Não Chore por Mim
Sabrina Ternura
Tipo: Lírico
Postado: 24/08/17 21:46
Avaliação: 10
Tempo de Leitura: 1min
Apreciadores: 11
Comentários: 7
Total de Visualizações: 396
Usuários que Visualizaram: 17
Palavras: 160
[Texto Divulgado] "Descartável" Sabe, eu costumo fazer uso da escrita para desabafar, às vezes da fala também (mas não se pode falar por aqui). A questão deste poema é justamente esta: por que diabos você nem ao menos me escreveu adeus? Foi um descarte, como se o ser humano fosse descartável. Talvez aqui fique, já, uma ressalva: Não confunda às coisas, você não pode comprar tudo. E mais uma lembrança: O ser humano sente! (Parece óbvio, não?) Mas, acredite, há pessoas que parecem ter dificuldades de compreender isso. Boa leitura :*
Não recomendado para menores de dez anos
Notas de Cabeçalho

Salut, pessoal. Como estão? \o

Quem é vivo sempre aparece, não é?! Tive alguns problemas e me ausentei por um tempinho, mas voltei. O poema é meio triste, mas estou feliz por poder voltar a compartilhar com vocês meus escritos.

Espero que gostem e façam uma boa leitura.

Capítulo Único Não Chore por Mim

Quando você partiu sem remorso

E semeou em meu peito a desesperança,

Restou-me dançar sobre as cinzas

Das primaveras de nossas lembranças.

Quando você subjugou minhas vontades

E enganou-me com sua falsa metade,

Caminhei pelas ruas tentando afastar

Todos os motivos que me fizeram te amar.

Quando contei a ti todos os meus segredos

E tua faca cravou-se em meu peito,

Mentiras sobre meu verdadeiro eu

Espalharam-se como a Peste Negra.

Quando não sabia a quem recorrer

E meu último recurso foi morrer,

Abriguei-me na eternidade da escuridão

Que foi selada pela tampa de meu caixão.

Tuas lágrimas de arrependimento

Escorrendo por meu leito

E teus soluços abafados

Ecoando por meu corpo gelado,

São apenas sussurros ditos ao escuro.

Suas palavras não podem mais me alcançar

Muito menos me machucar,

Pois sou somente um monstro que tu criou:

A personificação da discórdia

E a ilusão de um coração partido

Por aquele que um dia,

Foi o motivo de meu sorriso.

❖❖❖
Apreciadores (11)
Comentários (7)
Comentário Favorito
Postado 24/08/17 22:14

Eu não sou fã de romances. Todos sabem disso. Todavia, esse tipo de escrita, tão soturna e trágica, me atrai como uma Tábua Ouhija aos demônios. Que regresso espetacular temos aqui, Srta Ternura (a nível de escrita, bem entendido: por se tratar, creio eu, de uma obra parcialmente intimista, eu lamento pela senhorita).

A forma como as rimas fluem é tão deliciosa quanto tétrica, suave e mordaz como a lâmina do suicida ao deslizar entre as veias. A traição, a decepção, a desolação, a aniquilação, a Escuridão... Tudo tão intenso, rítmico, sublime! Que obra belíssima e inspirada! Decididamente um primoroso "Swan Song"!

Meus sinceros parabéns, agradecimentos e boas vindas, Srta Ternura!

Atenciosamente,

Um ser morto em N aspectos, Diablair.

#ad22-184

Postado 24/08/17 22:44

Sr. Diablair, realmente não esperava tu por essas bandas e muito menos me chamando de Ternura (não achei ruim, muito pelo contrário, fiquei demasiadamente feliz em saber que não sou apenas a Srta. Tortura diante dos seus olhos rs).

Sabe aquele ditado que todo escritor usa?! "As palavras são minhas, porém os sentimentos são de outro", então, podemos usar essa lógica neste contexto. Mas no caso seria de alguém imaginário, pois as estrofes acima são somente pensamentos que fluíram em minha mente.

Fico muito feliz e agradecida pelas palavras e por ter gostado do texto, Diab!

Postado 24/08/17 22:42

Já era tempo de voltar, né! Seus escritos fazem falta! Oh, se fazem! Minha opinião sobre o poema: Você foi ótima na construção dele. Uma história com início, meio e fim super bem contados. Drama, ódio, ressentimento, arrependimento, amor, satisfação, etc. Um punhado de sentimentos expressos em pouco mais de cem palavras. Algo que só você consegue mesmo!

<3

#ad09-86

Postado 24/08/17 22:50

Demorei, mas voltei (meu pc quebrou lindamente, cê não tem noção rs). Meu coração se enche de alegria em saber que eles fazem falta. E saiba: senti falta de todos aqui, sem excessão.

Fico feliz que tenha gostado, Joy! Obrigada!

Postado 24/08/17 23:00

E a ternura voltou a habitar esse "hospício 100% voluntário" em grande estilo. Dos T's,, escolheu Tristeza para o regresso. Fiquei muito feliz com sua volta! Estava com saudades.

Sobre o poema: Simplesmente incrível! Também não sou muito fã dos romances, mas toda essa tristeza e esse sofrimento me agradam. (Sei que sou estranha, tá de boas).

"E teus soluços abafados

Ecoando por meu corpo gelado,"

Minha mente foi longe com isso. Uma das melhores partes.

