Em uma mulher se bate com uma pétala de rosa
6 de Janeiro
Tipo: Conto ou Crônica
Postado: 04/03/17 05:14
Editado: 08/03/17 19:17
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 9min a 12min
Apreciadores: 5
Comentários: 2
Total de Visualizações: 847
Usuários que Visualizaram: 10
Palavras: 1545
[Texto Divulgado] "Por trás da porta" ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ
Não recomendado para menores de dezesseis anos
Notas de Cabeçalho

Apenas tentem, se possível for...

Capítulo Único Em uma mulher se bate com uma pétala de rosa

Caros homens e mulheres deste século XXI,

Eu tenho uma questão para apresentar, porém, não se empolguem tanto, é apenas algo simples, talvez seja apenas mais uma frase de outdoor, o qual vocês leem todos os dias e nunca sabem o significado.

Pois bem, preparados?

"Sabia que as rosas vermelhas que vocês nos entregam neste dia, REALMENTE FUNCIONAM?"

O que imaginam quando leem esta frase? Acho que, tirando por um senso comum, muitos pensaram uma mulher loura na casa dos trinta; com seus dentes brancos perfeitos, com os olhos fechados se agarrando às pálpebras, com tamanha felicidade, parecendo gritar. Em suas mãos, ela agarra um lindo buquê de rosas, mostrando ao seu marido o quão contente está por ser lembrada, amada, apreciada... E em letras pretas e douradas, está escrito "Sabia que as rosas vermelhas que vocês nos entregam neste dia, REALMENTE FUNCIONAM"? - O destaque, escrito em vermelho vivo.

Penso que muitos não estão entendo absolutamente nada, não?

Para ser sincera, eu gostaria que esta frase nunca me tivesse passado pela cabeça, pois eu admito, que era ótimo quando esse dia, esse único dia parecia significar que, de repente, somos a coisa mais interessante, mais amada e mais frágil do mundo... Oh, e que mulher não gosta?

Creio que, eu, não mais.

Por toda a minha infância, eu vi este dia, como algo realmente especial, aonde todos nos notavam e de repente tínhamos tantas qualidades, e gastavam tanto conosco! Nossa, eu queria tanto crescer para ganhar aquelas rosas fedorentas e acinzentadas superficialmente...

E, é, os anos se passaram.

E eu me vi sendo abusada, nas ruas quando criança, por velhos de dentro de seus carros, por homens que rondaram minha escola segurando seus pênis, por motoristas de caminhão que me ofereciam carona, por gente fina, que meu pai e meu avô conheciam, por gente que trabalha com criança, vinte e quatro horas por dia; na pré-adolescência, por meninos que estudavam comigo, que nos prensavam na parede, que se juntavam em bandos e corriam pelos corredores nos apalpando, batendo em nossas nádegas, levantando nossas blusas - mas a gente não podia reclamar, afinal, menino é assim mesmo... - na adolescência, por professores que me acharam provocante por causa cor do batom que eu estava usando, por professores que queriam ver eu dar "um beijinho no seu melhor amigo"- GAY- pelo homem que passou ao meu lado no semáfaro, tocou minha cintura com a ponta dos dedos e sussurrou "que gatinha safada" e se foi, me deixando toda cagada de medo, por motoqueiros, enquanto eu estava no ponto de ônibus, por garotos em grupo em cima de suas bicicletas - vocês pensam que eu me senti lisonjeada quando gritaram para a rua inteira ouvir que "que peitões que essa menina tem!"...?

Ah, e tem mais, sim... Ah sim, tem muito mais que vocês nem imaginam e que eu provavelmente não contaria.

