Como tudo começou (Em Andamento)
Shizu
Usuários Acompanhando
Tipo: Romance ou Novela
Postado: 15/01/17 15:18
Editado: 09/05/18 19:57
Qtd. de Capítulos: 17
Cap. Postado: 15/01/17 15:18
Cap. Editado: 09/05/18 18:54
Avaliação: 7.1
Tempo de Leitura: 3min a 4min
Apreciadores: 5
Comentários: 3
Total de Visualizações: 614
Usuários que Visualizaram: 16
Palavras: 521
[Texto Divulgado] ""
Não recomendado para menores de dezesseis anos
Como tudo começou
Notas de Cabeçalho

Os capítulos no íncio são curtos, visto que era para ser um rápidos e fácieis de ler... Mas tudo muda, HAHAAH.

Capítulo 1 Em um dia triste de chuva

Ao longo da existência humana diversas lendas contava "o começo de tudo", mas uma em especifico falava de um casal. Uma dama de negro e um cavaleiro de branco que amavam-se e, por isso, haviam fugido para o meio do nada em uma tentativa de recomeço.

Sem muitos devaneios começaram a construir juntos o que parecia um lugar seguro.

Iluminaram tudo o que conseguiram com bolas de fogo; brincaram de pintar manchas aonde desce vontade; fizeram guerra de planetas, os espalhando; e em algum momento dedicaram-se a um planeta pequeno.

Com suas mãos fizeram seres que eram para os dois: filhos. Os quatro primeiros eram gêmeos com funções muito importantes, em seguida ou nem tanto, deram aquele planeta uma fonte de luz para o dia e um refletor para a noite. Pensando muito mais além do presente, fizeram alguém que cuidaria dos demais planetas e continuar acender estrelas por tudo. Em fim, deram todas as suas forças para terminar o seu adorável planeta.

Foi quando tudo começou a desmoronar que separaram os sentimentos bons dos ruins... para nunca mais fazerem qualquer outra coisa juntos.

Decilhão de anos passaram para chegar em uma tarde de domingo chuvosa em que o céu chorava, como se algo muito terrível tivesse acontecido.

São tantos motivos esperando para serem criados; tantos significados para serem atribuídos; tantas escolhas para serem tomadas; tantos corações para serem quebrados, tantos humanos para serem corrompidos.

Em uma tarde de domingo, chuvosa e triste. Uma ponte determinada a atravessar um rio não muito largo, esperava ser terminada. Nesta, encontrava-se uma garota ajoelha, como se estive cansada de correr; de fugir; (ou talvez) de um "talvez". Cansada das possibilidades incertas, ela soluçava em pensamentos e chorava em cada batida.

Essa garota levou um susto quando uma voz que poderia ser um sussurro veio de trás.

– Você está bem...? – perguntou, preocupado, um rapaz de cabelos negros a serem cortados.

– Não gosto desta pergunta, faça outra – responde amargo a garota que ali se encontra ajoelhada.

– Porque não gosta da pergunta, que fiz antes? – retribui, intrigado, o jovem desconhecido e um tanto curioso.

– Ela é vazia, não vai fazer diferença a minha resposta – disse a moça levantado, ou seria melhor dizer "recompondo-se", de mais um momento de vagos pensamentos dolorosos.

– Mas para mim faz – disse, ele, de imediato olhando diretamente para o rosto choroso da menina.

Ela ficou mais assustada que quando escutou a primeira pergunta, assim respondeu sem pensar: – POR QUE...!!?? – questionando o garoto ao seu lado, que agora olhava a água do pobre rio, ao mesmo tempo que questiona a si própria.

– Se você me dizer que nada está bem, vou sentar ao seu lado em um lugar bem menos molhado e perigoso para ser o seu "porto seguro". Então, vou repetir a pergunta: você está bem? – disse sabendo a resposta desta menina frágil.

– Eu não estou bem... Nada bem... – jogou-se contra o peito do desconhecido, pedindo um abraço. Lágrimas caíram no chão sujo, molhado e curioso com o que ali nascia.

Contudo, o moço está sem reação com que está acontecendo, mas, ele sabe de todas as opções, só não sabe qual escolher.

❖❖❖
Apreciadores (5)
Comentários (3)
Postado 17/01/17 01:14

Que moço atencioso! Muito bacana isso.

E que a moça se recomponha, pelo amor de Deus!!

Postado 17/01/17 15:06

Tudo vai dar certo no final... assim espero.

Obrigado por ler.

Postado 29/01/17 04:14

Uau! Acabei de chegar e já estou amando, isso me deixou grudada! Muito bom! <3

Postado 30/01/17 13:30

Obrigada, espero que goste dos outros capítulos...E desculpa se não ficar com você espera, meu primeiro romance, haha. <3 Obrigado, novamente.

Postado 17/02/17 04:20

Ah, os dias (e principalmente as noites) de chuva forte... Aquele som e peso d'água caindo, deixando as roupas e, quiçá, a alma pesada...

A autora criou uma atmosfera de desalento logo de cara, para em seguida suavizar um pouco a cena com a chegada do prestativo rapaz. Eu gostei do modo como o diálogo foi conduzido, bem peculiar. Eu diria que até bondosamente.

Todavia... Como vejo sou doente e vejo/imagino o Mal em tudo, sigamos em frente para saber se estou fadado ao engano ou me surpreenderei (aposto na segunda alternativa!).

Sou averso a histórias de romance, mas...​ Por que não?

Existem alguns adendos que eu gostaria de fazer, mas deixarei para as MPs, tudo bem? No mais, parabéns pela empreitada e continue o bom trabalho!

Atenciosamente,

Um ser que fica na chuva, Diablair.

Postado 17/02/17 04:39

Certo.

Obrigado por ler, espero que goste da história que veio do nada para tentar ser algo...

Ansiosa e temo, os puxões de orelha por ter errado coisinhas bobas. ;--;

<3

Postado 17/02/17 05:07

Quem sou eu para puxar as orelhas de alguém (embora as suas pareçam-me bem adoráveis de se fazer isso)? Na verdade, apenas citarei algo/algumas coisas que a senhorita já sabe/viu que poderão lhe ser úteis para lapidar ainda mais esta preciosidade que é sua obra.

Tal qual fiz com a Srta Julihpata.

Mas, repito, somente o farei com a modesta intenção de ajudar e nada mais.