Garraduende (Em Andamento)
Mrs Black
Usuários Acompanhando
Tipo: Roteiro (Longo)
Postado: 09/10/20 02:52
Editado: 19/09/21 01:24
Qtd. de Capítulos: 20
Cap. Postado: 03/08/21 18:13
Cap. Editado: 03/08/21 18:13
Avaliação: 10
Tempo de Leitura: 13min a 17min
Apreciadores: 1
Comentários: 1
Total de Visualizações: 54
Usuários que Visualizaram: 2
Palavras: 2114
[Texto Divulgado] "Deusa Solidão" Sinopse
Não recomendado para menores de dezesseis anos
Garraduende

Esta obra participou do Evento Academia de Ouro 2020, ganhando na categoria Roteiro (Longo).
Para saber mais sobre o Evento e os ganhadores, acesse o tópico de Resultados.

Décima Primeira Cena Martelo da Justiça

DÉCIMA PRIMEIRA CENA: EXT. MANSÃO JASON - MADRUGADA

Alheios ao que acontecia no campo de batalha, Blake, Diablair e Damon estão completamente feridos e atordoados por conta do embate com a Imperatriz. O trio está ofegante tanto pelo cansaço das batalhas que tiveram anteriormente, quanto pelas investidas violentas da Imperatriz, que está totalmente consumida por seu instinto assassino.

BLAKE (ofegante): Não vamos conseguir permanecer na defensiva por muito tempo… Ela vai acabar nos ferindo mortalmente…

DAMON (ofegante e levemente irritado com Blake): Eu sei, Blake, mas se coloque no meu lugar: você conseguiria ferir a Tortura?

[Blake fica em silêncio. Diablair pigarreia.]

DIABLAIR (hesitante): Detesto concordar, mas Blake está certo, Damon.

DAMON (perplexo): Você pretende matar sua própria sobrinha?

[A Imperatriz salta sobre Blake sem estar em posse de nenhuma arma, por isso o hunter busca segurá-la pelos pulsos para que ela não invoque nenhuma arma de suas marcas. Ambos caem no chão.]

DIABLAIR (para Damon): Ninguém falou em matar, vampiro idiota, mas pense: a Imperatriz não se fere com ataques físicos ou de armas, ou seja, ela é a inimiga mortal de Blake. Por estarmos dentro do Domínio dela, eu não posso usar meus poderes por eles estarem sendo drenados pela energia escura dela. Você mais do que nós dois conhece os segredos e artimanhas da Imperatriz. Você é o único que pode detê-la.

BLAKE (com dificuldades em deter a Imperatriz): Não sei o que estão dizendo, mas eu concordo! AGORA, ME AJUDEM!

[Diablair e Damon vão na direção da Imperatriz para ajudar Blake, porém a jovem salta para trás, afastando-se do trio. Os três homens ficam em posição de defesa. A Imperatriz fica estranhamente estática, encarando-os.]

DAMON (hesitante): Há uma forma de vencê-la dentro do Domínio, mas não sei se vai funcionar conosco, pois só a Tortura foi capaz de “vencer” aqui dentro e eu estava como mero espectador quando isso aconteceu. Sendo muito sincero, acho que só um assassino nato consegue ler a técnica da Imperatriz, que é uma assassina nata… Acredito que a técnica de Expansão de Domínio depende muito do inimigo que o conjurador está enfrentando.

DIABLAIR (surpreso): A Tortura a venceu? Como?

DAMON (com os olhos fixos na Imperatriz): Ela se matou.

BLAKE (chocado): Ela o quê?

[Diablair encara o vampiro com um olhar sombrio. A Imperatriz não se move.]

DAMON: Uma Expansão de Domínio possui duas formas: uma feita para matar, como a que ela usou para exterminar o exército, e uma baseada em ilusão, usada quando o conjurador não tem a intenção de matar. Eu acho que seja o caso dessa expansão que ela está usando. Certamente ela pode estar nos fazendo pensar que esse é um domínio de ilusão e, instantaneamente, transformá-lo em um domínio mortal, mas… A Tortura se matou sem pensar duas vezes, porque confiou na Imperatriz, mesmo que ela estivesse consumida pelo instinto assassino… Por que nós faríamos diferente?

[Blake e Diablair se entreolham.]

