Expedição fatal - parte 1
Monise
Tipo: Conto ou Crônica
Postado: 19/10/20 20:22
Editado: 21/10/20 01:21
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 7min a 9min
Apreciadores: 4
Comentários: 5
Total de Visualizações: 189
Usuários que Visualizaram: 11
Palavras: 1177
[Texto Divulgado] ""
Não recomendado para menores de dezoito anos
Capítulo Único Expedição fatal - parte 1

Aquela turma era promessa de cadeia, caos e confusão, desde pequenos cometiam pequenos crimes e atrocidades juntos.

Cadu, Moreno, Rafa, Noel, Magal e Petra eram um deleite para as forças da escuridão.

Era final de setembro, calor insuportável, estavam entediados e não podiam aprontar, pois o juizado de menores já tinha dado ultimato aos seus responsáveis.

_Gente, que droga de calor é esse?! Essa blusinha, mesmo leve parece que me pinica todinha! - disse Rafa fazendo uma careta.

_Nem fala, queria passar a perna no caixa da sorveteria, mas minha avó falou que se eu aprontar, vai ser ótimo me prenderem que aí ela se livra... Aff, povo sem senso de humor... - disse Noel

_Mano, mas tu e exagerou derramando óleo na entrada da casa da professora Larissa, meu! A velhota escorregou e quebrou a clavícula! - disse Moreno

_Se tivesse morrido, não faria falta! - disse Cadu cuspindo no chão.

_ Nossa! Quanta mágoa nesse core! Tudo isso só porquê a velhota te deixou de recuperação?! - disse Petra dando uma última baforada e jogando um toquinho de cigarro no chão.

_Cêis tão muito chatos hoje... Tão piores que véias reclamonas! - disse Magal

_Odeio o calor! E odeio não ter nada prá fazer! Arranja algo prá fazer que eu paro de reclamar... - disse Cadu

_ E se a gente relembrasse a infância e fôssemos a algum lugar abandonado?! Lembram a gente vivia invadindo casas velhas... - disse Petra

_ É até engraçado você vir com essa de relembrar a infância -disse Moreno- a mais velha aqui é a Rafa e ela nem fez quinze ainda!

_Kkkkk, verdade! - todos concordaram.

_Mas desembucha, qual o plano?! - perguntou Cadu.

_ E se a gente fisesse uma expedição ao hospital abandonado?- disse Petra

_Mano, é longe, morro de preguiça! - reclamou Moreno

_A ideia não é ruim, tem muita árvore em volta, e por ser no alto do morro deve ventar bastante lá, então deve ser mais fresco do que aqui. Eu topo! Adoro uma aventura!- disse Cadu

_Eu também topo! - disse Magal

_E eu! - Noel levantou-se num pulo.

_Gente, e se tiver algum drogado ou traficantes lá ou fantasmas... - falou Rafa visivelmente preocupada.

_Deixa de ser medrosa! - disse Petra- a gente cuida de você!

_Sei não... disse olhando prá o chão com voz de choro.

_Para de ser pamonha! Eu tava com preguiça, mas vou só prá te animar. - disse Moreno- Vai ser interessante, o lugar é mil vezes maior do que as casas que já entramos.

E lá foram os seis pegar umas coisas pra expedição ao hospital abandonado.

Cadu pegou a lanterna do tio, um alicate de corte e uma chave de fenda, vai que precisassem abrir alguma coisa.

Rafa trocou de roupa, pegou uma mochila e colocou seis garrafas de água congeladas, uns sanduíches, duas lanterninhas e três apitos. Ela bem conhecia o Cadu, ele ia querer separar todo mundo, então era melhor ter uns apitos pra encontrarem-se depois já que o lugar era enorme. E qualquer coisa, dava pra assustar os fantasmas com o barulho, né?!

Noel pegou uns estalos de salão, umas velas pretas e um isqueiro, ia dar uns sustos na turma!

Magal era o companheiro de peças do Noel. Pegou catchup, umas linguiças passadas e umas velas. Ia assustar o povo!

