Queria descobrir com as estrelas
Monise
Tipo: Lírico
Postado: 17/01/21 22:00
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 1min
Apreciadores: 3
Comentários: 2
Total de Visualizações: 353
Usuários que Visualizaram: 8
Palavras: 201
[Texto Divulgado] "Luna Nostra" Um trilionário terráqueo visita velhos amigos de outro mundo em busca de socorro.
Livre para todos os públicos
Capítulo Único Queria descobrir com as estrelas

Olho a imensa escuridão do negro véu

Densas nuvens se avizinham

Raios pintam o céu

Tempestade vem chegando

Não maior do que a que me toma!

Olho triste para o céu azul escuro

Combina com a escuridão de minh'alma

Como queria a calma das estrelas no espaço...

Sem som, sem confusão, só o vácuo...

Mas na Terra é minha morada

O chão o meu suporte

Mesmo sem norte, a terra segura meus pés

Mesmo quando o mundo me abala e o chão resvala...

Quero ir mais fundo

Mais longe, mais distante

Quem sabe neste milésimo de instante

Na escuridão do espaço

Encontre espaço para minha dor...

Ah o amor... Algo tão simples

Algo trivial, mas para mim tão distante quanto as estrelas!

Queria conhecer maneiras de ressuscitar o brilho em mim...

Encontrar um alguém por mim

A vida pesa, tira o viço, às vezes até a luz...

Queria tanto ir até as estrelas

E quem sabe saber delas

Os segredos de milênios dos que venceram antes de mim

Que bom contemplar o céu e as estrelas

E saber que de diferentes maneiras

Um dia o sofrimento há de ter um fim.

E quem sabe a estrela do amor brilhe pra mim...

❖❖❖
Apreciadores (3)
Comentários (2)
Comentário Favorito
Postado 01/02/21 09:04 Editado 01/02/21 09:05

Eis uma obra belíssima, tétrica e inspiradora... A descrição extraordinária acerca da busca de refúgio e sabedoria na imensidão do Cosmo soa tão lírico e ao mesmo tempo tão melancólico que me è impossível não ficar fascinado por este poema em quase sua totalidade, especialmente pela estrofe final...

Até porque agora minha atual busca e sincero desejo é por me tornar tão sombrio e gélido quanto o próprio vácuo sideral, sem luz, sem calor... Nada.

Parabéns por mais uma excelsa obra e que possa ter uma excelente semana, Srta Sonja!

Atenciosamente,

Um ser que contempla as estrelas desejando que elas despenquem na Terra, Diablair.

Postado 08/02/21 08:28

Olá Diablair!

Há momentos em que nós achamos nas mais densas trevas e a ideia de distância e vácuo traz um doce alento...

Entretanto as estrelas, o Universo, trazem consigo a certeza de que há ainda outros mundos a serem desvendados, caminhos nunca percorridos e que quem sabe podem se tornar o caminho a que tudo dará sentido...

Que ainda nas suas densas trevas você possa encontrar a Luz e que o calor do Sol venha a iluminar sua alma e te trazer a paz e a calma de que tanto necessitas...

Feliz semana!

Postado 08/02/21 09:58

Ah, Srta Sonja... Quisera eu conseguir compartilhar de tais e de tão otimistas perspectivas... Todavia, atualmente o único sentido que vejo e busco é a enteopia oriunda desse imenso buraco negro que há de distorcer e consumir quaisquer fachos de luz que porventura surgissem/surgirem de agora em diante.

Contudo, agradeço regiamente as palavras e votos sempre afáveis, Srta Sonja. Gratíssimo...

Tenha uma excelente semana a senhorita também, na medida dos acontecimentos.

Postado 29/04/22 18:20

Se Fernando pessoa tivesse contemplado mais as estrelas, e não a tabacaria...

Fico entusiasmado de ver um poema tão real, ainda me levando para bem alto na imaginação, me trazendo de volta para o solo e para o que é importante, e mesmo assim deixando aquele print de distância alcançável, como o brilho das estrelas, que vem de distâncias absurdas para chegas nos nossos olhos.

Inspirador!

Outras obras de Monise

Outras obras do gênero Cotidiano

Outras obras do gênero Drabble

Outras obras do gênero Poema

Outras obras do gênero Reflexivo