Amor platônico de 2016
6 de Janeiro
Tipo: Conto ou Crônica
Postado: 26/11/17 00:38
Editado: 26/11/17 00:39
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 38seg a 51seg
Apreciadores: 3
Comentários: 3
Total de Visualizações: 290
Usuários que Visualizaram: 4
Palavras: 103
[Texto Divulgado] "Em tempos de Corona" Olá leitor, espero que esteja tudo bem por aí (ademais, são tempos de quarentena). Falando nisso, vamos falar do título "Em tempos de corona..." - significa dizer que foi escritório prioritariamente em função dos últimos acontecimentos relacionados à pandemia mundial. Bora refletir sobre o que os últimos acontecimentos podem nos dizer? Abraços virtuais bem de clima de pandemia!
Livre para todos os públicos
Notas de Cabeçalho

Vocabulário da Escritora:

Dobradiça

substantivo feminino

¹Conjunto de duas peças unidas por um pino sobre o qual giram, o que lhes permite afastar-se ou aproximar-se uma da outra, formando ângulo mais ou menos aberto; ²Articulação; lugar onde se tocam dois ossos.

Capítulo Único Amor platônico de 2016

Minhas dobradiças...

As minhas dobradiças rangem,

Quando eu tento seguir seus passos,

Mas você é mais rápido,

E vai á minha frente.

Minhas dobradiças sangram,

Quando suas palavras

Ameaçam sair entredentes.

Minhas dobradiças me mantém firmes,

Mas, meus músculos continuam doendo,

Minhas veias traçam o caminho do sangue,

E faz tempo que eu não o vejo escorrendo...

Minhas dobradiças se esfarelam,

Quando flertamos por um eterno milésimo de segundo,

Minhas dobradiças pedem

Um lata de óleo cheia de gotas de amor.

Minhas dobradiças imploram,

Para você descer mais devagar os degraus da escada,

No entanto, minhas dobradiças se mantém petrificadas,

Ainda nesta hora.

❖❖❖
Notas de Rodapé

Essa paixão platônica durou muitíssimo pouco, ele me mandou solicitação em uma rede social, lembrei dele que era inalcansável, é aquele ditado "agora que eu cresci você quer me namorar". Mas com certeza, não tão literal.

Enfim, me gerou bons poeminhas tolos.

Obrigada por lerem essa minha vibe passada.

Apreciadores (3)
Comentários (3)
Comentário Favorito
Postado 11/12/17 21:39 Editado 11/12/17 21:41

Os amores platônicos parecem se tornar infernais para um poeta. Eles rendem boas poesias e até um desabafo dito ao silêncio, mas, bem lá no fundo da alma, a gente sente um vazio por amar alguém inalcançável. As dobradiças do coração rangem e fazem os olhos transbordar, quando estamos diante de um amor impossível.

O mais engraçado, é que quando esquecemos essas desgraças, eles voltam querendo aquele espacinho do nosso coração. É nessas horas que eu deixo todo rancor falar mais alto mesmo. Quem perdoa é Deus, eu tô aqui na terra guardando rancor e ranço desde 1999.

Brincadeiras a parte, rs.

Essa obra mostra a essência de um amor platônico. Gostei muito de tu ter usado as dobradiças para personificar toda a situação/sentimento.

Parabéns pela obra. Obrigada por sempre compartilhar obras que retratam tão bem os sentimentos mais comuns que vivemos. ❤

Postado 18/12/17 20:56

Obrigada por sempre estar aqui apoiando e dando aquela força monstruosamente amorosa, que todo poeta de baixa estima precisa! HAHAHAH

OBRIGADA! <3

Postado 26/11/17 13:46

Dizem que amor platônico é ruim e sei lá mais o que, mas se a pessoa que sofrer disso for um escritor, a coisa muda completamente!

#ad01 - 142/154

Postado 26/11/17 17:05

Quem faz um escritor se apaixonar, está destinado a nunca morrer. Infelizmente.

GRRRR

Postado 11/03/18 20:39

Um poema amável, de fato, adorei lê-lo, foi realmente muito bom <3

Parabéns, como sempre <3