Os outros foram na cara e coragem, tinham certeza que os amigos tinham preparado tudo.

Subiram o morro numa algazarra só! Ao chegar no hospital abandonado, o portão estava trancado, o alicate foi útil e logo quebraram o cadeado.

Nem repararam que a uns 200 metros havia uma abertura na cerca coberta por uma moita.

Noel e Magal já entraram fazendo vozes de fantasmas e de mocinhas de filme de terror.

_Para com isso, seus bobos, e se tiver alguém aqui?! - disse Rafa agarrando o braço do Moreno.

Chegaram no saguão, com a chave de fenda conseguiram abrir a porta. A luz vinda da porta iluminou grosseiramente o local, entraram, o lugar era grande mesmo e até que estava bem conservado, poucas rachaduras. Cadu tentou ligar a luz no interruptor, mas nada aconteceu, também, o quê esperava?! Diziam que o hospital estava abandonado há mais de vinte anos...

Magal e Noel ficaram por último, os dois dividiram os estalos de salão e quando todos estavam distraídos: BUUUMMMM! Jogaram de uma vez tudo no chão.

_Filhos da p... Seus infelizes! - o resto da turma os xingou de tudo que era nome.

Os dois riam de cair no chão, lágrimas escorrendo dos olhos.

_Palhaçada, Mano! Vocês dois são do demo... Quase infartei... - disse Moreno

_Eu vou embora daqui! Com esse barulhão os espíritos devem ter ficado de mau humor... Choramingou Rafa.

_Para de ser besta, Rafa! Não tem ninguém aqui! - disse Petra apertando o ombro da amiga- Controle-se! Tava tudo fechadinho, é tranquilo, você não precisa se preocupar.

_Verdade, garantiu Cadu, e por isso vamos nos separar para ver se achamos algo legal.

_Eu sabia! -disse Rafa, já mais calma- e me preparei pra isso!

_Como assim?! - disseram os outros

Abrindo a mochila Rafa distribuiu as garrafinhas de água, os sanduíches e os apitos.

_Pessoal, o apito é prá usar caso precise de ajuda ou ache algo legal. E vocês, seus pestes, façam o favor de não fazer gracinhas...

_Você é genial, Rafa! Vou ser o seu parceiro! - disse Moreno

_Eu e o Noel ficamos juntos! - disse o Magal, já pensando nos sustos que iam pregar na turma.

_Bom, então fica eu e você, Petra. - disse Cadu

E cada um foi prá um lado, Rafa gentilmente emprestou uma das lanternas para Petra.

_Você acha mesmo que aqueles dois vão se comportar, Rafa?

_Claro que não, Moreno! Mas não custa avisar... Com certeza serão os primeiros a apitar prá nos assustar.

_Lembra que estou contigo tá?! Então não se assuste a toa...

Magal e Noel saíram correndo e se enfiaram num dos corredores. Petra e Cadu foram para o lado oposto. Moreno e Rafa foram para o corredor a sua frente. Nenhum deles notou que as câmeras se moveram, alguém os observava...

Noel e Magal viram na parede uma seta indicando fisioterapia e piscina. Boa, de repente podiam fingir um afogamento ou algo assim... Dividiram as velas e fizeram um caminho do início do corredor até a ponta da piscina.

_Magal, e se a gente colocasse catchup nas linguiças e espalhasse os pedaços pelo corredor de velas?!

_ Perfeito, Noel! Vai lá que eu vou acender mais umas velas aqui...

Noel saiu com as linguiças pingando catchup, assim que cruzou a porta, algo veio num relâmpago e atingiu Magal no pescoço, jogando-o sem vida na piscina. Nem houve tempo para que Magal emitisse qualquer som. Do lado de fora, Noel espalhava as linguiças pelo corredor, quando levantou a cabeça, seu coração quase parou, o que era aquilo, que vinha em sua direção?! Tentou correr, apitou desesperadamente, alcançou a porta, mas parecia trancada, marcas de suas mãos cobertas de catchup ficaram na porta. A criatura o alcançou e ele teve o mesmo fim de Noel, seu sangue se misturou ao catchup na porta.

