Amor de bruxa
Nyels
Tipo: Conto ou Crônica
Postado: 21/06/21 14:54
Editado: 21/06/21 15:00
Avaliação: 10
Tempo de Leitura: 3min a 4min
Apreciadores: 6
Comentários: 5
Total de Visualizações: 173
Usuários que Visualizaram: 12
Palavras: 586
Este texto foi escrito para o concurso "Amor à Moda Antiga" Escreva uma carta que fale sobre amor, seja romântica ou não. Ela deve ser endereçada a alguém (real ou imaginário) e você pode falar sobre que quiser nesta carta desde que seja sobre amor! Ver mais sobre o concurso!
Livre para todos os públicos
Notas de Cabeçalho

Minha avó costumava dizer: nunca confie em quem tem mais que trinta e um dentes.

Isso tem alguma relação com a carta?

Nenhuma.

Boa leitura <3

Capítulo Único Amor de bruxa

Da Casa no Campo das Camélias

Para a Torre na Colina do Gigante

Minha cara prima;

Agradeço pelo quilo de perninhas de grilo-do-campo (estavam deliciosas), pelas cinco turmalinas reluzentes (ficaram um charme ao lado do lampião na janela) e pelo espirro de criança (espirros são coisinhas difíceis de se conseguir; eu mesma raramente capturo um). Espero que a compota de pêssego que acompanha esta carta seja do seu agrado — o pessegueiro na orla da floresta está belíssimo, carregado de frutos que têm o tamanho de um punho. Você ficaria satisfeita se o visse agora.

Maricota vai muito bem, obrigada por perguntar. Lembra-se da Salete, a bruxa que mora para lá da curva do rio? Ela esteve aqui uma noite dessas a fim de recolher asas de mariposa (recentemente apanhei tantas mariposas peludas nas armadilhas do bosque que precisei distribuí-las entre a vizinhança) e espantou-se que o nome de meu gato fosse Maricota. Eu disse a ela que Maricota é um gato dos mais originais e que, portanto, merece um nome tão distinto quanto ele próprio.

Além disso, Salete é tão sem-sal que não é preciso grande esforço para adivinhar como se chama o gato da da figura. Beba um gole de seiva fermentada se você disse "Salém".

Eu sei, 'tá mais na cara que nariz.

Não costumo admitir com frequência, mas você estava certa. Para variar. A vida é mais fácil quando temos uma alma-irmã por perto, mesmo que o irmão em questão seja uma matraca histérica, como é o caso do Maricota.

(Ele protestou contra essa última parte, mas, cá entre nós, sabemos que é a mais pura verdade).

Eu amo muitas coisas nesse lugar. Amo o pessegueiro que oferece sombra e pêssegos maduros. Amo os alicerces desta casa, mesmo que as colunas de madeira tenham rabiscos coloridos de alto a baixo, da nossa época de meninas. Amo o rio que corre lá nos fundos, as ervas cheirosas que crescem no jardim e as lesmas gosmentas que passeiam pelo telhado. Amo você, querida prima, fraterna e incondicionalmente.

E eu amo o Maricota. Você sabe como é, não? Sempre disse que um dia eu encontraria minha alma animal como você encontrou a sua. Eu a amo por isso, também.

Desde que chegou, Maricota tem caçado implacavelmente todos os camundongos que se aproximam do chalé — o que é uma pena, uma vez que camundongos são excelentes fontes de fofoca. Consegui, ao menos, a promessa de que Maricota evitaria perseguir as fadinhas cor-de-abóbora que vivem na despensa. Perdê-las seria um grande aborrecimento, afinal, é preciso que alguém forneça luz durante a noite (e Maricota não é capaz de brilhar como elas).

Graças ao tratado de paz entre Maricota e as fadas, as sextas-feiras à noite são reservadas ao encontro semanal do Sindicato da Asa Rasgada, uma organização distrital de fadinhas que se reúne atrás do pote de áçucar. Elas cantam hinos tilintantes e discutem política, em geral acusando as libélulas das maiores atrocidades (parece que há um desentendimento entre os seres alados deste lado do bosque).

