Ser Como Você
Sabrina Ternura
Tipo: Lírico
Postado: 14/01/18 03:08
Editado: 14/01/18 03:09
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 1min a 2min
Apreciadores: 4
Comentários: 4
Total de Visualizações: 202
Usuários que Visualizaram: 7
Palavras: 250
[Texto Divulgado] "Escorpiana" Intensidade, esse é o seu nome. Aquela que sussurra, que grita e que demostra o quanto o amar é importante.
Não recomendado para menores de dezoito anos
Notas de Cabeçalho

Salut, pessoal. Como vão?

Bom, esse poema é bem polêmico, pois trata sobre suicídio e aborto (não o ato em si, mas o pensamento de ver isso como única alternativa). Não estou aqui para julgar, apenas tentei falar sobre uma situação que vivi muito de perto. Portanto, se porventura decidirem continuar, essa autora não se responsabiliza.

Aviso dado! Desejo uma boa (na medida do possível) leitura.

Capítulo Único Ser Como Você

Queria ser mais do que você imaginava;

Uma caixa de surpresa que trazia sorrisos

Ou até uma versão sua em um corpo diferente.

Sim, queria ser mais parecida com você.

Ansiava ter sua gentileza tocante,

Teu âmago inabalável

Ou seus trejeitos amáveis.

Sim...

Imploraria ao próprio Diabo

Ou acreditaria no divino Deus,

Se pudesse ter a chance de ser como você.

Atravessaria o mundo para ter sua força

E até enfrentaria meus medos paralisantes para isso,

Porém, aqui estou eu, ouvindo os mesmos demônios

De ontem e semana passada.

Estou aqui, observando o meu sangue lavar o banheiro,

Enquanto os pulsos perdem a vida

E a respiração diminui até o oxigênio tornar-se rarefeito.

Mãe, queria ter sido como você

E que tu se orgulhasse da mulher que eu iria me tornar.

Contudo, como pode ver através dessas palavras,

A morte dói menos que a vida

E a minha dor não se faz mais necessária aqui,

Pois suicidas não sentem,

Apenas observam de longe aquilo que, um dia,

Foi a coisa mais importante.

Mãe, eu estava morrendo muito antes dos comprimidos e das terapias.

Morri antes mesmo de nascer,

Pois você disse em alto e bom som

Que minha existência atrapalharia sua vida.

A morte começou a me acompanhar naquele momento;

No instante que eu fui indesejada e meu nome era ''Acidente''.

Mãe, estou partindo,

Pois não quero mais ser um fardo - seja livre!

No fim, me tornei aquilo que você sempre foi por baixo dessa máscara de bondade:

Uma ceifadora.

❖❖❖
Apreciadores (4)
Comentários (4)
Postado 14/01/18 13:45

Gostei do texto, achei o texto forte, mas com as palavras certas, tornando ele sutil, com exceção a última estrofe claro. Parabéns!

Postado 16/01/18 18:19

Obrigada, moço!

Postado 16/01/18 11:45

Talvez eu seja Doente. Talvez não, eu realmente sou. Não achei o texto tão forte assim. Ele foi pesado sim, mas foi muito mais poético do que o que eu imaginei que seria pela sua nota inicial (Isso não é ruim, tá?)

Lendo eu lembrei de uma coisa, mas eu não sei se ela realmente aconteceu ou se foi coisa da minha mente de criança.

É que uma vez eu ouvi uma cliente da minha vó falando que a filha de uma conhecida dela tomou veneno por causa da mãe e não por ter terminado com o namorado, como todo mundo estava dizendo. A menina ouviu a mãe dizendo exatamente a mesma coisa que a protagonista desse poema. Não sei se realmente foi isso, mas enfim...

Parabéns.

Postado 16/01/18 18:20

Obrigada!

Postado 16/01/18 22:07 Editado 17/01/18 08:57

Não vejo nada de polêmico na questão do aborto, apenas um excesso de sensacionalismo. O aborto é um ato de tirar uma vida, e, portanto, inaceitável, exceto quando do mesmo caso da legítima defesa da vida e da honra (conceitos básicos da civilização mas que hoje são jogados no ralo pelo progressismo); ou seja, aceitável apenas quando gera risco de morte ou no caso de estupro da mãe. O resto é ladainha de manada ignorante que se deixa levar por palavras "bonitas" de quem não se importa com nada além de si mesmo, simples.

Enfim, voltando ao texto, bem escrito, bem estruturado, trazendo claramente o sentimento ao leitor. Parabéns.

Postado 17/01/18 02:03

Hoje em dia a gente não pode nem falar aborto, sem ser condenado. Por isso deixei o aviso para que os mimizentos de plantão não enchessem a porra do saco que eu não tenho KKKKK.

Obrigada ❤

Postado 13/05/18 21:41

Muitas vezes as palavras cortaram muito mais fundo que armas...

ADORAVEL a maneira que desenvolveu esses assuntos delicados, a narrativa suavel faz o texto fluir rápido e atraente.

Agradeço por compartilhar sua obra de palavras mortais.

<3

Postado 28/05/18 16:08

Obrigada <3

Outras obras de Sabrina Ternura

Outras obras do gênero Drama

Outras obras do gênero Poema

Outras obras do gênero Reflexivo

Outras obras do gênero Sobrenatural