Eu te perdôo
Andromeda
Tipo: Conto ou Crônica
Postado: 11/07/17 03:41
Editado: 11/07/17 03:41
Gênero(s): Drabble Drama
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 46seg a 1min
Apreciadores: 4
Comentários: 3
Total de Visualizações: 1913
Usuários que Visualizaram: 8
Palavras: 123
[Texto Divulgado] ""
Livre para todos os públicos
Notas de Cabeçalho

mais um que resolvi trazer

Capítulo Único Eu te perdôo

Eu poderia dizer para você ir embora, poderia gritar-te que não quero mais te ver ou até mesmo ignorar seus e-mails. Eu poderia fazer muitas coisas, mas eu não vou. Não vou causar em ti o que tu causou em mim, não vou machucar quem eu deveria amar – como você fez comigo. E é claro, eu não te esqueci – como, ironicamente, você fez comigo –, mas eu te superei. Superei toda essa dor, todo esse sentimento de que eu não sou bom o suficiente ou de que eu não mereço ser amado – mesmo que às vezes eu continue a pensar assim.

E quer saber? Eu te perdoo por ter sido um obstáculo na minha vida, porque meu coração é bom demais para guardar rancor.

❖❖❖
Apreciadores (4)
Comentários (3)
Postado 11/09/17 20:07

Esse poema foi como um balde de água fria em minha alma da cabeça aos pés, pelo simples fato de que sou aquele tipo de pessoa rancorosa, que lembra até das palavras sem intenção de machucar. Basicamente, eu guardo rancor desde 1999.

Contudo, ler essa obra fez-me refletir o quão fútil é este sentimento. Afinal, eu só estaria fazendo mal a mim mesma. A outra pessoa seguiria sua vida normalmente como se nada tivesse acontecido e eu ficaria remoendo sentimentos de uma situação que não existe mais. De fato, é a atitude que maior demonstra o quanto somos falhos quando o assunto é perdoar, amadurecer e seguir em frente. É fácil falar sobre a dor alheia, mas quando o assunto é a dor pessoal, tudo se torna ainda mais árduo.

A maneira como você expressou tais sentimentos no conto é tão maravilhosa, que me faltam palavras para descrever o quanto essas palavras tocaram meu âmago e fizeram-me refletir sobre meu real conceito sobre perdão. A frase final é simplesmente M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-A!

Te parabenizo por uma obra marcante e demasiadamente expressiva, mas principalmente que retrata o quanto eu e muitos outros, precisam melhorar para ter suas emoções libertas desse mal denominado rancor. Afinal, é como dizem: o mundo gira, vacilão roda e só os tolos guardam mágoas, rs.

Parabéns, Srta.Eduarda!

#ad01-13/98

Postado 04/03/18 22:59

Caraca, sei nem como te responder, moça. Acho que esse comentário tirou de mim quase todas as minhas palavras. Bom, eu me sinto na obrigação de te falar que tu estás certa na questão de parar de guardar rancor. Afinal, não faz bem e tu seria a única machucada; o negócio mesmo é seguir em frente de deixar para lá.

Entretanto, seguir em frente não é perdoar. E eu me sinto na obrigação de dizer que ele não é tão necessario assim (o perdão), principalmente se você foi machucado e não consegue dar esse perdão. Perdoar é lindo, mas não é tão necessário.

E, muito obrigado, viu? Saber que consegui te fazer refletir sobre o significado dessa palavra me deixa sem palavras para conseguir responder essa parte. Tudo o que eu tenho a dizer, é: rancor a gente joga fora e segue em frente. Pode demorar um pouco para aprender a amaçar esse sentimento e talvez mais um pouco para acertá-lo na cesta do lixo, mas um dia você acerta e se vê livre dele.

O que importa mesmo é estar bem consigo mesmo.

Te agradeço novamente, moça, por estar presente em meus pequenos contos.

Postado 11/12/17 20:22

Eu gostei bastante. Priemeiro pois eu amo drabbles, segundo por que todo o sentimento foi passado.

Tu consegue ir com o eu lírico para dentro daqueles sentimentos de tristeza e conforme o texto cresce você entende o que acontece.

Achei um baque o fim. Acho que todos precisamos ter consiência de nós mesmos, sabe?

O eu lírico era bom demais para guardar rancor, e talvez colocando tudo no papel ele tenha colocado pedras naquilo que ainda o feria -- era claro que ainda o feria.

Sem delongas, eu curti bastante. Obrigada por isso.

Postado 04/03/18 22:13 Editado 04/03/18 22:47

Eu fico feliz em saber que consegui passar todos os sentimentos que eu sentia para o texto e mais ainda porque tu conseguiu captá-lo. Enquanto eu escrevia essa drabble eu só conseguia pensar em meu pai, cujo qual foi culpado pela crise que gerou essa história.

Devo agradecer-te bastante pelo comentário, sinto-me lisonjeada por suas palavras e pela forma que tu consegue entender o texto em si. Estou admirada, de verdade, obrigada.

Postado 24/09/18 23:28

O perdão liberta e transforma, o texto não poderia ter sido mais claro quanto a isso! Parabéns, maravilhoso!