DAMON (com a voz embargada): A Tortura acreditou nela, mesmo podendo morrer no processo. Então tudo o que podemos fazer nesse momento é… Acreditar na bondade da Imperatriz e tirarmos nossas vidas para derrubar o domínio de ilusão.

[Diablair coloca a mão no ombro de Damon. Blake sorri para o vampiro. Palavras não são necessárias nesse momento, pois os três homens compartilham o mesmo sentimento: os laços familiares superam os de sangue e, automaticamente, qualquer incerteza que possa vagar por seus corações.]

BLAKE: Por mais irônico que pareça, vamos acreditar na capacidade da Imperatriz de não nos matar e…

[Blake é interrompido pelo som de uma arma sendo invocada pela Imperatriz. Os três olham para a jovem e se assustam com a cena: ela está com uma faca cravada no coração. Sangue começa a escorrer do ferimento. O trio corre na direção dela. O corpo da Imperatriz começa a cair.]

DAMON (amparando o corpo da Imperatriz antes da queda, desesperado): POR QUE VOCÊ FEZ ISSO? FLÁVIA, ME RESPONDA! SE VOCÊ MORRER, EU JURO QUE…

[Damon começa a chorar com o corpo da Imperatriz entre os braços. O vermelho dos olhos dela começa a se desfazer, retornando ao estado normal, enquanto se fecham.]

BLAKE (paralisado, segurando com força o braço de Diablair): Ela está… Está… Sangrando… Diab, ela nunca sangrou.

DIABLAIR (engolindo seco): Se o Domínio dela se extinguir, eu posso… nós podemos… salvá-la… Inferno, ela deve ter recuperado o controle do próprio corpo por alguns segundos e fez a única coisa que estava ao seu alcance...

[A cortina vermelha da Expansão de Domínio que estava sobre a barreira invocada por Tristeza começa a se desfazer aos poucos. Damon continua a chorar, inconsolável. Diablair se ajoelha ao lado da sobrinha. Blake está com as mãos sobre a boca, completamente em choque.]

BLAKE (com a voz abafada pelas mãos): Ela… está morrendo?

DIABLAIR (analisando a faca cravada no peito da Imperatriz, completamente em choque): Ela usou a única arma capaz de feri-la, então acredito que… A menos que façamos algo, ela pode sobreviver. Para isso, é preciso que o Domínio dela se extinga, assim meus poderes deixarão de ser drenados e posso tentar curá-la.

[O líder infernal encara Damon. Vendo o desespero do vampiro, Diablair desfere um tapa no rosto dele.]

DIABLAIR (com severidade): Concentre-se, vampiro metido a besta! Você é o único que pode salvá-la agora. Eu vou tirar a faca e você vai usar sua técnica vampírica Drenagem para conter a hemorragia. Depois disso, eu…

DAMON: Você…?

[Antes que Diablair pudesse responder, um estrondo é ouvido e os dois se viram para ver o que está acontecendo. Blake está ofegante, várias veias de seu rosto estão saltadas e o chão abaixo dele está destruído. Do misterioso buraco no chão, o hunter tira uma lança negra com detalhes pratas. A cortina vermelha da Expansão de Domínio ainda não sumiu completamente. ]

DIABLAIR (surpreso): Como, com trinta demônios, você conseguiu usar uma invocação, sendo que o Domínio ainda está ativo?

BLAKE (levantando-se com dificuldade e apontando a lança para Diablair): Quem define o meu poder sou eu, Diablair. Nem mesmo essa assassina de uma figa pode me impedir, principalmente quando quero salvá-la! Não subestime os meus sentimentos por essa família… Nem por um segundo sequer.

[Diablair está boquiaberto. Damon está com os olhos arregalados e completamente emocionado pela atitude de Blake. Por conta dessa ação, o vampiro se enche de coragem.]

BLAKE (ofegante): Eu vou destruir o Domínio e a barreira na base da força com a Sarissa¹. Enquanto isso, pelo amor da Deusa, salvem ela…

[Blake se vira na direção a barreira e começa a desferir diversos golpes nela. O barulho dos golpes ressoa na alma de Diablair e Damon. Ambos se encaram e, em um assombroso silêncio carregado de determinação, começam a agir. Sem hesitar, Diablair arranca a faca do peito da Imperatriz, que começa a jorrar sangue. Com extrema habilidade, Damon coloca as duas mãos sobre o local. O sangue pára de escorrer e, após alguns segundos, começa a retornar para dentro do corpo da Imperatriz. As veias rompidas pela faca começam, uma por uma, a se reconstruir. As veias das mãos de Damon começam a saltar e ficam negras. O vampiro solta alguns gemidos de dor. Diablair o encara com preocupação, mas o rapaz não pretende voltar atrás até terminar a drenagem, mesmo que esteja sentindo dor.]

