A Pessoa mais Triste do Universo
Alien
Tipo: Lírico
Postado: 17/11/16 23:07
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 3min a 4min
Apreciadores: 11
Comentários: 6
Total de Visualizações: 364
Usuários que Visualizaram: 16
Palavras: 528
[Texto Divulgado] "Flashback" Ela me puxa para um beijo e me abraça forte, eu não consigo nem pensar em ir embora dos seus braços quentes e cheios de carinho.
Não recomendado para menores de doze anos
Capítulo Único A Pessoa mais Triste do Universo

A pessoa mais triste do universo

poderia ser eu ou você

essa tem a pele clarinha como leite condensado

é loira, magra, tem olhos bonitos também

altruísta que só, deve nada a ninguém

mesmo assim, Zé

ela simplesmente não tem paz

escondida no quarto com uma garrafa de café

não fuma, não fode, não dá no pé

desse mundo tão desgostoso para ela

que é tão linda e sorri tão pouco

irritada com os sorrisos que ela recebe

safados ou de deboche

os tão odiados fantoches

não entendem o porquê de uma moça tão bonita ser tão esquisita

ela não fica e nem namora, acredita?!

só pode que sai com cinco ao mesmo tempo escondida

falara Patrícia, a vizinha fofoqueira

irritada com a moça triste

por atrair olhares do namorado seu

olhares esse que a outra sequer percebeu

e só pensou ser odiada pelo de sempre

ser um nada

ou talvez por não parecer um outdoor ambulante

fazendo campanha pra Hollister e Adidas de graça

não parecendo uma consumista-palhaça

usando só roupas práticas

por ser mais rápido e mais simples

já que na correria do dia-a-dia

o tempo da maquiagem vira café à mesa

e na escolha entre massa corrida e real beleza

a moça nunca teve dúvidas

discutir a previsão do tempo, com certeza!

Para depois sair rumo aos estudos

caminhando em meio a incertezas

com o fone de ouvido mudo

só ouvindo essas incertezas

de um mundo surdo e mudo

em meio as buzinas, freiadas, gritos

o que será que o eu deles do passado pensaria disso tudo?

ela não faz ideia

não conhece outro mundo

um que não faça robôs com ideias

e muito menos guerras com elas

para ela, deveriam ser feitos pães

para matar a fome das crianças

ao invés de armas para torná-las órfãos

em pessoas, as próprias desconfianças

da humanidade do ser humano

assim como a tal moça

que em todo dia um de janeiro está chorando

um pranto sem lágrimas ou vermelhidão no rosto

choro mudo

porque os anos passam e a gente só evolui

no caminho para o fundo do poço

uns só esperando Jesuis

e outros só cuidando do próprio couro.

o que talvez dê na mesma

nenhum deles reconhece o real tesouro

o poder da mudança

que nós, os supostos animais racionais

temos

porém sempre abdicando dele

em prol de nossa pança

cada vez maior

como a porcentagem de costelas aparecendo nas crianças

dos lugares esquecidos

ótimos cenários de filmes de drama

a entreter nós bacanas

com o sangue de nosso próximo

a tristeza, tão encantadora ela

vou te falar, acabou matando a moça

ela morreu deitada em sua cama

enquanto dormia e ninguém sabe ao certo por que

ela não tinha fama

não aparecia na TV

então ninguém moveria um dedo para saber

que comendo uma banana, ninguém decide simplesmente morrer

fatalide ou crime, eis a questão

em um quarto escuro, não se vê o rosto inchado de alguém

como tampando os ouvidos não se ouve o sussurro

de alguém que não tem voz pra gritar

que está em cima do muro

e que ele pode desabar

a qualquer momento

menos de um minuto

tudo acabar.

❖❖❖
Notas de Rodapé

Me inspirei numas moças que tem um projeto bacana no Facebook.

Apreciadores (11)
Comentários (6)
Postado 18/11/16 00:21

WOW

Que texro incrível, Beatriz, simplesmente, incrível!

Olha, não sei se poderia me identificar mais do texto ideologicamente, é tão triste ver que as pessoas estão cada vez mais presas em um estresse interminável, não é preciso de quase nada para alguém explodir e querer descontar nos demais. É triste ver essa onda de ódio, inveja, superficialidade ou seja o que for, mas, apesar de tudo, creio que estamos avançando, mesmo que a passos curtos. As pessoas que não se importavam, continuam a se importar, apenas estão demonstrando nesses dias, mas acredito que as pessoas que se importam umas com as outras vão aumentando todos os dias, é triste que tenhamos que ver o lado negro de muitos para melhorar a nós mesmos e ter certeza do que não queremos ser, mas se há alguma essência única em que as pessoas fazem o máximo uma pela outra, eu acredito que estamos no caminho dela.

Meus muitíssimos parabéns pelo texto, está excelente! ^^

Postado 18/11/16 13:18

Acho que tudo é culpa dos prazos absurdos, pressa, enfim, coisas que deixam as pessoas "maluconas". Um exemplo é o Enem, parece que perder o exame ou ir mal é o fim do mundo.

Que você esteja certo sobre avançarmos!

Muito obrigada :)

Postado 18/11/16 07:35

Incrível seu texto. Estou um tanto sem palavras para comentar. Mas enquanto lia, comecei a sentir uma onda de desconforto sabe? Daquele tipo que a gente sente quando alguém nos conta algo que já sabíamos mas que não temos o costume de adimitir com frequência? É como dizem: a verdade dói.

Simplesmente definitivo. Sim, essa é a palavra. Um texto definitivo, sobre uma realidade mascarada. Parabéns, muito bom mesmo!

Postado 18/11/16 14:11

Sim, sei. O início inclusive é sobre isso, o escrevi depois :/

Muito obrigada, moça :)

Postado 18/11/16 14:44

Cheguei tarde, acho que as falas anteriores resumem bem o que também penso, enfim, belíssimo poema, continue nos agraciando com suas obras!

Postado 19/11/16 18:58

Aaah, muito obrigada! :)

Postado 22/02/17 20:51

Simplesmente sincera, há grandiosidades entornáveis e que poucos admitem. Parabéns, sinceramente, incrível!

Postado 23/02/17 13:08

Acho que todo o sentido dos versos está na emoção. Nem que ele fuja das normas...

Muito obrigada! :D

Postado 01/05/17 20:20

Tenho que admitir, imergi nas palavras como não costumo fazer. Está de parabéns pelo poema, pela forma como desenvolveu os versos e tudo o mais. Me proporcionou um excelente momento! :)

Postado 02/05/17 15:06

Fico muito feliz com isso! Porque realmente foi inspirado no que eu falei ali em cima.

Muito obrigada! :D

Postado 20/11/17 16:43

É realmente impressionante como nos desgastamos com as coisas mais banais. Este poema me mostrou o quanto pode ser perigoso viver uma rotina de cansaço e estresse constante. No meio do caos, devemos dar espaço para a alma respirar, olhar a vida em sua plenitude e se deixar levar pelo vento. É triste ver que algumas pessoas se doam mais para momentos findos, do que para as coisas que valem a pena.

O poema realmente nos faz refletir sobre muitas coisas, meus parabéns!

#ad01 - 78/98

Postado 22/11/17 18:55

A quantidade de tempo que a gente gasta para fabricar um personagem...

Que bom! :D E muito obrigada!