Súcubo do Oceano
Ozymandias
Tipo: Lírico
Postado: 11/11/16 21:46
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 1min
Apreciadores: 9
Comentários: 2
Total de Visualizações: 334
Usuários que Visualizaram: 13
Palavras: 172
[Texto Divulgado] "Descartável" Sabe, eu costumo fazer uso da escrita para desabafar, às vezes da fala também (mas não se pode falar por aqui). A questão deste poema é justamente esta: por que diabos você nem ao menos me escreveu adeus? Foi um descarte, como se o ser humano fosse descartável. Talvez aqui fique, já, uma ressalva: Não confunda às coisas, você não pode comprar tudo. E mais uma lembrança: O ser humano sente! (Parece óbvio, não?) Mas, acredite, há pessoas que parecem ter dificuldades de compreender isso. Boa leitura :*
Livre para todos os públicos
Notas de Cabeçalho

Fazia tempo que eu não escrevia, e nunca tinha participando de um Desafio Quinzenal antes aqui no site, mas esse tema acabou me inspirando, então aqui vamos nós... :)

Espero que gostem da leitura ^^

Capítulo Único Súcubo do Oceano

Ó, linda mulher sobre a rocha

Se assim me permitir chamá-la

Teus cabelos rubros me conquistam

Teus lábios rosados me apaixonam

Teu sorriso discreto me enfeitiça

O timbre de teu canto me anseia

E a beleza de teus seios me encanta

Ó, bela sereia que nada até mim

Se assim for mais apropriado

Pega-me pelos braços e me leva

Me provoca, incita e então nega

Para me atrair às profundezas

Do mundo azul onde sossegas

Me tire o fôlego, me embebeda

Ó, sedutora assassina

Se for esta tua intenção

Me fascina e me deixe sem respirar

Me carrega para o fundo deste mar

Finja que me ama e me deixa te amar

Me mata e me faz me arrepender

Por não ter me atirado logo assim que vi você

Ó, Súcubo do Oceano

Pois assim que ei de lembrar-te

Te permito destruir meu corpo

Trate de acabar com minha vida

Não esqueça de consumir minha alma

Pois mesmo sabendo que você me envenena

Te ter por este segundo faz valer a pena

❖❖❖
Apreciadores (9)
Comentários (2)
Comentário Favorito
Postado 17/11/16 12:06

Dan, seu safadão.

Já que eu tenho isso copiado, vou colar: ( ͡° ͜ʖ ͡°)

Hahaha.

Aquela tentação complicada de lidar sempre faz com que façamos algo que nos deixe em situações não tão favoráveis. Essa grande força exercido pelos desejos sempre é perigosa, se não for controlada.

E como o texto mesmo diz:

"Pois mesmo sabendo que você me envenena

Te ter por este segundo faz valer a pena"

E se vale a pena, ninguém pode dizer que ser levado pelas nossa vontades está errado.

Grande texto. Parabéns!

Postado 17/11/16 17:57

Foi realmente esse conflito psicológico entre o que vale a pena ou não que eu quis trabalhar no poema, Chico, assumindo a posição que descreveste.

Diferente de outras histórias com esse tema, em que os homens enfeitiçados pelas sereias não fazem ideia do destino que os aguarda, o personagem aqui sabe que a moça lhe levará a morte, mas opta por se entregar ao desejo ainda assim, pois estar em seus braços por aquele segundo... Valerá a pena.

Obrigado pelo comentário! :)

Postado 16/01/17 23:57

Sabe, gostei da narração dele falando já sabendo do seu destino e, mesmo assim, o querendo. :D

Postado 18/01/17 21:48

Essa foi a ideia hehe. Obrigado pelo comentário, Julih ^^