DAMON (sussurrando para ele mesmo com os olhos fechados): Não se esqueça de nenhum vaso sanguíneo e válvula… A reconstrução tem que ser perfeita…

DIABLAIR (atônito): Reconstrução? Damon, você só precisa drenar o sangramento e…

[Damon nada responde a Diablair. O líder infernal encara o ferimento da Imperatriz e, surpreendentemente, ele vê tudo lá dentro sendo reconstruído através da técnica vampírica de Damon: Reconstrução da Lua de Sangue. Uma técnica rara que poucos vampiros conseguem dominar pelo nível de concentração requerido e pelo alto grau de conhecimento anatômico. A região do coração, que outrora estivera irreconhecível pelo ataque, agora se encontra completamente reconstruída e funcionando. A Imperatriz solta um leve suspiro, enquanto seu coração volta a bater. Damon tomba levemente para trás, ofegante e pálido.]

DAMON: Eu só posso… reconstruir por dentro e um pouco da pele… Mesmo assim, vamos precisar cauterizar o ferimento… Eu vou tirar toda a dor dela no processo… Então, continue, não importa o que aconteça.

[Blake urra e um som alto é ouvido. A Expansão de Domínio foi perfurada e se extinguiu completamente. O hunter continua a atacar impiedosamente a barreira levantada por Tristeza. Damon coloca a cabeça da Imperatriz em seu colo e põe as duas mãos ao redor da cabeça dela. Da palma da mão de Diablair, uma chama sai. O líder encara Damon e nota que o vampiro parece estar prestes a desmaiar, porém continua inabalável. Sem hesitar, Diablair coloca a chama sobre a camada de pele levemente reconstruída. Damon solta um grito inumano, enquanto as veias de suas mãos ficam ainda mais saltadas e negras. A Imperatriz não emite um som de dor sequer. Blake, vendo a situação, passa atacar com ainda mais força a barreira que está rachada. As rachaduras começam a aumentar, assim como os gritos de dor de Damon.]

BLAKE (ofegante): CAIA, CACETE!

[Com seu último resquício de força, Blake perfura a barreira de Tristeza. O hunter corre na direção da família. Diablair apaga a chama de sua mão. Os gritos de Damon cessam. Ouve-se somente a respiração da Imperatriz e os ecos da batalha da Trindade. O vampiro cai para trás desacordado. Antes que Blake e Diablair pudessem falar algo sobre a situação, Rumpelstiltskin surge abruptamente ao lado de Blake.]

RUMPELSTILTSKIN (colocando a mão sobre o pulso de Blake, quebrando-o, e pegando a lança Sarissa em seguida): Vou pegar isso aqui emprestado, senhor hunter.

TORTURA (correndo do outro lado do campo de batalha): BLAKE!

VOZ DE FUNDO: Rumpelstiltskin se teletransporta mais uma vez e surge atrás de Tortura, que está com a guarda totalmente baixa. O duende, com um sorriso sádico no rosto e sem hesitar, perfura as costas de Tortura. Entretanto, para a surpresa de todos, o alvo atingido se trata de ninguém mais ninguém menos do que Diablair que, ao ver a sobrinha correndo na direção deles, prontamente se teletransportou para o local onde Tortura estava para protegê-la. As gotas da intensa tempestade tornam-se negras como piche, assim como o sangue que escorre da testa perfurada de Diablair. Tortura olha para trás em câmera lenta e solta um grito de horror ao ver o tio. Todos os demais estão atônitos, assim como Rumpelstiltskin. Diablair continua em pé, encarando o duende, mas está claramente morto. Antes que alguém pudesse reagir àquela ação, um vulto voou do outro lado do campo de batalha sobre o duende, lançando-o para longe. Era Ternura.

TERNURA (com seriedade): Tio Diab, eu sei que pode me ouvir. Volte a vida! Você não tem outra alternativa a não ser voltar para nós.

