Siga-me Romeu
Francislaine O A
Tipo: Conto ou Crônica
Postado: 27/01/17 10:12
Gênero(s): Drama Romântico
Tags: Suicídio
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 4min a 6min
Apreciadores: 2
Comentários: 2
Total de Visualizações: 225
Usuários que Visualizaram: 6
Palavras: 779
[Texto Divulgado] "Um poema sobre a gente " "mas venha para mim anjo, eu juro que me movimento, eu sei que está escuro lá fora, mas preciso de seu brilho para brilhar, então suma daqui escuridão, pois faremos um quarto para a luz" - SOKO
Não recomendado para menores de catorze anos
Notas de Cabeçalho

Um pequeno texto com pensamentos rápidos

Outro achado nas minhas pastas perdidas do pc

Capítulo Único Siga-me Romeu

Estamos em guerra.

Em um conflito sem sentido.

Dois povos com culturas totalmente diferentes.

Um amor proibido a beira da morte...

- Sinto muito, mas é tarde demais...

Tarde demais não é resposta.

Pensei que nossa promessa fosse para sempre.

Eu preciso levá-lo comigo, você me prometeu seu coração.

Lutei por você e assim que sou recompensada. Sendo rasgada em pedaços.

Seu coração se perdeu nessa escuridão, sua alma se corrompeu. E eu...?

Pensei que, mesmo depois de tudo que passamos, ainda poderia salvar uma parte de você que um dia conheceu o amor.

Apenas me enganei...

Dessa vez estou perdendo.

Estou te perdendo...

Sei que preciso olhar para frente e correr. Salvar ao menos minha pele e meu sangue desses monstros conhecidos como seres humanos.

Mas ainda não acredito que você resolveu se unir a eles para me destruir.

Vendeu-se por uma falsa liberdade. Agora é tarde demais para mudar.

Esta foi a sua escolha, abandone essa vida dupla que te corrói por dentro e me consome também. Senão iremos ambos perecer.

Suas cicatrizes são provas de seu erro e de nossas lutas. E, por mais que eu queira negar, me sinto mais próxima a você.

A única luz que vi no escuro, que estendeu a mão para mim dando-me força para lutar e sobreviver nesse mundo selvagem.

Naquele dia eu apenas desejei sempre estar lá para você e perto de você.

Mas essa mesma mão que me acolheu, está me deixando para a morte...

Veja as feridas que causou em minha pele e depois me deixou aqui a sangrar.

Graças a você, encontro-me em um baile, onde minha companhia é a morte e a música expressa sofrimento, dor, angustia e abandono...

Não irei cair sozinha. Levarei-te comigo a todo custo.

- Julie, direi apenas mais uma vez. Saia de perto de mim. É tarde demais para mim e para você. Não quero ter que matá-la. – suas palavras não correspondiam a suas ações. Diz para que eu me afastar, mas ainda me deseja. Não quer me matar, porém deixa-me a beira da morte. – Somos incompatíveis desde o início. Tentamos cruzar destinos paralelos. Somos como dois pontos que se repelem ao se aproximarem.

- Talvez tenha razão, Romeu. – expressei um pequeno sorriso. – Talvez sem mim você consiga voltar a si. Recupere sua sanidade... Talvez eu seja o seu mal. Mas só há um pequeno problema... Ambos estamos condenados a nos afogar nesse mar de discórdia. Porque estamos amarrados pelo destino. Duas almas opostas, vidas paralelas que se cruzaram em meio a essa guerra. Pertencíamos a mundos diferentes desde o começo, criamos nosso mundo para fugir dos conflitos que não começamos...

- Como Romeu e Julieta que se apaixonaram e morreram por amor. Esse se tornou nosso destino. – ele me interrompeu, completando a linha de raciocínio. – Estamos em guerra, somos inimigos amantes. Estamos fadados ao sofrimento até que a morte nos cubra com sua compaixão.

- Então iremos junto para um mundo onde não exista ninguém para nos separar. Onde a guerra não tenha chegado. – retomei a palavra. – Você não sabe o quanto te odeio por não conseguir passar um dia sequer sem pensar em você e sofrer com a dor de tê-lo tão perto e não poder tocá-lo. Apenas lhe peço um último beijo e tudo estará acabado.

Mesmo hesitante meu Romeu se aproximou de mim e de meu corpo já fraco por tantos ferimentos. As poucas forças que ainda me restavam, eu as gastava falando com meu amado. Sabia que aquele era o fim da guerra para mim. Não precisaria mais sofrer, nem veria inocentes morrerem, nem amores como o nosso sendo destruído por motivos humanos.

Senti os lábios de Romeu sobre os meus, selando nosso ultimo beijo. Naquele momento nada mais importava.

- Irei logo após de você, querido. – interrompi o beijo, aproveitando-me da sua proximidade para apunhalá-lo na altura de sua costela, com uma lamina banhada por uma camada de veneno. – Agora poderemos ficar juntos, não é?

Sua resposta foi apenas um sorriso que aos poucos foi se perdendo a medida que o veneno se mistura com seu sangue e seus sentidos se perdessem.

Minhas forças não duraram muito depois disso, senti meus olhos pesarem, dando-me ao luxo de deitar-me ao lado daquele homem que sofreu tanto quanto eu. A escuridão me cobriu com seu manto e finalmente pude dizer adeus a esse mundo.

O que os outros diriam ao encontrar dois corpos inimigos juntos realmente não me importa. Talvez se lembrem de uma história semelhante e coloque um fim nessa guerra. Talvez continuem até se destruírem... Nada disso me convém.

Eu estava fora da guerra e ao lado da pessoa que amava. Meu mundo começava naquele instante. Após a minha morte...

❖❖❖
Apreciadores (2)
Comentários (2)
Postado 29/01/17 04:54

Lindo, terrível, essas suas palavras, assim como a própria obra "Romeu e Julieta" parecem transcender qualquer tempo, é, o amor é um campo de batalhas, a vida é um campo de batalhas, ou nós batalhamos, ou nos deixamos consumir. Maravilhoso!

Postado 29/01/17 10:24

Uma eterna batalha cheias de quedas. Até que não sejamos mais capazes de levantar, seguiremos sendo machucados.

Sim, é bem triste se pararmos pra pensar nisso por muito tempo

Postado 15/09/17 22:02

Aquela deliciosa tragédia que todo grande fã de Shakespeare gosta. Por mais triste que seja ver ambos se destruindo por suas ideologias; por mais cruel que seja saber que existem amores que só podem ficar juntos depois da morte; por mais devastador que seja necessário um fim para existir um começo, ainda assim, resta-me ver a beleza nestas palavras tão trágicas.

Parabéns pela obra!

#ad01 - 41/98

Postado 09/02/18 16:09

Obrigada <3

E fico feliz que tenha lhe agradado

Poucas palavras para descrever uma bela tragédia