Pirataria
Nilton Victorino Filho
Tipo: Conto ou Crônica
Postado: 05/01/21 07:43
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 3min a 4min
Apreciadores: 1
Comentários: 0
Total de Visualizações: 38
Usuários que Visualizaram: 2
Palavras: 551
[Texto Divulgado] "Agostinho dos Santos" Uma parte da vida pode ser esquecida ou ficar na nuvem, no limbo mas, um dia ela cai com tudo em você.
Livre para todos os públicos
Capítulo Único Pirataria

Um amigo, que é amigo de profissão e de rede social me perguntou porque eu passei a postar os vídeos no Youtube com o link do meu blog e assiná-los com meu nome.

Para explicar, eu tive que contar uma historia... senta, que lá vai historia.

Tem 12 anos que me mudei pra Bahia, de mala e cuia, com esposa e filhos, e vim morar em Camaçari.

Camaçari é vizinha de Salvador, quem mora em Camaçari, não fica sem ir, pelo menos, uma vez por mês, à capital e, como eu faço amizade fácil, conheci o Carlinhos.

Carlinhos é um ambulante que vende artigos piratas na rampa que dá acesso à rodoviária de Salvador, muito comunicativo, como a profissão exige, mostrou-me uns CDs com filmes, os quais eu não havia assistido ainda, na época, eu não sabia da capacidade da minha internet e levei uns 5 CDs à um preço ínfimo, tudo bem.

Ao chegar em casa deparei com essas porcarias que os caras gravam da poltrona do cinema, uns não tinham sincronia entre a ação e o áudio e, em todos eles, podia-se ouvir as risadas e os palavrões do público.

Fazer o que???joguei no lixo e esqueci do assunto, todas as vezes que eu encontrava o Carlinhos, conversava, conversava e não comprava nada, no fim das contas era sempre, um bom papo.

Tentando a todo custo me empurrar alguma coisa, me ofereceu alguns CDs de música, dessas músicas regionais, para não ser mal educado, disse-lhe:

_Eu gosto de MPB, fora desse contexto, eu fico muito mal humorado.

E, sempre que ele se sentia prejudicado, vinha com essa:

_Pô, aí você me quebra.

Dai em diante, se seguiu um longo tempo, em que ele tentava me empurrar um produto sorrindo e, eu, sorrindo, declinava.

Nos últimos anos, como é natural acontecer, meus filhos cresceram, me deram netos e compraram carros, não exatamente nessa ordem, parei de tomar o ônibus para ir à capital, então, não vi mais o Carlinhos, nisso, se soma uns bons 3 anos.

Conhece aqueles tiozinhos que gostam de viajar de ônibus???pois é, esse cara sou eu, driblei a carona dos filhos e do genro e, na véspera do último natal, peguei o buzão para Salvador.

Na volta, quando principiei a subida na rampa da passarela, o Carlinhos me avistou, abriu o sorriso e os braços e nos cumprimentamos demoradamente.

_Ô paulista, eu tenho cá um baguio que você vai gostar.

Pegou uma caixinha de DVD muito bem acabada, colorida e me deu, li a capa:

_150 vídeos com o melhor da Música Popular Brasileira.

Já, o Carlinhos batia em minhas costas, com ar de quem já vendeu...._Hum, hum !!!

Na parte de baixo, em letras menores, estava escrito:

"extraídas do canal de NILTON VICTORINO FILHO".

Pensei em soltar uma estrondosa gargalhada, mas, me contive.

A cara de vitória do ambulante estava muito engraçada.

Enfiei a mão no bolso das calças e tirei o RG:

_Carlinhos, olha o nome que está escrito aqui.

Ele pegou a cédula e a leu em voz alta, pegou o DVD e conferiu.

Seguiu-se um breve silencio.

_Caramba, pirateei o amigo.

_O mínimo que você tem a fazer, é me dar esse de graça.

Levou só uns centésimos de segundo a reflexão, colocou a caixinha perto das outras:

_Aí o amigo me quebra.

❖❖❖
Apreciadores (1)
Comentários (0) Ninguém comentou este texto ainda. Seja o primeiro a deixar um comentário!

Outras obras de Nilton Victorino Filho

Outras obras do gênero Aventura

Outras obras do gênero Comédia

Outras obras do gênero Cotidiano