Tingida
6 de Janeiro
Tipo: Lírico
Postado: 07/05/17 19:01
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 49seg a 1min
Apreciadores: 6
Comentários: 6
Total de Visualizações: 384
Usuários que Visualizaram: 12
Palavras: 132
[Texto Divulgado] "Tulipa do ex amor" A descoberta da falta de amor próprio após tropeços na vida amorosa
Não recomendado para menores de dez anos
Notas de Cabeçalho

Este poema/música/texto vêm me nutrindo ha mais de dois anos, pela primeira vez em minha vida, eu havia escrito algo que falava sobre o amor e não era sobre ninguém especificamente, sendo assim, me serviu para todas as paixões vindouras, sem nunca se estragar. Ele é meu karma, minha eterna e doce maldição.

Me arde o coração compartilhá-lo com o mundo.

Um poema que já me rendeu uma música, uma melodia, uma história e sete paixões.

Mas, aqui é meu lar, e eu vou correr o risco, pois a partir do momento em que eu publicar, sei que as pessoas vão poder usá-lo como quiserem.

Capítulo Único Tingida

Eu quero ser tingida

pelas suas lindas canções:

Entone-as fortemente

dentro de meu coração.

Me diga se eu sou

parte destas alegorias

que se expandem dentro de você:

Me diga quando eu poderei

sonhar com sua face fria novamente.

Amor, o barulho da minha respiração

Segue o seu compasso,

Amor, nenhum tempo é perdido

quando se trata de nós.

Eu adoraria te ver todos os dias

E adoraria ouvir com meus velhos ouvidos

Seus passos pela grama seca.

Eu adoraria me esconder

Atrás da cortina

Esperando você abrir a porta

Para eu te assustar assim, imediatamente.

Oh,

mais uma poesia

você não vê meus versos sangrando

Escrever minha dor,

é sempre gratificante,

mas nunca será o suficiente,

pois...

(leia esta poesia

a cada novo amor

e a cada desilusão -

ou seja,

bis)

❖❖❖
Notas de Rodapé

Ai meu Deus, eu tô mandando meu bebê para o mundo... Os versos crescem tão rápido. Cuidem bem deste em especial.

Obrigada.

Apreciadores (6)
Comentários (6)
Postado 07/05/17 19:20

Srta Janeiro... Mesmo sem de fato conhecer-te, como não enxergar a autora, a mulher que és em cada linha deste poema? Mesmo eu, averso ao sentimento com "A", pude ter a plena visão, a compreensão sincera de qual figura tão singelo e intenso mosaico literário é revelada ao mundo.

Unicamente a Srta Janeiro...

Transborda sentimentos e poesia tal qual as comportas do Abismo na data do Dilúvio com tua obra, Srta Janeiro... Como sempre. E para nosso fascínio e aprendizado, felizmente!

Que o mundo receba com toda a pompa tua cria e que, diferente de mim e de quaisquer outros monstros/vermes/abominaçoes, possa igualmente (re)encontrar em cada verso a inspiração e desejo de vivenciar tais coisas.

Aos demais, as trevas e tudo o mais inerentes a elas.

Atenciosamente,

Um ser que nunca desejou de fato, Diablair.

Postado 07/05/17 19:39

Este comentário parece-se mais com aquelas missivas medievais, destas que se acha entre os muros antigos de uma casa e é exposta em um museu. De fato, cada comentário seu, é como uma obra-prima, queria eu, caro Diabu, ter sempre as palavras mais magníficas para elogiar.

Obrigada, do fundinho de minha alma cadente.

Postado 07/05/17 19:44

Assim é o amor...

Adorei, mas, provavelmente, não peguei toda a sua essência por não estar apaixonada ou desiludida, triste.

É difícil lançar um texto ao mundo, já que nunca saberemos se ele vai ser amado por outros ou odiado pelos mesmos; se ajudará alguém ou não, mas sabemos que eles serão lidos. E isso, é o que importa: desejamos que eles sejam lidos (opinião).

Obrigado por compartilhar com a gente o seu poema tão amando.

<3

Postado 07/05/17 19:50

Não é nem a questão de gostarem ou não. Isso nunca me importou muito, e sim, a questão de roubarem. Plagiarem, enfim. Esse é um dos únicos que me bate aquele gelinho no coração, só de pensar na hipótese.

E eu é que agradeço por ter lido <3

P.S: Não é triste não estar apaixonada ou desiludida, é mais uma benção, isso sim! hahaha

Postado 07/05/17 20:36

Compreendo, espero que isso não ocorra com o seu poema...

(é triste para mim, queria sentir que ele "é tão eu agora". Mas tudo bem)

<3

Postado 07/05/17 23:47

Mas pode minina! HAHAHAHA, as palavras estão aí, as pessoas podem pegá-las para si, tatuarem no coração, incorporar as palavras asjaiosjasiajoiaj

Postado 07/05/17 22:45

Esse poema e o título me lembra uma mistura de cores (pessoas) que no final trazem um resultado. As vezes bom, com cores unicas e belas e outras ruins com cores horríveis. Você é o primeiro caso, pelo que interpretei.

Lindo. Obrigada por compartilhar conosco <3

Postado 07/05/17 22:59

Qualquer cor que se misturar com a minha vai ficar ó... Uma bosta.

#desaparece

Postado 07/05/17 23:05

Somos as bostas mais BFFs do mundo <3

Postado 07/05/17 23:47

AHUISHIAUHSIAH ai gente, ceis são demais! <3

Postado 08/05/17 13:26

O seu bebê; seus versos crescidos, são a coisa mais linda e fofosa que eu li até agora!

Também imaginei algo parecido com o que a Hellphaistos falou, porém um pouco menos poético.

Parabéns!

Postado 08/05/17 20:54

Eu só acho que vocês duas são duas coisinhas lindas desse site, sério. Obrigada <3

Postado 08/05/17 21:56

Você que é! <3

Postado 09/05/17 21:20

" Os versos crescem tão rápido"

Hehehehe :p

Que bacana ler algo tão íntimo de alguém. Sinto-me honrado por ter tido a oportunidade de lê-lo. Obrigado pela oportunidade.

E fico feliz em saber que algo tão simples e singelo é capaz de lhe acompanhar por tanto tempo e lhe fazer feliz. Isso é algo raro e belo de ser.

Sobre a obra, está linda! Parabéns!

Postado 10/05/17 02:46

Me abraça virtualmente que hoje eu tô feliz, obrigada <3

Postado 25/11/17 20:24

Estou apaixonada por esse poema (também!), principalmente por esse final, aaah, tão lindo, tão meigo, tão tão tão <3

Garota, eu me apaixonaria por ti se fosse por esses poemas!

#ad01 - 43/90

Postado 25/11/17 23:14

MEU DEUS, EU NEM LEMBRAVA DESSE POEMINHA AAAAAA

JURO QUE QUASE CHOREI, SAUDADES DE TER SENTIMENTOS LEVINHOS ASSSIM AAAAAA

Obrigada por ser uma amorzona <3

Outras obras de 6 de Janeiro

Outras obras do gênero Cotidiano

Outras obras do gênero Poema

Outras obras do gênero Reflexivo

Outras obras do gênero Romântico