Pai
Diablair
Tipo: Lírico
Postado: 14/08/16 07:49
Editado: 14/08/16 07:51
Gênero(s): Drama Reflexivo
Avaliação: 9.5
Tempo de Leitura: 25seg a 34seg
Apreciadores: 19
Comentários: 9
Total de Visualizações: 443
Usuários que Visualizaram: 32
Palavras: 69
[Texto Divulgado] "O amigo de castigo" Uma amizade não tem que ser um mar de rosas, ela pode ter começado de uma desavença mesmo.
Livre para todos os públicos
Notas de Cabeçalho

"OFF (do site e de todo o resto)". Sim, eu disse isso.

Todavia... Senti que precisava fazer isso, mesmo depois de tanto tempo...

Capítulo Único Pai

Um amigo a ajudar.

Um apoio ao qual recorrer.

Um mentor para guiar.

Alguém com quem aprender.

Um pouco do sorriso,

Da paz e da convicção:

Enterrei tudo isso

Junto com o seu caixão.

Neste domingo, a batida do coração

É um misto de tristeza e dor:

Ferida mal curada.

Nesta data, em vez de comemoração,

Restam as lembranças e lições do senhor

Para nortear o restante da jornada...

❖❖❖
Notas de Rodapé

Perdão por retribuir tanto com tão pouco... E muito obrigado por tudo, pai.

Apreciadores (19)
Comentários (9)
Comentário Favorito
Postado 14/08/16 15:33

Diablair...

Cada palavra carregada tão profundamente de sentimentos tão tristes...

Não importa quanto tempo passe, uma pessoa tão importante para nós, nunca sairá de dentro de nós...

Dói tanto ler esse poema, mesmo que eu ainda tenha meu pai aqui, junto de mim, pois sei que tudo um dia acaba, e que não podemos controlar isso por nós mesmos, o tempo é o único senhor do nosso destino...

Meu querido, meu mais que amigo, queria tanto poder te abraçar agora... um abraço daqueles que chega até a doer de tão apertado, mas que é ao mesmo tempo tão suavemente pesaroso quanto as tristes batidas de nossos corações...

Sinceramente, quando li as notas de rodapé, não consegui controlar o marejar de meus olhos, e o aperto na alma... foram as palavras mais tristemente melancólicas carregadas de sentimentos que eu já li...

My The One... mesmo tão longe, sinta-se fortemente abraçado por mim...

Sua Meiling...

Postado 16/08/16 04:45

Meiling...

Eu aceito e retribuo seu abraço na mesma intensidade, proporção e intenção. E do que me resta de coração, eu agradeço por tamanha consideração e carinho por algo como eu...

The One of mine, faço minhas as suas palavras: a despeito da distância, sinta-se forte, terna e pesarosamente aninhada em meus braços. E não tema pelo Fim: ao invés disso, desfrute do que quer que ainda lhe resta de tempo. Em tudo e com todos que lhe forem importantes.

Não cometa o mesmo erro que eu.

Mais uma vez, muito obrigado....

Postado 14/08/16 10:44 Editado 14/08/16 10:45

Poesia bonita. Curta, porém profunda. Pelos seus textos que já li, acho que poderia fazer algo maior, mas não foi necessário. Escolheu as palavras certas, conseguiu passar a mensagem, o sentimento. Gostei das rimas. O texto fluiu bem, assim não ficou tão pesado. Não tenho muito o que comentar, mas ficou ótimo, pode acreditar. Parabéns pelo poema!

Obs: a segunda estrofe foi forte. Forte, mas muito linda.

Postado 16/08/16 04:36

Quando se externa uma ferida de cunho pessoal em palavras, prolongar se torna difícil... Ainda bem que com apenas a estrutura de um soneto consegui, ao ver da senhorita, transmitir uma parte satisfatória de tudo isso...

Muitíssimo obrigado, Srta Aye.... Gratíssimo!

Postado 14/08/16 13:51

Me emocionei com esse poema

Ele traduziu tudo que eu sinto nesse dia de hoje

Parabéns por criar algo tão profundo e emocionante

Postado 16/08/16 04:32

Muito obrigado, Srta Gabi... E sinto muito. De coração, lamento...

Postado 15/08/16 16:39

Parabéns pelo texto, Diab.

