Xujo
Victoria C
Tipo: Conto ou Crônica
Postado: 28/10/22 11:34
Editado: 31/10/22 07:54
Avaliação: 9.8
Tempo de Leitura: 8min a 10min
Apreciadores: 5
Comentários: 5
Total de Visualizações: 302
Usuários que Visualizaram: 11
Palavras: 1281
Este texto foi escrito para o concurso "Crimes Macabros " Nesse Halloween, convidamos todos vocês a explorarem sua natureza macabra em uma clássica e sangrenta aventura! Queremos que dêem vida ao pior pesadelo, que façam sangrar as melhores ideias e que elas encham o inferno o suficiente para que os mortos passem a andar na Terra! Ver mais sobre o concurso!
Não recomendado para menores de dezoito anos
Capítulo Único Xujo

"Um sentimento que era um misto de horror e remorso; mas não passou de um sentimento superficial e equívoco, pois minha alma permaneceu impassível."

- Edgar Allan Poe

XX/10

02:30

Acordo ofegante e passo a mão sobre o meu rosto que está molhado e frio. Estico o meu braço direito para apalpar o outro lado da cama, mas não há nada nem ninguém lá.

Levanto e abro a porta do quarto, caminho sem fazer ruídos até a escada, consigo ver uma luz azulada no andar inferior, a televisão deve estar ligada. Desço silenciosamente os degraus da escada e antes de pisar no último o vejo sentado no sofá com as costas viradas na minha direção, a televisão exibe o noticiário da madrugada que emite mais uma atualização sobre o serial killer, ou como o apelidaram, Xujo. Eu ouvi alguém falar na fila do supermercado na semana passada que isso significa “quebra-cabeça” em algum idioma que eu não conheço.

Ainda não o encontraram. Olho novamente para a figura que mantém seus olhos fixos na tela e subo as escadas ainda com o corpo voltado para frente. O meu coração dispara, alcanço a porta do quarto e entro, deito na cama e fecho os meus olhos. Mas essa noite eu não irei dormir.

DOCES OU MORTES? XUJO, O ASSASSINO DO HALLOWEEN

"No início de outubro, mortes começaram a assolar a pequena e pacata cidade do Condado. O assassino do Halloween ronda as ruas escuras em buscar da sua próxima vítima. Já contabilizaram mais de oito mortes de autoria do serial killer. Testemunhas afirmam que se trata de um homem, com estatura mediana e que usa uma máscara branca de porcelana que cobre todo o rosto e um capuz preto, dificultando assim uma identificação mais precisa.

Os investigadores da delegacia de homicídios afirmam que estão averiguando se há câmeras que tenham captado imagens do assassino, mas até o momento a população padece com a ausência de informações.

O que aterroriza a população é o modo brutal e frio como as mortes ocorreram. Todos os corpos são desmembrados e ao lado é encontrada uma mensagem feita com colagens de revistas com a seguinte frase: junte as peças. Os membros dos corpos de três vítimas ainda não foram encontrados.

A polícia recomenda toque de recolher após 19h00. Parece que para esse Halloween teremos apenas travessuras.”.

XX/10

Desde a repercussão dos assassinatos ele acompanha cada notícia, cada nota que emitem sobre o assunto. O estranho é que eu me sinto cada dia mais nervosa. No pequeno armário amadeirado do banheiro pego a caixa com as pílulas que a minha médica receitou, ela disse que eu me sentirei menos agitada tomando uma diariamente ao acordar. Engulo quatro de uma só vez e as sinto rasgando a minha garganta.

No andar inferior, mais uma vez o vejo lendo notícia no tablet, na pequena mesa de centro da sala de estar, um quebra-cabeça inacabado foi deixado de lado, ele me olha de soslaio e sorri de canto, desliga a tela e se move até a cozinha, abre o armário de forma vagarosa e pega uma faca grande, caminha na minha direção e me abraça por trás, o meu corpo fica rígido, tento parecer impassível enquanto ele coloca a faca na minha mão e aponta para a bancada, vejo algumas frutas e lembro que as prometi cortar.