Os outros ouviram o apito e se prontificaram a ir naquela direção...

[Continua]

❖❖❖
Apreciadores (4)
Comentários (5)
Postado 21/10/20 14:27

Se eu tivesse lido esse primeiro eu com certeza teria lido o outro de maneira diferente.

Não imaginava que eram crianças! Isso tornou tudo bem mais macabro... Coitadas...

Eu gostei da Rafa. Ela parece ser a mais sensata do grupo.

Sabe, percebi que esse e seu outro texto são cheios de gírias, como numa conversa normal entre crianças. Isso é ótimo. É realista. Tipo, conheci crianças assim. Consigo acreditar na veracidade delas. Muito bom. Ainda não li seus outros textos por ter uma regra especial de apenas consumir terror em outubro, mas assim que o mês acabar vou dar uma olhada nos outros textos que fez.

Postado 21/10/20 14:29

Fico feliz que tenha conseguido chegar a esse grau de autenticidade!

Agraciada pelo seu comentário!

Postado 21/10/20 16:29

É incrível como você consegue escrever obras que nos prendem do início ao fim da leitura. Esse final me deixou com medo aaaaa, tadinho do Noel. Já estou ansiosa para ler a continuação.

Obrigada por compartilhar conosco!

Parabéns, Monise ♥

Postado 21/10/20 21:32

Fico feliz em ter prendido a atenção de uma divindade! Cof cof cof...

Grata pelo carinho e presença! :*

Postado 26/03/21 18:39

Nunca imaginei que viveria para ver os filhos amaldiçoados da Turma da Mônica e dos membros da Mistério S.A. do Scooby Doo numa aventura tão trágica e maravilhosa.

Brincadeiras a parte, meus parabéns, vou continuar o comentário na outra parte.

Postado 26/03/21 18:46

Nem lembrei dessas histórias... Apesar que nunca ouvi falar dos filhos amaldiçoados da Turma da Mônica...

Postado 26/06/21 12:44

Me lembrou um episódio de ThirTEEN Terrors e um de 76 Horror Bookstore. No primeiro, os jovens ficam na escola até mais tarde e terminaram mortos. Já no segundo, os jovens invadem um hotel abandonado e morrem no final. Também me recordou filmes, séries e mais outras coisas com essa mesma vibe. Todos os protagonistas são jovens que entram em um lugar onde é para estar cheio e se não está, causa medo e estranhamento.

Moral da história: NÃO SEJA JOVEM E ENTRE/INVADA UM HOSPITAL, CASA, ESCOLA OU QUALQUER OUTRA COISA PORQUE VOCÊ IRÁ MORRER!

Desculpe, me exaltei. Gostei bastante do que a senhorita escreveu. Fui prendida do começo ao fim. Parebéns! <3

Postado 28/06/21 10:51

Quantas lembranças, pelo jeito você gosta bastante desse gênero...

Fico feliz que tenha gostado do meu texto.

Obrigada por ler!

Postado 19/07/21 22:04

Eita! Porra~~~~

Monise, que ambientação adorável e adorei os dialogos engraçados, a forma como determinou uma ideia para idade das crianças foi muito bom (sabemos que todos tem menos de 15 anos) sem falar a forma como inseriu o relacionamento familia de alguns personagens, principalmente Noel.

A gostei bastante como não descreveu o que atacou os meninos agora no final deixa a mente do leitor imaginar o que quiser como monstro, espero já ter uma segunda parte <3

Agradeço por compartilhar sua obra e participar do desafio, uma grande obra a sua.

Atenciosamente,

uma pequena vampira,

<3

Outras obras de Monise

Outras obras do gênero Ação

Outras obras do gênero Drama

Outras obras do gênero Ficção Científica

Outras obras do gênero Mistério