Por um mango
6 de Janeiro
Tipo: Conto ou Crônica
Postado: 03/07/17 04:19
Editado: 03/07/17 04:25
Avaliação: 9.2
Tempo de Leitura: 1min
Apreciadores: 11
Comentários: 7
Total de Visualizações: 495
Usuários que Visualizaram: 16
Palavras: 193
[Texto Divulgado] "Dia 17...." Dia 17, dia tão comum, mas ainda sim tão especial... dia de reatar laços de sentir de novo.
Não recomendado para menores de dezoito anos
Notas de Cabeçalho

Minha mãe não vai gostar nada mesmo, de saber que eu algum dia, escrevi isso.

Desculpe mãe, mas eu um dia, serei rica.

Capítulo Único Por um mango

Há um bordel erguido em minha mente

Ele está em chamas e é banhado a gritos

Garotos fumam e bebem por um mango

Ele está falindo e caindo

Nós beijamos e dançamos por um mango

E do lado mais insano,

Aonde os demônios comandam

Eles dançam e bebem e cantam

Por vergonha

Do lado mais escuro

Aonde as sombras se encontram

Eles gritam e expulsam as crianças

Enquanto os cafetões esbanjam

Novamente

As luzes bem apagadas​

E os cheiros bem misturados

E os berros bem sincronizados​​

E as dançarinas, sempre mal pagas

Eu sou dona do caos,

Primordialmente

Oh, eu danei com tudo

Coincidentemente

Bem no dia em que eu

Abriria minhas portas...

Eu sou apenas cinzas

Eu sou minha pior derrota

Eu sou esse bordel falido

Eu sou a mais mal feita anedota;

Eu sou essa gente toda

Eu sou o cheiro de naftalina

Eu sou a metanfetamina

Que faz tremer minha própria retina

Eu sou esse complexo

Eu sou a pior cafetina

Há um bordel em minha mente

entre e sente;

Eu sou a dona, inconveniente

que o vem falindo consecutivamente,

E, não me procure

pois de certo estarei integralmente

ausente.

❖❖❖
Notas de Rodapé

Outro lixão. Obrigada.

Desculpa de novo, mãe.

Apreciadores (11)
Comentários (7)
Comentário Favorito
Postado 12/10/20 11:59

Bordeis são a brutalidade - quase sempre - sem sangue. E eu amo, e como amo, tudo isso.

Eu vou lhe compartilhar o que eu vi na minha mente porque eu tenho uma imaginação muito bang e ela se distancia e muito, na maioria das vezes, do real significado do texto.

Então, vi sucubus e bêbados se consumindo para retirarem um do outro aquilo que lhes falta. Nas doces e fatais sucubus buscam um desejo, mesmo que falso, pois esses bêbados não conseguem nem fingir que se amam e as sucubus buscam a energia, pois as mesmas não conseguem nem viver. São usadas, um objeto sexual e sugam desses bêbados a energia deles para que não se vejam assim. Uma bagulhagem estranha que faz sentido em minha cabeça. De qualquer forma, vi morte, egoísmo mútuo e tristeza e selvageria. Amei. Realmente amei. Me lembrei de uma amiguinha, que depois de casada nem fala mais comigo. Deve ser porque sou uma lembrança do sórdido passado que ela quer esquecer agora que se "endireitou".

Enfim, adorei o texto. Não como crítico literário - porque eu não sou isso nem de perto -, mas como um mero mundano que gosta de ler de vez em quando. Mentira, se tiver uma pegada macabra, sem ser sexualmente apelativa, eu consumo até a exaustão.

Postado 08/07/17 01:40

Lixo? Adorável, na minha opinião torta.

Gostei das rimas e da estrutura do texto...

Obrigado por postar.

<3

Postado 10/07/17 20:54

Eu é que te agradeço por persistir aqui hahaha, mesmo, obrigada!

Postado 25/07/17 20:44

NOSSA!! Mãe dela, desculpa ela pq isso está divino! *---*

Postado 31/07/17 20:44

Aí mããããe! HAHAHA obrigada!

Postado 16/08/17 21:30

Maravilhosamente escrito, como tudo que vem de sua pessoa.

Postado 22/08/17 00:01

AAAAA ME BEJA

Postado 23/08/17 13:58

SÓ SE FOR A-G-O-R-A

Postado 24/08/17 22:34

Torcendo pra um dia ver algo seu que não tenha sido denegrido por você mesma nas notas finais! ~raivinha~.

Um fodendo poema desse reduzido à "lixão"... Chessus, que blasfêmia...

Carai, olha esses versos, cara, olha essa construção! Que poema foda pqp...

#ad07-86

Postado 26/08/17 13:02

MEU DEUS, VOCÊ SABE COMO LEVANTAR MINHA AUTO ESTIMA POÉTICA MESMO HEIN BICHO?

VAMOS TORCENDO, QUE ALGUM DIA EU CONSIGO GOSTAR DAS COISAS QUE EU ESCREVO, INSTANEAMENTE. (e não só depois de umas semanas, pra frente).

Obrigada mesmo, tô gritando e te beijando inteirinha na cara <3

Postado 25/08/17 08:24

Srta Janeiro, se algo desta magnitude lhe é um lixão, pode me considerar o mais feliz dos cães, urubus, moscas varejeiras ou vermes, pois chafurdei em cada rima com um sorriso lascivo e constante no meu rosto feio! Satan, que obra deliciosa (o quê vindo ou sendo seu não possui tal atributo? Quiçá, as fezes somente)! Inspirou-me e divertiu-me com estes versos, que maravilhosa, decadente, promíscua, muito bem elaborada e excitante criação!

Bravo! Bravíssimo! Ganhei meu dia e uma reação corporal!

Atenciosamente,

Um ser que seria freguês fiel e eterno, Diablair.

#ad023-184

Postado 26/08/17 13:04

Você tem entrada vip, camarote e balde de champagne com gelo no meu bordelzinho.

Obrigada!

Postado 23/11/17 20:58

Texto muito rico, nossa senhora.Achei maravilhosa a analogia que fizeste entre um bordel e a vida do eu-lírico.

Deu para sentir que a vida está um caos, que tudo que ela faz, parece sujo e mal feito. É algo degradante e que não a orgulha em nada.

Mais clara que essa maneira para demostrar sua desilusão, sua tristeza, é impossível.

Parabéns por esse belo texto!

Postado 24/11/17 11:26

Te agradeço por sempre estar aqui me apoiando! Obrigada!!! <3

Outras obras de 6 de Janeiro

Outras obras do gênero Comédia

Outras obras do gênero Crítica

Outras obras do gênero Crônica

Outras obras do gênero Drama