Postado 16/08/16 04:30

Muitíssimo obrigado, meu ilustre amigo!

Postado 17/08/16 13:47

Não sei nem o que comentar. Embora curto, cheio de sentimentos. Realmente não sei o que dizer além de que ficou muito bonito. Meus parabéns!

Postado 18/08/16 04:34

E eu não sei como lhe agradecer pela sua leitura e feedback, Srta Hêndria (Satã, que nome cheio de beleza e classe! Soa tão poderoso e único!)...

Muitíssimo obrigado, de todo o meu pútrido e retorcido coração! Gratíssimo!

Postado 23/08/16 23:23

Doeu.

Eu não entendo nada sobre relações familiares, nada além do carinho que se pode ter com irmão e talvez com primos (?), mas, sabe, esse doeu. É como se eu tivesse sentido todo o peso do carinho que não foi contínuo até o momento que o texto foi escrito.

Diab, que texto. Quero dizer que esse texto é algo maravilhoso, mesmo que não seja maravilhoso por se trater de um conteúdo lindo ou fofo, mas pelos seus sentimentos nele colocados.

Postado 24/08/16 12:35

Eu lhe agradeço do que me resta de coração por cada palavra, Julia.

Sério.

Muito obrigado...

Postado 19/11/16 13:52

Adoro a profundidade de tuas palavras, Last Friend. Sou apreciadora de tuas poesias. Meus parabéns!

Postado 04/12/16 09:42

Eu quem agradeço imensamente prestigiar a mim e minhas obras com sua leitura, Srta Maria!

Gratíssimo, gratíssimo!

Postado 21/04/17 02:50

É curioso, mas totalmente compreensível a razão desta poesia ter me tocado, quisera eu ter um pai que me gerasse lembranças e sensações tão boas, às vezes me sinto mal agradecida, por ainda tê-lo mas não conseguir sentir tais coisas com a convicção que eu tinha antes sobre ele, o homem que finge ser meu pai. Isso foi maravilhoso, me fez remeter à minha infância, quando eu achava que um pai era só aquele que ficava no sofá, gritava para fazermos as coisas, voltava às 04h00 bêbado... E pra mim isso já era de bom tamanho, acontece que às vezes, a ignorância é uma benção e (in)felizmente, não sou um ser ignorante. Suas palavras são maravilhosas, esse sentimento é genuíno. Você surpreende. Sempre.

Postado 24/04/17 01:55

Srta Janeiro, perdoe-me.... Confesso que senti ímpetos de lhe dar um forte abraço ao ler tão soturnas palavras, pois o jugo delas em seu deleitável coração é algo que nåo tem como não sentir também, ainda que somente uma pálida impressão do que de fato tudo isso é para a senhorita.

Eu realmente lamento e agradeço de todo o meu maldito e apodrecido coração.

Surpreendente é outro de seus atributos, creia-me...

Postado 24/04/17 03:09

Nem me lembrava de ter comentado abrrrrrinnnndo minha alma. A madrugada me deixa loca. HAHAHA, eu é que agradeço por ler este texto lindo!

Postado 24/04/17 03:15

Escancarou-a, na verdade... E a isso agradeço de coração.

Eu aceito, admiro e desejo toda a sua loucura, Srta Janeiro... Saiba disso.

Postado 24/04/17 03:17

E isso me felicita muito! HAHAHAHA

Postado 24/04/17 03:23

Juro por Satan que li outra coisa... Mas, ambas as leituras me apetecem intensamente!

Sempre ao seu dispor, senhorita. Sempre.

Postado 05/05/17 14:54

Eu nunca tinha coragem de ler esse texto, mas como hoje eu não tô no meu normal (se é que eu um dia estive) decidi ler e... É, eu realmente não entendo nada do que você escreveu. Pelo menos não como todo mundo aqui ou sei lá. É um texto bem bonito moço e deve ter um significado bem legal para os que entendem desses assuntos paternais.

Postado 05/05/17 23:01

Geralmente é muito difícil e estranho imaginar a senhorita com receio de ler algo meu que não seja perverso. Mas, neste caso em específico, compreendo... É realmente complicado quando envolve certos assumtos...

Muito obrigado por ter lido a despeito de tudo isso, Moça! Quisera eu ter esta pré-disposição em arriscar e superar! A senhorita é foda!

Gratíssimo! Gratíssimo!