Aurora
Yvi
Tipo: Lírico
Postado: 05/12/16 14:17
Editado: 17/04/21 14:20
Gênero(s): Poema
Avaliação: 9.64
Tempo de Leitura: 1min
Apreciadores: 10
Comentários: 7
Total de Visualizações: 1017
Usuários que Visualizaram: 17
Palavras: 200
[Texto Divulgado] ""
Livre para todos os públicos
Capítulo Único Aurora

Talvez eu devesse te lembrar

Que o eterno não deve durar

O tempo que você desejar

O fim realmente existe

O “Para sempre” não persiste

E eu sei que pode ser um pouco triste

Mas a verdade deve ser dita

E, embora você não admita

A morte em ti habita

Quando seu filme ao fim chegar

De nada vai adiantar se apavorar

Pois, querendo ou não ela vai te arrastar

Oh, não há motivos para ansiedade

Você deve aproveitar a sua eternidade

Como se sempre houvesse continuidade

E, quando for a hora

Talvez aqui, talvez agora

Minha pequena e graciosa Aurora

Lembre-se do conselho que irei te dar:

Ela tu deves abraçar

E, como uma velha amiga, cumprimentar.

Voe para a eternidade

Seja grande, vossa majestade

E, acima de tudo, não tenha piedade

Aproveite muito bem a sua morte

Pois, você é uma garota de sorte

Então, não se importe

Apenas ignore a tristeza

Abandone sua preciosa leveza

Esqueça toda aquela gentileza

Coloque um sorriso nesse rosto

Não permita que seu medo seja exposto

Massacre tudo e todos com muito gosto

Você foi um precioso e aguardado presente

Então, deveria ficar extremamente contente

E obedecer ao seu impiedoso mestre cegamente

❖❖❖
Apreciadores (10)
Comentários (7)
Comentário Favorito
Postado 05/12/16 19:34

E ei que surge o prenúncio do massacre...

Como já conversamos antrriormente sobre este texto e outras coisas além, não irei me repetir aqui. Mas, por "obedecer ao seu mestre cegamente", me veio à mente o próprio instinto assassino de Aurora a lhe guiar no lugar da voz da consciência que a maioria das pessoas tem dentro de si...

Abraçar e cumprimentar a Morte... Essa foi o trecho mais aprazível da obra, na minha modesta opinião. Espero que seus planos frutifiquem logo, moça! Parabéns pelo texto, é algo leve apesar do tema sombrio (ou eu que ando ficando macabro demais mesmo) e agradável de ser lido.

Um sussurro da Morte.

Atenciosamente,

Um ser de certo modo morto há tempos, Diablair.

Postado 06/12/16 14:16

Ou não... Ainda não sei se vou conseguir. T.T

Muito obrigada, moço! <3

Postado 08/12/16 21:42

Adorável. Se eu me feixasse levar pela criatividade toda vez que leio algo profundo como este, certamente teria dezenas de historias sebdo feitas ao mesmo tempo. Magnífica sinopse de algo...

Postado 09/12/16 13:27

Muito obrigada!

Postado 09/12/16 23:17

MUito bem escrito, como sempre, minha anjinha... e, devo acrescentar, que expusestes muito bem o sentido do eterno além... porém, nem a Morte é eterna, ;)

Postado 10/12/16 23:48

Muito obrigada, Alle! <3 :P

Postado 30/01/17 00:52

Cara, não sei se peguei completamente a ideia, mas, de fato, é incrível.

Mesmo sem pegar a ideia 100%, é incrível.

Como tudo que escreves <3

Postado 12/02/17 13:32

São só umas loucuras aí, Julih-fofosa-chan! Obrigada!

Postado 19/02/17 03:16

Isso foi tão intenso, tão real. Não sei se é a interpretação que você daria, mas, eu vi como se fosse uma das fadas da princesa Aurora, dando a ela um dom melhor do que dormir por cem anos e ser estuprada até parir gêmeos. A morte é um dom, a fada teria sido uma melhor madrinha se a tivesse abençoado com o dom de entender e suportar a morte, que não é a pior coisa da vida. Tocante. Brilhante. Me inspirou, se me permite, algum dia, quero escrever algo inspirado nisso, há muito eu não sentia algo tão grandioso, como ler este conto, me causou. Parabéns, você é maravilhosa. (Sou a louca dos contos de fada, por isso estou aluscinada sim!)

Postado 19/02/17 18:24

Nossa, grandioso foi o seu comentário! Muito obrigada! Claro que permito e já quero! u_u

Muito obrigada! <333

Postado 23/02/17 22:08

É um poema fofo, ao mesmo tempo que tem a sua marca sanguinária; uma belíssima junção de dois pólos totalmente diferentes a qual você consegue encontrar com - aparente - facilidade um ponto em comum, desenvolvendo-o de uma maneira brilhante. A maneira como você separou em duas partes também foi essencial.

É como se na primeira parte fosse um prelúdio; aquilo que estava destinado. Um aviso da vida para aquela sua amiga tão querida. E a segunda parte é o fim, o ápice da cena; os braços daquela que tanto almejava. É diferente a perspectiva que cria-se aqui; para mim é como se Aurora desejasse morrer, ansiava por isso... Ou seria por conta de como seria sua morte? Um massacre? Uma vingança?

Uma manipulação?

É como ver um nascer de algo brilhante, o princípio de algo que vai acontecer. Afinal, é como a segunda voz disse: Aproveite muito bem a sua morte. Seria ela um aviso, o começo, de um novo dia?

Faz jus ao nome, Aurora (no modernismo) também pode significar o princípio, as primeiras manifestações de algo. E aqui? É o que vamos descobrir depois.

Ótimo poema ♡

Postado 24/02/17 16:02

Ou não vamos... e__e Ainda não sei se vou continuar com essa loucura! x.x

Postado 07/12/17 21:35

'-' Essa eu já não curti muito... não parece vc .-.

Postado 08/12/17 00:58

É pq essa era algo grande. Grande a nível de livro, mas eu acabei jogando no congelador e postando só esse pedaço.