O amor é um sentimento curioso, não é? Se não o amasse tanto, jamais manteria um hóspede tão tagarela, baderneiro e dissimulado quanto o meu gato. E ele, acredito, não aceitaria provar as minhas sopas experimentais se não me amasse profundamente.

Para a nossa sorte, minhas sopas quase sempre dão certo.

P.S.: Você poderia, por gentileza, enviar meus cumprimentos ao velho texugo que mora ao pé da Torre? Há meses eu não apareço para dar um alô.

Sempre sua estimada prima;

Ariana.

❖❖❖
Notas de Rodapé

Para mim, o amor tem cheiro de casa e família. Ele se manifesta das maneiras mais engraçadas, milhares de amores diferentes que sentimos a cada dia.

Apreciadores (6)
Comentários (5)
Comentário Favorito
Postado 05/07/21 23:37 Editado 07/07/21 16:36

Querida Nyels,

Que doçura de obra, que doçura de carta, me senti no universo Ghibli, rodeado de tesouros aonde os olhos puderem alcançar, a maior forma de amor, é uma casa, uma casa esconde muitos segredos, e um lar só é um lar, se sob o teto dele repousa tudo que nós amamos...

Amo esta temática de bruxinhas, coisas cintilantes, mágicas e suspeitas, faz meu coração tilintar! A obra foge do tema de amor romântico, mas o amor pode ser sentido de diferentes formas, em diferentes intensidades e um amor assim, confortável como um lar, é o que todos almejam!

Meus mais sinceros parabéns, você escreve muito bem! Obrigada por participar do concurso, boa sorte!

Com carinho,

Uma pseudo-bruxinha que ama gatos,

Seis.

Postado 07/07/21 09:45

Também adoro os filmes do Estúdio Ghibli! Meus filmes favoritos sempre envolvem um cotidiano cheio de magia e encantos, talvez porque eu cultive cuidadosamente meu espírito infantil interior.

A quarentena me ensinou muitas lições; a maior parte delas, duras e difíceis. Algumas, porém, foram lições doces. A gente aprende sobre o amor a cada dia, e eu descobri muito sobre o amor fraterno durante esse um ano e meio que passei com a minha família.

Recém-saída da adolescência rebelde, aos poucos eu compreendo a importância de se conviver em harmonia com as outras pessoas. O amor não se mantém sozinho; é preciso trabalhar em prol dele. É preciso aprender a ceder e perdoar.

Acho que a Ariana e o Maricota estão se saindo muito bem nesse quesito -haha

Muito obrigada pelos elogios! Você é muito gentil <3

Postado 21/06/21 17:22 Editado 21/06/21 17:25

Ah, o amor familiar... Que coisa louca, rara e inestimável! Não tem como não ler esta obra e sentir uma curiosa euforia, ainda mais pelo fato da história ter um cunho sobrenatural tão leve, divertido e despretencioso! Foi uma experiência deveras gratificante a leitura desta carta de amor e lhe agradeço regiamente por ter feito uma abordagem tão inesperada e bem humorada sobre tão complexo sentimento!

Os personagens são muito carismáticos, a ambientação foi acolhedora e a carta em si com certeza deixa os leitores com aquele gostinho de quero mais (ouso dizer que merecia uma continuação ou mesmo uma short/long fic!)... Muitíssimo bom trabalho, Srta Nyels! E, aproveitando o ensejo, uma vez mais seja muitíssima bem vinda à Academia de Contos!

Meus parabéns e muito boa sorte no concurso!

Cordialmente,

um ser que adoraria saber qual é minha alma-animal (deve ser um morcego), Diablair.

