Irmãs de perpétua aberração (Em Andamento)
Calígula
Usuários Acompanhando
Tipo: Romance ou Novela
Postado: 24/02/21 08:02
Editado: 23/07/21 08:55
Qtd. de Capítulos: 14
Cap. Postado: 01/03/21 10:50
Cap. Editado: 14/04/21 07:59
Avaliação: 10
Tempo de Leitura: 2min a 3min
Apreciadores: 4
Comentários: 3
Total de Visualizações: 211
Usuários que Visualizaram: 6
Palavras: 383
[Texto Divulgado] "O Último Delírio de um Rei" Há muito tempo, num reino bem distante, vivia um rei que tinha dois filhos gêmeos. O rei estava morrendo, e em seus últimos dias, uma preocupação inquietava a mente do velho soberano: quem seria seu sucessor no trono?
Não recomendado para menores de dezoito anos
Irmãs de perpétua aberração
Notas de Cabeçalho

"Ô toi, le plus savant et le plus beau des Anges,

Dieu trahi par le sort et privé de louanges"

Capítulo III 24 de fevereiro, noite

Sim, conseguimos nos encontrar outra vez. E agora com um pouco mais de tempo. Foi outra vez no quarto de Catherine.

Fizemos as mesmas coisas de ontem, porém com um pouco mais de calma: Catherine tentou nos convencer que os efeitos de nossa atividade ainda não se manifestaram apenas porque os rituais não foram executados da melhor maneira possível, e que de qualquer maneira tudo leva mesmo algum tempo. Para mim tudo mentira, e tive mesmo vontade de rir em alguns momentos. Ela começou a falar de certas coisas que uma empregada de sua família, uma mulher de meia idade vinda do leste, ensinou. Continuou dizendo que se insistirmos naquele ritual um “gênio” ou qualquer coisa do tipo aparecerá eventualmente para trazer nossa felicidade na forma da realização de todos os nossos desejos, fantasias e… enfim.

Para mim é conversa de louco ou vigarista. Quem sabe os dois. Mas divertida, não nego. Aliás, detalhe muito importante: ela fez questão que nossos beijos durassem mais tempo, o que não surpreende. Não me desagrada também, preciso confessar. Catherine é belíssima… seus cabelos castanhos e cacheados estão sempre tão perfeitamente penteados… e aqueles dois grandes olhos cor de mel tem o poder de como que enfeitiçar qualquer um e… E bem, ela conseguiu o que queria.

“Enfeitiçar”. Acho que usei a palavra correta…

Depois voltamos aos cânticos. E ainda não sei que idioma é aquele… Não é latim. Eu sei o suficiente de latim para saber que não é. E não é nenhum idioma com o qual já tive contato. Léa e Isabelle afirmam não o conhecer também. Questionamos Catherine, mas ela apenas riu de seu jeito debochado e disse para a acompanharmos, que quando fosse necessário nos contaria tudo o que havia para contar.

O ritual acabou e nada aconteceu (grande novidade), mas nossa anfitriã pareceu muito mais contente que ontem. Léa parecia tão incrédula quanto eu, mas havia se divertido. Isabelle aparentava estar estranhamente esperançosa com alguma coisa.

Ao fim… bem, acho que ver como todas elas reagem a estas besteiras é mais divertido que o próprio ritual. E não posso negar que o perigo de ser descoberta pelas madres seja ao menos um pouco interessante.

Será que conseguiremos realizar a brincadeira amanhã? Catherine diz que é preciso. Pois bem, veremos.

Espero que sim.

❖❖❖
Apreciadores (4)
Comentários (3)
Postado 01/03/21 14:24

Hmm... Mestre/Irmão, algo me diz que o senhor está nos enganando ao afirmar que o ritual falhou (ou está falhando)... Talvez já tenha funcionado e alguém (ou seria alguma coisa?) está fingindo que nada ocorreu/ocorre. Essa calmaria está MUITO suspeita!

Mas... Sigamos com o dia a dia herege destas maravilhosas pecadoras!

Não ouse parar de postar, Mestre/Irmão! Por favor!

Atenciosamente,

um ser que não tem com quem fazer rituais, Diablair.

Postado 02/08/21 21:10

Me faz recordar de um filme de terror que vi uma vez, chamava Legião, sobre meninas em um internato católico que invocavam um demônio QUASE QUE sem querer. Espero que não aconteça nada de terrível com as meninas, no mais, estou amando a história, amei como as páginas do diário estão sendo escritas, é realmente uma boa forma de se escrever uma história de terror e mistério bem descritiva, com poucas páginas!

Postado 13/10/21 18:28

A perspectiva da protagonista acerca da Catherine é a mesma que a minha: talvez todo o discurso fantasioso seja mentira, o que, pela descrição, parece mesmo. Ou a Catherine está apenas enfeitando com utopias a consequência de todos esses beijos, ou, de fato, um ritual realmente esteja sendo feito as escuras kkkkk. Sinceramente, não sei. Me sinto como a narradora e sei tanto quanto ela. Catherine parece do tipo que não fala tudo o que sabe, então espero que ela não seja do mal e que o único mal caminho que ela leve essas meninas seja o do prazer kkkkkkk.

Obrigada por compartilhar mais um capítulo conosco!

Parabéns, Pablo ♥

Outras obras de Calígula

Outras obras do gênero Erótico ou Adulto

Outras obras do gênero Sobrenatural

Outras obras do gênero Suspense

Outras obras do gênero Terror ou Horror