Reticência de nós
Maria Vitoria
Tipo: Lírico
Postado: 05/04/17 16:40
Gênero(s): Poema
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 48seg a 1min
Apreciadores: 1
Comentários: 0
Total de Visualizações: 192
Usuários que Visualizaram: 2
Palavras: 129
[Texto Divulgado] "Querida Ansiedade" Olá, eu sou a pessoa que, às vezes, você prejudica. Então, estou escrevendo essa carta para deixar claro uns assuntos.
Livre para todos os públicos
Capítulo Único Reticência de nós

Nossas falas estão ausentes já faz um tempo

Nossas mãos estão ausentes já faz um tempo

Nossos olhos estão ausentes já faz um tempo

Nossas bocas estão ausentes já faz um tempo

Quando o telefone toca e do outro lado eu ouço; silêncio,

Permaneço breve, intacta

Enquanto você, breve, muda.

Vez ou outra consigo te reexistir em meus sonhos

E neles a despedida não se tornou um adeus eterno

Por que ironicamente ainda sorrimos juntas

Segurando a mão uma da outra como um ato de promessa.

Sabe, não posso viver só de ausências e sonhos

Talvez a vida seja mais do que isso

Quem sabe eu mereça bem mais do que isso.

Cada passo dado

Cada corpo selado

Cada fala dita

Hoje nada mais é

Pois nada mais somos.

❖❖❖
Apreciadores (1)
Comentários (0) Ninguém comentou este texto ainda. Seja o primeiro a deixar um comentário!