O meu corpo de move até lá e enquanto estou inclinada sobre a bancada cortando as frutas, ele coloca um prato de porcelana azul ao lado para que eu organize os pedaços. Os meus olhos se fecham involuntariamente e quando abro, os seus lábios se movem, mas eu não consigo ouvir nada. Parece que tudo está silencioso.

01:00

Um barulho estridente me faz saltar da cama. A madeira gelada sob meus pés me faz estremecer, olho para a cama e ela está estranhamente vazia. Isso faz o meu coração acelerar novamente, sinto a minha boca seca. A minha mente emite um alerta pedindo para eu voltar para cama e fechar os olhos. Mas eu não posso.

A minha mão esquerda vai instintivamente até a maçaneta, abro lentamente e aquele barulho que me fez acordar parece estar mais alto. Ele está vindo do sótão, volto a minha cabeça para cima, consigo ouvir os passos acima da minha cabeça, porém por alguns segundos tudo fica silencioso. Levo as minhas mãos até a boca e prendo a minha respiração, ando o mais rápido possível até o quarto e vou direto para a cama. Tento me acalmar, antes que ele descubra que estou desconfiando de algo. Eu preciso fazer algo. Talvez ele venha atrás de mim.

31/10

08:00

A casa está metodicamente silenciosa, sinto um braço em cima do meu corpo quando tento sair da cama. Consigo me desvencilhar e vou ao banheiro. As pílulas acabaram, mas hoje eu comprarei mais. Sinto-me mais lúcida, talvez eu estivesse apenas imaginando.

Desço até a cozinha e preparo o melhor café da manhã, enquanto ouço o noticiário na televisão, ao que parece o até então serial killer, Xujo, não foi mencionado, um suspiro de alívio invade o meu pulmão. Sorrio e desligo o aparelho.

Em uma bandeja de metal coloco o café da manhã e uma rosa quase seca que encontrei na janela da cozinha. Subo as escadas e antes de entrar no quarto olho para a entrada do sótão, até então era um escritório de um jornalista investigativo em ascensão.

Entro no quarto e coloco a bandeja no canto da cama. Eu o toco, as partes do corpo separadas, porém as coloquei juntas como um quebra-cabeça finalizado, mas a pele permanece inerte e fria, os olhos estão voltados para mim, ainda abertos. Caminho até o armário do banheiro e por trás do fundo falso, eu retiro a máscara de porcelana, gelada e rígida, parece combinar com o corpo. Antes de sair do banheiro olho para o meu reflexo, o meu corpo e a minha roupa antes branca está completamente vermelha, levo a ponta do meu dedo polegar até os lábios e tento sugar um pouco, mas já se formou uma crosta, apenas o cheiro metálico emana de mim.

Com a máscara em mãos, coloco-a sobre o rosto dele e penso que talvez eu devesse dar uma pausa. Esse é o momento perfeito para um bom recomeço. Parece que o meu Halloween será doce.

Três horas antes

Desço a escada e arrasto os meus passos até a cozinha, abro a geladeira e a luz da máquina preenche o cômodo escuro. Pego uma garrafa com água e bebo todo o conteúdo.

Antes de subir verifico todas as portas e janelas. Xujo ainda não foi capturado. Como jornalista, eu preciso encontrar o assassino, mas não temo a minha vida, mas sim a dela. Após verificar tudo retorno ao quarto, sinto o meu corpo pesado e uma letargia crescente. Os meus olhos logo se fecham quando deito ao lado dela.

A minha cabeça dói. Olho para o lado, mas ela não está, tento chamá-la, mas a minha boca não abre e agora percebo que os meus braços e pernas estão amarradas. A porta do banheiro se abre e uma figura mediana aparece com um capuz e uma máscara de porcelana. Eu preciso de ajuda! Tento gritar, forço a minha boca a abrir, mas percebo que ela foi costurada, uma dor lancinante percorre cada parte do meu corpo.

Xujo está me observando. Ele se abaixa e apanha um machado, levanta-o sobre a cabeça e abaixa, duas vezes. Quando ele retorna para me olhar vejo na sua mão uma das minhas pernas, o meu corpo entra em choque, a adrenalina diminui e começo a tremer. Ele retorna com o machado, levanta-o e agora mira no meu pescoço.