[A jovem aponta o dedo para Rumpelstiltskin, que está se levantando do enorme buraco que se formou pela sua violenta aterrissagem.]

TERNURA (com desprezo): E você, maldito, já que gosta de truques sujos, eu vou te ensinar umas coisinhas que aprendi com meu antigo tutor na base do soco.

RUMPELSTILTSKIN (com deboche): Todos sabem que o elo físico fraco da Trindade é você, Ternura.

TERNURA (surgindo atrás de Rumpelstiltskin, pegando-o de surpresa): Você se acha muito bom, não é mesmo, Cassius?

[A jovem desfere um chute na lateral da cabeça do duende, fazendo com que o corpo dele voe novamente, mas dessa vez, sem a cabeça.]

TERNURA: Mas eu tenho uma notícia para te dar, traidor: em quesito de força, ninguém nesse campo de batalha é mais forte do que eu. Vou te bater até você virar purê, maldito!

DIABLAIR (arrancando a lança da testa): Francamente, essa menina precisa aprender ofensas mais nocivas.

VOZ DE FUNDO: O que ocorreu no campo de batalha a seguir, foi considerado um acontecimento lendário. Ternura, sem utilizar nenhum poder mágico, lutou de mãos limpas contra Rumpelstiltskin, que ora contra-atacava, ora tentava se proteger. Apesar do poder de regeneração do duende ser extremamente rápido, ele teve dificuldade em escapar dos golpes mortais da jovem. Mesmo sendo vidente, ele jamais pensara que o elo forte da força física da Trindade fosse justamente Ternura. Ele a havia subestimado e começou a temer que tinha planejado sua estratégia de batalha contra a Trindade erroneamente. Bem longe do campo de batalha, os hunters subordinados de Blake terminavam de evacuar os civis e conseguiam ouvir os golpes de Ternura. Até os dias de hoje, contam que o barulho dos golpes dela e dos relâmpagos que rugiam no céu, tinham a mesma intensidade sonora, como se cada soco fosse uma condenação dada pelo Martelo da Justiça da Deusa.

FIM DA DÉCIMA PRIMEIRA CENA.

❖❖❖
Notas de Rodapé

¹ Sarissa era uma lança de 4 a 7 metros utilizada por exércitos da Grécia e Macedônia antigas. Foi introduzida por Filipe II da Macedônia, utilizada na tradicional formação de falange, substituindo a antiga dory, que era consideravelmente menor.

Apreciadores (1)
Comentários (1)
Postado 13/09/21 01:16

Certeza que a Imperatriz pulou no Blake enquanto dizia - ao menos mentalmente - o quão irritada ela estava por ele não ter um celular quando ela precisou de um portal! kkkkkkkkkkkkk

Vamos por partes! Meu coração não aguenta tanto. (Literalmente, pelo que estou lendo! Socorroooooo)

Olha, eu quase gritei aqui quando soube que a Imperatriz sangrou. Pelo sangue da Deusa, que solução macabra e maravidivaaaaaaaa! Daí, do nada o Diab chamou o Damon de besta e eu comecei a rir sem parar. Brinis, s[o você!

E o Blake? Todo poderoso, mostrando para o tio Diab que ele não é de brincadeira. Adorei!

Mano, não sei como lidar com o fato do Damon estar quase morrendo de dor. Brina minha, quando você disse que os capítulos anteriores seriam um pingo de felicidade antes de todo o caos, eu nunca imaginei que ficaria tão agoniada. Que a Deusa proteja essas almas.

Mano, quando o tio Diab "morreu", eu juro que pensei: Ta bom que ele vai morrer com algo assim... TA BOM! Tio Diab só pode morrer de ataque cardíaco causado por uma sobrinha. Nada, fora isso, mata o homem mais brabo da Família Infernal! kkkkkkkkkkkkkkk

Esse duente já esgotou a paciência de todo mundo! Eu espero que o fim dele seja maravilhoso e, quem sabe, que a Imperatriz consiga os olhos. Custa nada sonhar, né?

Brinis, você é Divina! Estou amando nosso mundinho! <3

Outras obras de Mrs Black

Outras obras do gênero Ação

Outras obras do gênero Aventura

Outras obras do gênero Comédia

Outras obras do gênero Drama