É que, a verdade é bem clara: nós somos as prostitutas, as provocantes, as vagabundas, as atiradas, as safadas, as frígidas, as bonitas - mas só de rosto - as mulheres camarão - corta a cabeça e come o resto, rsrsrs engraçado, não? NÃO! - as baixas demais, as altas demais, as balofas, rolhas de poços, chupetas de baleias, pernas de grilos, tábuas de passar roupa, tripas secas, desnutridas, exibidas, fingidas, loucas por atenção, insanas, destruidora de lares, interesseiras, burras, estúpidas, faladeiras, loucas por macho, sapatonas, indecisas, vitimistas, incapazes, dependentes, indefesas, folgadas, as que pediram por isso e ... Pois é, durante 364 dias, nós somos tudo isso, e apenas neste único dia, é como se as rosas, as frases bonitas dedicadas a nós, apenas passassem um paninho cuspido em cima de tudo isso, sem falar das agressões, dos abusos e de todo o resto, que é claro, para vocês homens, é apenas, aquela palavra lá, que vocês amam escrever: "mimimi".

Não lhes parece um dia mágico? Como se todas as dores fossem embora e a gente pensasse: "Uau, se me deram rosas, é por que alguém ainda se importa comigo..." - mas eu lhes garanto, os textos que vocês compartilham, as jóias que vocês compram - e que quando tudo acaba, vocês querem de volta, dizendo que gastaram muito com vadias ingratas como nós - as fantasias eróticas que vocês vestem, dizendo que é para nos agradar, todo aquele falatório de "eu brigo com você, mas você é a mulher da minha vida" realmente, ajudaram a apagar o real significado e peso que esse dia trás.

Apagou os estupros, a agressão, a sexualização infantil, a desigualdade salarial, os esteriótipos doentis, os feminicídios, as meninas de determinadas tribos africanas que tem os seios queimados para evitar estupradores, a sexualização de crianças na Ásia, as meninas do Oriente que morrem aos nove anos por terem o útero perfurado em sua Noite de Núpcias por seu marido de quarenta anos... As prostitutas mortas que se tornam apenas mais um número, sem nome, sem dignidade, sem ninguém olhar nos olhos... Apagou as mulheres dos nórdicos que foram queimadas logo após a morte do marido - já que eram apenas bens deles -. APAGOU; sim, apagadas por completo, quem se importa? Foi há muito tempo atrás...

A CADA 18 SEGUNDOS.

Pois neste dia, quem se lembra? Quem se lembra da mulher do próprio primo que é espancada todo dia? Quem se lembra da avó que levou chutes enquanto grávida, do próprio marido? Quem se lembra da mãe que carregou três filhos sozinha, calada, obedecendo, orando para que Deus a levasse, antes que o marido chegasse em casa bêbado?

Quem se lembra, não é mesmo? Da própria história de assédio, do estupro, do medo, da imposição?

EU ME LEMBRO, E VOCÊ?

Quem é que se lembra como surgiu este dia? Das mulheres queimadas na fábrica apenas por que queriam ter seus direitos básicos garantidos...

Quem se lembra? Quem te lembra? Quem se atreve, a relembrar?

Não, infelizmente, foge de mim pedir desculpa por este baque tão forte, foge de mim dizer que está tudo bem em este ser um dia glamuroso, cheio de holofotes, com o mundo todo gritando o quanto nos amam e nos admiram e nos protegem... Será?

Pesquise sobre os estupros... Ops...

Toda a propaganda funcionou, antes, este dia era motivo para lembrarmos de que ainda estamos aqui sobrevivendo com uma força sobre-humana; e, agora é um dia de telões, de matérias jornalísticas clichês, de presentes de creche feitos com cola e macarrão... De presentes bem variados, como pano de prato e panelas de pressão...

Suas rosas deram certo, realmente, nos sentimos tão queridas! Nós chegamos a pensar de verdade que no fundo, todas as coisas ruins foram obra do acaso e que o que vocês pensam a nosso respeito, se baseia numa rosa dada gratuitamente, ou custando mais barato - e afinal, que bom que custa barato, assim nós podemos comprar algumas para dar para todas aquelas mulheres importantes para nós não é?

Oh madame, me desculpe por estragar o seu dia!

Oh senhor, me desculpe por recusar as flores!

Oh professora, um presente melhor, seria uma aula de história, para todas as mães, contando como tudo começou.

Oh mídia, melhor matéria seria, dizendo aos homens, quantas de nós, em média, determinado grupo deles matou.

Oh, menina, não queira aquela rosa fedorenta.

