nem todo o espaço sideral
Fumaça Azul
Tipo: Lírico
Postado: 31/08/21 22:12
Gênero(s): Poema
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 47seg a 1min
Apreciadores: 3
Comentários: 2
Total de Visualizações: 140
Usuários que Visualizaram: 5
Palavras: 126
[Texto Divulgado] "Deusa Solidão" Sinopse
Livre para todos os públicos
Capítulo Único nem todo o espaço sideral

Seus olhos brilharam mais que siriús,

curando de meu coração todos os vazios.

Era incomparável a habilidade que você exalava

De curar as dores sempre que falava

Era inevitável te amar.

E eu te amei. A ponto de me entregar.

E mesmo depois do fim

Não sentia que foi algo ruim.

Dentre todas as faces que vi

A sua foi a única que jamais esqueci

Nem toda a tortura mental

Te apagaria do meu sistema cerebral.

Porque

Era inevitável te amar

E eu te amei, como amei, a ponto de me entregar.

Jurei que jamais amaria alguém assim

E essa promessa eu mantive até o fim.

Virei poeira branca a flutuar pelo universo

Mas não esqueço o amor em forma de verso

Que a você dediquei.

❖❖❖
Apreciadores (3)
Comentários (2)
Comentário Favorito
Postado 04/09/21 23:28

Sempre apaixonada por tudo que você escreve <3

Postado 18/09/21 18:32

É difícil dizer o quanto esses versos me tocaram, quiçá expressar através das palavras o quanto me encontrei neles. É incrível como somos seres destinados, em algum momento de nossas enfadonhas vidas, a nos entregarmos e amarmos muito alguém que em algum momento vai embora. Alguns pessoas são a representação mais alta do amor que já passaram por nós e é por isso que torna-se tão difícil esquecer as marcas que elas deixam em nós.

Obrigada por compartilhar conosco essa obra tão querida e reflexiva!

​Parabéns, Thais ♥

Postado 21/09/21 19:53

Obrigada, Sabrina. Os seus comentários são sempre lindos e dão um quentinho no coração <3