❖❖❖
Notas de Rodapé

Agora eu convido vocês a montar o quebra-cabeça. Xujo significa de fato "quebra-cabeça", mas cabe a vocês descobrirem o idioma. Ah! E também descobrirem o assassino da história. Ficou confuso? leia bem as entrelinhas.

Apreciadores (5)
Comentários (5)
Postado 28/10/22 15:07

Isso sim é um incrível plot twist. Por fim o temor não era de o cara ser o assassino, mas dele descobrir que o personagem principal era! (Acho isso, não sou uma jornalista investigativa muito boa)

Achei impecável e vejo como um concorrente quase implacável para o concurso desse ano.

E, pedi ajuda para o sr.google, xujo é quebra-cabeça em somali (muito criativo o nome e a ideia)

Simplesmente lindo, perfeito, impecável e tudo de bom.

Postado 28/10/22 16:45

Muito boa a sua teoria, mas esse não é o único mistério hahahha.

Obrigada pelo comentário e fico feliz que tenha gostado!

Postado 29/10/22 17:19

Simplesmente adorei como você desenvolveu essa narrativa. É fato que a senhorita é a mestra do mistério desse antro e é sempre um deleite me aventurar na leitura das obras, pois elas sempre explodem a minha cabeça de tanta teoria.

Obrigada por compartilhar conosco! Boa sorte no concurso!

​Parabéns ♥

Postado 08/11/22 22:34

Ahhh fico feliz que tenha gostado. Muito obrigada ♥

Postado 30/10/22 00:45

Talvez eu tenha viajado muito? Talvez, mas a minha teoria bizarra é a seguinte: Xujo realmente é homem. Ela descobriu as coisas que ele fazia e, por causas da pílulas e da loucura (ou simplesmente para não ser a próxima), fez com ele o que ele fez com as vítimas. Basicamente é como se fosse a última parte do quebra-cabeça. Ainda pensei que ele poderia ser uma pessoa abusiva com ela. Só viagens da minha cabeça, sei lá.

Um texto muito bom e muito intrigante.

Parabéns e boa sorte no concurso.

Postado 02/11/22 17:43

Todas as teorias são ótimas hahaha mas como eu disse, as entrelinhas já revela tudo (ou não).

Obrigada!!!

Postado 16/11/22 16:28

Querida Victoria C... Que tiro foi esse?!

Eu adorei essa obra do começo ao fim, todo o quebra cabeça e o mistério que envolveu a trama do início ao fim, me deixou confusa no final, meditando em silêncio... Mas tenho certeza que essa era a intenção. Fazer o leitor desprevinido ficar biruta: Quem é o assassino? Sou eu? É ele? Quem está caçando quem?

Que obra bem escrita, bem construída, desde o nome do assassino até a forma como as informações vão sendo dispostas... Maravilhosamente macabro.

Obrigada por participar do nosso concurso, os resultados sairão em breve, fique atenta.

Beijinhos,

Seis.

Postado 15/12/22 12:32

Obrigadaaa <3

Postado 04/01/23 00:18

Oh, Lúcifer... Que obra excelsa foi esta que acabei de ler? Ouso dizer que este tipo de narrativa é um tanto rara aqui na academia e foi um verdadeiro show e aprendizado para nós, leitores! Meus mais sinceros parabéns!

Confesso que minha capacidade dedutiva/interpretativa nunca foi das melhores e isso só tem piorado com o passar do tempo, mas vamos lá.

Minha versão: o jornalista investigava Xujo sem saber que, na verdade, quem cometia os crimes era sua companheira. Ela, temendo ser descoberta, acabou por matar o seu affair após dopá-lo com os remédios que ela tomava (talvez para suprimir seus impulsos assassinos ou algo assim) antes que o mesmo suspeitasss dela.

O modo como esta obra foi narrada é algo muito interessante e inteligente, um verdadeiro esmero que nos cativa e instiga do início até o estarrecedor final. Muito bom, muito bom mesmo! Parabéns por esta obra de arte!

Atenciosamente,

Um ser que adora quebra cabeças que sangram, Diablair.

Outras obras de Victoria C

Outras obras do gênero Mistério

Outras obras do gênero Suspense

Outras obras do gênero Terror ou Horror