textos, querida Lúcia! Obrigada por postar mais esta obra calma, linda e inspiradora!

Postado 14/10/20 13:05 Editado 14/10/20 13:06

Pelo ardor de Satã, como pode em 100 palavras caber tamanha engenhosidade em descrever a visualização do ser desejado.

Srta. Lucia, sua primazia em transcrever sentimentos em palavras em um texto é estupendamente magnífica!

Sou um ser averso às questões tão românticas, mas quem sabe algum dia encontrarei constelações em minha inestimável Mei(ne)? Eu tenho em Satã que sim...

Gratíssimo pela oportunidade de ler mais uma obra prima desta autora tão encantadora!

Atenciosamente,

Um ser que imagina camisolas transparentes, Diablair.

Postado 16/10/20 22:19

Eu realmente gostei da forma como você abordou o tema proposto pela Joy!

Não levo muito jeito para coisas fofas e tals, mas devo dizer que ficou muito bem escrito. Os sentimentos são tão transparentes quanto a camisola. (desculpa, não consegui evitar).

Parabéns!