Se lembrem queridas, de que vocês sobreviveram e de que estão aqui e cabe a nós impedir que as rosas funcionem mais uma vez, de que abuso não deve ser tolerado, de que o mal que vem da parte deles todos, jamais será sua culpa e você não merece isso não importa quem você seja!

Se lembrem de que não há luta sem afronta, não é revolucionário se tiver de agradar aos homens, ou a mídia, ou quem quer que queira te podar, não é justo você ter medo de andar numa rua que também é sua!!!

Se lembrem de que "bonita" é apenas UMA das coisas que vocês podem ser, mas não é a principal e que isto não deveria definir seus status social.

Se lembrem de olhar para aquelas que ninguém olha, se lembrem de se juntarem, de tentar compreender que a sua realidade não é a única que existe, que somos todas humanamente diferentes e que não é totalmente justo sermos tratadas todas iguais, mas com equidade, levantar as que caíram, dar espaço às que estão sem rumo e, por isso tudo - supracitado - neste dia e principalmente, nos outros 364, MOSTRE SUA VOZ, diga NÃO, diga SIM, grite, urre, chore, festeje, tenha ou não tenha filhos, desde que seja uma escolha SUA... Se case com uma mulher, com um homem, fique solteira, trabalhe e estude, fale, seja, ouça, diga, pense, não tenha medo de mostrar o que você sabe fazer, doe, more, vá, venha, fique, faça o que te fizer resplandecer!

Não se sinta obrigada a fazer nada que não queira, não feche os olhos para as que são diferentes de você, defenda o que achar certo, seja glamurosa, seja simplória... Seja você, seja a mulher da sua vida, não só neste dia mascarado pela mídia, mas seja você, a real você durante todos os 365 dias.

Você é merecedora de tudo aquilo que conquista e, por amor a si mesma e às que virão depois, não pense nem por um segundo que você é menos do que você merece.

Com ardor e com amor,

Eu.

❖❖❖
Notas de Rodapé

Não vou pedir desculpas e nem agradecer, estamos sobrevivendo e não podemos nos curvar, não desta vez, não de novo, e nem nunca mais! Sê liberta!

Apreciadores (5)
Comentários (2)
Postado 03/05/17 13:19

Muito bem escrito e fala tantas coisas da atualidade. Muito bom.

Postado 03/05/17 15:14

A triste atualidade... Obrigada!

Postado 20/08/17 23:24 Editado 24/08/17 00:33

SATANÁS SEJA LOUVADO! QUE OBRA ESPETACULAR FOI ESSA QUE EU LI?! PQP!

Srta Janeiro, seus contos sempre me surpreendem pela primazia e criatividade, mas este aqui está em um patamar muito acima do que já é extremamente elevado! Obviamente senti-me muitíssimo envergonhado por ser meu receptáculo ser um homem após tão impactante e extraordinária leitura! Todavia, este verdadeiro manifesto deveria ser compartilhado e divulgado pelos quatro cantos do planeta para que todos, homem e mulheres, tomassem consciência do tema aqui abordado de um modo visceral, completo e profundo!

Foi de longe um dos melhores contos já magistralmente publicados não apenas neste site, mas (ouso dizer) em nosso tempo! Explêndido! Chocante! Atemporal! Perfeito!

EU ME CURVO ANTE SUA GRANDEZA, TALENTO E COMPETÊNCIA LITERÁRIA, SRTA JANEIRO! MEUS MAIS SINCEROS E ENTUSIASMADOS PARABÉNS E AGRADECIMENTOS POR TÃO DIGNÍSSIMA OBRA!

Atenciosamente,

Um ser que sentiu-se ainda mais imundo, Diablair.

#ad01-09

Postado 21/08/17 23:52

CARACA, tu nem faz ideia de como isso me aquece! Não sou digna de tantos elogios, mas eu te agradeço demais por eles! Obrigada pelo apoio, por ler, por me entusiasmar e inspirar a continuar!

Outras obras de 6 de Janeiro

Outras obras do gênero Crítica

Outras obras do gênero Crônica

Outras obras do gênero Reflexivo