Postado 07/07/21 09:21 Editado 07/07/21 09:22

Eu tenho essa mania terrível de levar o mundo muito a sério, algo que tenho evitado fazer - por mais que o amor seja um sentimento altamente relevante. No fundo, as coisas são mais ridículas do que a gente quer admitir (talvez por isso eu insista em usar nomes ridículos pros meus personagens).

Agradeço pelo comentário tão gentil <3

Postado 25/06/21 16:19

Muito gostosa e criativa a leitura!

É estranho e ao mesmo tempo familiar a maneira como ela descreve a casa, as coisas fantásticas, de modo corriqueiro. Como às vezes, ou sempre, falamos de nosso dia-a-dia do século XXI como algo perfeitamente normal.

E ele não tem nada de normal hahaha

Queremos mais :)))

Postado 07/07/21 09:25

Eu gosto de lugares bagunçados e coisinhas fora do lugar. O fantástico está em qualquer flor brotando no asfalto, basta olhar pras coisas com os olhos um pouquinho menos atenciosos e um pouquinho mais embaçados.

A vida é meio doida, mesmo...

Obrigada pelo comentário tão gentil <3

Postado 09/07/21 01:32

Quanta originalidade está obra traz a minha semana!!~~ Estou deslumbrada~~

Eu amei tudo nesta carta, os nomes dos personagens, as perguntas e respostas, os acontecimentos que passam aquele ar de mundanos mesmo se tratando de um mundo magia/mistico que eu adoraria ler mais sobre; mas o que eu mais gostei foi o gato que não consigo deduzir a cor, só tenho a certeza que não é preto ahhah.

É uma grande honra ter uma obra como a sua participando do concurso, sua escrita é incrível como sua narrativa animada desta obra, meus sinceros parabéns, eu amei tudo!!~

Assinado uma pequena vampira, <3

Postado 22/07/21 09:24

Acho engraçado você mencionar o Maricota; de fato, ele não é um gato preto. Na minha cabeça, Mariota é um gordo e felpudo gato malhado, branco com manchinhas marrons e caramelo (sinta-se à vontade, porém, para imaginá-lo como quiser. Duvido que ele vá se importar).

Foi uma experiência das mais divertidas participar do concurso! Muito obrigada pela oportunidade e pelo comentário tão gentil ❤

Postado 26/07/21 20:27

Maricota é perfeito como você imaginou e cheguei a pensar que seria gorducho e felpudo como um ursinho de pelucia ahahaha~

Fico muito feliz que tenha gostado de participar, conto com sua presença nos próximo <3

Postado 09/07/21 12:49 Editado 09/07/21 12:57

Que carta mais belissíma e original!

Ah, o amor da família, nunca deixará de ser uns dos mais puros. E aqui temos uns dos mais lindos que já vi. Almejo muito o amor de Ariana e sua prima, tenho certeza que são ótimas amigas e confidentes.

Agora, sobre a ambientação. Gostei bastante, você conseguiu criar coisas que eu nunca imaginei em minha vida: "turmalinas reluzentes, fadinhas cor-de-abóbora que vivem na despensa" e muitas outras coisas! Que criatividade maravilhosa!

Meus mais sinceros parabéns por sua obra excepcional e boa sorte no concurso, querida Nyels. ❤

Postado 22/07/21 09:27

Muito obrigada pela sua gentileza e pelos elogios, e parabéns pela sua colocação no concurso! Foi certamente merecido ❤

Gosto muito de literatura infanto-juvenil e tentei trazer um pouco desse encanto para a carta. Sou o que alguns chamariam de escritora-jardineira; planto uma sementinha desconhecida, vou regando e esperando para descobrir a planta que vai nascer. As turmalinas reluzentes e fadinhas cor-de-abóbora me surpreenderam tanto quanto surpreenderam você XD

Outras obras de Nyels

Outras obras do gênero Comédia

Outras obras do gênero Cotidiano

Outras obras do gênero Crônica

Outras obras do gênero Fantasia