Você.
6 de Janeiro
Tipo: Lírico
Postado: 25/01/17 15:43
Editado: 25/01/17 15:45
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 2min
Apreciadores: 5
Comentários: 2
Total de Visualizações: 332
Usuários que Visualizaram: 10
Palavras: 339
[Texto Divulgado] "Escorpiana" Intensidade, esse é o seu nome. Aquela que sussurra, que grita e que demostra o quanto o amar é importante.
Livre para todos os públicos
Notas de Cabeçalho

Olá, eu só queria dizer que... Estou enlouquecendo.

Capítulo Único Você.

Esta é a terceira poesia - quase que sem rimas

Que a minha alma cospe, nessas poucas linhas

Que jamais serão suficientes,para dizer,

O quanto eu acreditei em você.

Pois suas dores e suas visões,

São iguais às minhas,

Freud? É, eu acho que foi ele que disse,

Que nos apaixonamos por nosso próprio distúrbio,

Me apaixonei pela sua tristeza,

Pois ela se parecia com a minha.

Pois somos dois privilegiados,

E só sabemos visualizar a alegria

- alheia

Ao invés de agradecer pela nossa própria conquista.

Me apaixonei, pelos teus olhos negros e profundos,

Pelo teu estilo de mendigo moribundo

E por todas as cores mórbidamente celestiais

Que eu pude reparar em você.

Me apaixonei pelas suas mãos calejadas,

De tanto tocar com a alma,

As notas e as batidas e a raiva que surgiam em você,

Me apaixonei, pelos seus lábios gloriosos,

E pelo seu jeito de andar encurvado,

Eu me apaixonei tão rápido...

É você me pegou de surpresa,

Numa noite sem qualquer sutileza,

Você me lembrou de sorrir,

E de repente, me vi tímida,

Cálida,

Caída por você.

Foi uma queda, bem longa,

Mas não foi você que me feriu;

A culpa é desta ansiedade hostil,

Que me fez acreditar,

Que talvez eu fosse alguém especial

- só por você me dar um pouco de atenção ao indicar umas músicas,

etc e tal

Mas como você poderia saber?

Se eu finjo não enxergar você?

Se depois de tanta dor,

Eu me tornei míope até para enxergar quem quero bem?

Como você poderia saber?

Como eu poderia contar?

Eu digo todas estas coisas aqui,

Pois aqui é o meu refúgio,

Mas até mesmo aqui,

Você parece estar.

Todo esse lugar, tem seu nome e sobrenome

Nas linhas que eu compus.

Espero que janeiro termine,

E termine de vez esse meu amor.

Talvez eu só estivesse, faminta pelas suas cores,

Mas de qualquer forma, elas nunca serão minhas

E agora, eu tenho meus próprios sonhos para tingir.

Obrigada pela bagunça,

dela surgiram

poemas congelados

que jamais serão visualizados,

por você.

❖❖❖
Notas de Rodapé

Tô pedindo socorro, obrigada por ler minha bagunça.

Apreciadores (5)
Comentários (2)
Postado 27/01/17 15:15

Menina, deixa ele saber que tu o ama uehduhdhuehd

Que bagunça mais louca/linda! <3

Postado 05/04/17 03:01

Aaaaa, minha vida deu uma virada tão louca que ele sabe. Jesus, o que aconteceu? Obrigada por ter lido! <3

Postado 06/03/17 04:53

Li somente em março... No entanto, tamanha intensidade ainda permanece mesmo agora. Impressionante.

Como alguém pode pedir socorro e ençouquecer de uma forma tão bela assim? Eu me sentiria doentio em afirmar tal impressão ao ler mais esta maravilha se de fato já não o fosse...

Eu lamento ainda mais por ele... Que perda de oportunidade indescritível de tantas coisas boas a ignorância dele o iimputará. E o mais irônico é que nem disso ele se dará conta...

PPerdoe-me.

Atenciosamente,

Um ser que espera que outros meses tragam-lhe algo recíproco e arrebatador, Diablair.

Postado 06/03/17 13:53

Como diz o ditado: "Não posso impedir ele de ser infeliz" (sem mim) hauahau que (!!!)

Olha aí, o amor é algo totalmente invejoso, arrogante, mesquinho, se não for pra ser feliz contigo, que não seja com ninguém. A merda é que acabou janeiro, passou fevereiro, e ele ainda está aqui.

Isso é tããão ridículo, mas pelo menos me dá umas poesias boazudas. Obrigada pelos seus comentários que são sempre tão certeiros! HAHAHA <3

Outras obras de 6 de Janeiro

Outras obras do gênero Drama

Outras obras do gênero Poema

Outras obras do gênero Reflexivo

Outras obras do gênero Romântico