Irmãs de perpétua aberração (Em Andamento)
Calígula
Usuários Acompanhando
Tipo: Romance ou Novela
Postado: 24/02/21 08:02
Editado: 23/07/21 08:55
Qtd. de Capítulos: 14
Cap. Postado: 28/02/21 10:28
Cap. Editado: 13/04/21 08:18
Avaliação: 10
Tempo de Leitura: 2min
Apreciadores: 4
Comentários: 3
Total de Visualizações: 314
Usuários que Visualizaram: 7
Palavras: 327
[Texto Divulgado] "Deusa Solidão" Sinopse
Não recomendado para menores de dezoito anos
Irmãs de perpétua aberração
Notas de Cabeçalho

"We follow the sound,

It's leading us down,

Into the kingdom of under.

We're lost and we're found

We're nothing and nowhere

Forever and ever"

Capítulo II 24 de fevereiro, manhã

As atividades da manhã foram tão vazias quanto sempre. Reunimo-nos para rezar na capela, como é recomendado. Fui a última a chegar desta vez, coisa que raramente acontece. Catherine, Léa e Isabelle já estavam em seus lugares. Perguntaram-me se havia passado a noite bem e eu… eu simplesmente não soube o que responder. Escrevi aqui sobre ter bons sonhos noite passada, não é mesmo? Ou ao menos os esperava… Mas é engraçado: não lembro de nada. Foi uma noite vazia. Fui para o nada e depois voltei. Geralmente sonho com coisas inúteis, com coisas cotidianas (minha imaginação deve ser tão nula quanto meus conhecimentos e ideias, afinal), e quase sempre me lembro daquilo que sonhei por algumas horas depois que acordo… como se fosse alguma espécie de castigo continuar a inutilidade dos meus dias também em minhas noites. Mas não dessa vez.

Enfim… não que tenha importância. Simplesmente dormir e apagar, não viver por quaisquer horas me parece bom o suficiente. Eu acho.

As garotas estavam bem. Nós sussurramos bastante sobre o que fizemos ontem. Nada aconteceu com nenhuma (e Isabelle pareceu surpreendentemente decepcionada com isso). Elas parecem todas muito animadas para repetir nosso pequeno “ritual” hoje mais tarde se possível, assim que pudermos estar sozinhas.

Fico pensando se isso não é uma desculpa de Catherine para nos convencer a participar de suas “recreações”. Ela sempre quis que nos beijássemos, sempre nos disse que queria que nós experimentássemos o que ela já havia experimentado fora daqui, tanto com homens quanto com mulheres… Ela certamente possui mais experiência que nós, e acha que não sabemos ou fizemos absolutamente nada.

Pois bem, talvez com Isabelle e Léa seja assim. Comigo, por outro lado, por mais que minha mãe tenha tentado me deixar afundada na ignorância por mais de dezoito anos…

Mas chega… estou cansada agora. Tenho coisas para fazer antes da próxima refeição. É melhor que deixe tudo pronto para que as madres não comecem com seus discursos insuportáveis.

❖❖❖
Apreciadores (4)
Comentários (3)
Postado 28/02/21 15:07

Ah, o tédio e a ignorância acerca dos fatos/ações... Quão perigoso pode ser o acúmulo de tais ingredientes no verdadeiro barril de pólvora presente na mente e entre as pernas destas jovens religiosas? Estou ansiosíssimo para descobrir!

Este capítulo me pareceu a lendária calmaria antes da tempestade... Pois que venha a tormenta mais nefasta e extasiante que sua mente genial e maliciosamente maliciosa possa gerar, Mestre/Irmão!

Parabéns e muito obrigado pela atualização, meu caro!

Atenciosamente,

um ser que gera tédio nos demais, Diablair.

Postado 01/03/21 10:55

Eu só desejo ver o circo pegar fogo.

Obrigado, meu imrão.

Postado 01/03/21 11:57

Que seja o fogo eterno do Inferno então, Mestre/Irmão!

Postado 02/08/21 21:05

Elas estão em um tipo de colégio? Estou amando a história!

Postado 13/10/21 17:55

Chega a ser doentio como, antigamente, as mulheres eram destinadas à ignorância total até que um homem entrasse em suas vidas. Esse pudor cristão, para mim, sempre fedeu a merda e é óbvio que nada consegue ser mais entediante que ele, por isso compreendo muito os sentimentos da narradora.

Gosto muito do contraste presente no grupo da protagonista. É como se elas estivessem sendo iniciadas em um mundo, até então, obscuro. Catherine parece funcionar como uma espécie de santa guiadora que levará essas jovens a conhecer grandes coisas. Ai, ai... Acho que já a tenho como minha personagem favorita kkkkkk.

Obrigada por compartilhar mais um capítulo conosco!

Parabéns, Pablo ♥

Outras obras de Calígula

Outras obras do gênero Erótico ou Adulto

Outras obras do gênero Sobrenatural

Outras obras do gênero Suspense

Outras obras do gênero Terror ou Horror