#ad01 - 008/154

Postado 25/08/17 01:17

Voltei e espero ficar pelo menos por mais um tempo, rs. Fiquei com saudade de todos, principalmente das loucuras de vocês. Se eu voltasse e não escolhesse a Tristeza, não seria eu. Já é de conhecimento público que eu amo uma melancolia.

Fico feliz que tenha gostado, Flávia das Facas!

Postado 25/08/17 12:33

Um tempo muuuuuuuuito longo! Pois é, Brina Tristeza domina mais que as outras Brinas! kkkkkkkkkkkkk

"Flávia das Facas"... Gostei dessa! *-*

Postado 25/08/17 16:35

Senti tanta a sua falta aqui nesse lugar tão sombrio, de ler algo seu, de sentir cada intensidade nas palavras, nas estrofes, nas descrições. Senti a falta da sua marca registrada em cada obra, seja ela com o codinome Tortura, ou Ternura. Simplesmente senti sua falta.

E esse poema? Chega a ser cruel dizer que é lindo e fascinante diante do teor tão melancólico e culposo que cerca cada linha. E o interessante é a construção de cada situação, as descrições de cada porquê, do início ao fim, e é essa observação que mais admiro na sua escrita. Não é apenas um poema que fala da morte, da culpa, do remorso. É um poema que conta a história por detrás dessa morte, daquela culpa, daquele remorso.

E neste caso, é o nosso eu-lírico que dá-nos esse prazer.

A reflexão contida aqui é algo que todo ser humano deveria levar consigo: refletir sobre as consequências de seus atos. Afinal, tudo começa a terminar partir disso, não? Pelo começo do ato. O ato de brincar com os sentimentos, de testar, de se cativar. Porque para essa pessoa não havia nada de errado em ir embora, certo? Não haveria nenhuma consequência drástica, correto?

Errado.

Porque todo ato gera uma consequência. E no caso do nosso eu-lírico que passou por isso, foi uma bola de neve; uma atrás do outro. Depois que acontece o inesperado, é tarde demais pra tentar consertar.

Pois nenhuma lágrima, oração, vela ou dedicatória irá amenizar a culpa contida em cada coração. Não irá amenizar a culpa dessa pessoa que foi a personificação de um coração partido.

Lindo poema, Brina. Espero vê-la sempre ♡

#ad01-014

Postado 27/08/17 17:53

E eu senti falta de ler teus comentários encantadores e, como sempre, capazes de compreender perfeitamente o que quis passar em minha obra. Não existe nada mais gratificante para um escritor (não sou uma oficialmente, mas quem sabe um dia rs) do que receber palavras valiosas como essa.

Pãozinho de Fofura, não posso dizer algo além de um simples obrigada, mas fico feliz em demasia por ter recebido palavras tão verdadeiras! Obrigada!

Postado 29/08/17 11:27

Srta Pam... Em nome de Satan, me diga por gentileza que lugar tão sombrio é esse ao qual a senhorita se referiu em seu feedback, pois aqui é um site onde onze de cada dez textos postados é sobre amor, carinho, cafuné, beijos, romance e afins...

Postado 29/08/17 19:27

A Academia Carinhosa está vencendo em questão de popularidade por aqui? Gente, quando eu dei uma sumida as coisas não estavam dessa forma não. Seria meu sonho? MUAMUAMUAMUAMAUA

Postado 26/08/17 10:21

Mocinha Sabrina!!! <3

Que belo poema temos aqui!! Acho que também é de conhecimento geral que eu adoro uma tristeza bem dramática rsrs *-*

E esse seu poema foi muito perfeito para descrever esses sentimentos angustiantes... é um poema com uma sensibilidade tocante, que faz os leitores sentirem e compartilharem todos os sentimentos horríveis aqui descritos...

É extremamente horrível sentir culpa e remorso, mas nesse caso, a pessoa mereceu se sentir assim, por ter feito a outra sofrer tanto assim, levando-a até a morte...

Alguns versos foram tão lindos, tão profundos, tão intensos e tão tristes... tais como: "Restou-me dançar sobre as cinzas / Das primaveras de nossas lembranças." e "Caminhei pelas ruas tentando afastar / Todos os motivos que me fizeram te amar." - foram as linhas mais tristes... mais bonitas...

A terceira e a quarta estrofe acabaram comigo... O que era para ser apenas triste, tornou-se dramaticamente horrível... uma completa desgraça sem volta...

Senhorita Tristeza! Parabéns por escrever coisas assim, profundas ao ponto de envolver o leitor de uma forma intensa! *---*

Um grande abraço, Meiling!! <3

P.S for Diablair #ad01-14

Postado 27/08/17 17:56

Srta. Meiling, como é bom ler teus comentários novamente. Como sempre, descrevendo na medida certa a mensagem transmitida através destes simples versos.

Agradeço muito por suas belas e compreensivas palavras. Obrigada, querida!

Postado 07/02/18 21:02

Sabe que eu sou muito apaixonada por teus poemas, né?

Pois, esse aqui está tão maravilhoso, mana <3 completamente perfeito!

Postado 08/02/18 11:57

Obrigada, mana ❤

Postado 16/10/18 11:23

Sou relativamente novo aqui, mas que eu posso dizer: tanto a nivel de escrita como de caracterização é possível ver a dor e a tristeza que carregas. Algo a mudou. Só você sabe o que é. Mas seus escritos deixam isso bem claro