Diário
6 de Janeiro
Tipo: Conto ou Crônica
Postado: 17/02/18 12:55
Editado: 23/02/18 23:46
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 2min a 3min
Apreciadores: 3
Comentários: 3
Total de Visualizações: 123
Usuários que Visualizaram: 6
Palavras: 407
[Texto Divulgado] "O que surge do vazio... " Não existe ser humano que suporte o vazio dentro de si. Mas, o que acontece quando é uma Huldra que sente assim? Eis uma pergunta cuja resposta jamais deveria ser respondida...
Não recomendado para menores de dezoito anos
Capítulo Único Diário

Querido Diário,

Sou eu, ou o seja lá o que pareça ser.

Minha mente está em chamas, meu corpo está padecendo, eu não sei o que fazer... Qual caminho seguir.

A vida é uma angústia.

E pela primeira vez serei sincera com você, lhe direi o que sinto e vejo e penso, à medida que os fatores acontecem.

Estou rindo enquanto meu tórax sacoleja de tristeza e desespero logo em seguida, observo os tetos de casa dançando, enquanto eu sinto que morrerei sozinha.

Sabe, estou cansada de chorar me sentindo abandonada neste chão frio esperando que alguém perceba... Mas a verdade é que eu estou cansada de minhas histerias, eu mordo meus braços até que meus dentes fracos amoleçam, só para não descontar em alguém que não mereça...

Minha boca seca enquanto estou me sentindo morta, enquanto eu choro de desespero ao observar meu rosto no espelho - destruído pela amargura.

Garganta com gosto de sangue ácido

Boca inchada de tanto chorar

Dentes descoloridos

Nojo de mim mesma!

Estou deitada no chão do banheiro há uma hora, esperando pela morte ou que alguém note e imagino que ninguém notaria se eu estivesse aqui, sem fôlego de vida neste chão imundo de lágrimas.

Ah diário, eu me sinto apenas carnal com estes olhos ardidos de tanto chorar, tenho nojo de mim mesma pela minha inutilidade. Sou um fardo.

E... Vou lhe contar um segredo:

Tenho uma mente que se esfarela (eu ouço algo se esfarelando dentro da minha cabeça). Estou deitada neste piso, esperando que Deus me leve, eu paro de respirar até que tudo fique escuro ou borrado, mas algo me puxa de volta!!! Mesmo eu tendo este espírito que falha dentro de meu corpo, todas as forças me amaldiçoam, querendo que eu viva! Apesar de eu estar me abandonando mais a cada dia.

E sim, sim estou cansada de dormir para fugir de crises de ansiedade e exausta de me entupir de remédios pra dormir rápido mais rápido. Cansada de ser apenas uma passagem rápida e não uma estadia longa na vida de quem importa. Sou sempre tão facilmente deixada partir...

Sabe, eu odeio me sentir fora do meu corpo, ao ponto de não reconhecer meu próprio rosto.

Mas são coisas que terei de suportar Diário, o fim de todos é eminente, alguns, mais aguardados que outros e alguns, mais ressentidos do que a maioria.

Eu serei só um punhado de cinzas.

Obrigada por me ler, querido.

❖❖❖
Notas de Rodapé

Os contos mais confusos, são os mais sinceros. Infelizmente.

Apreciadores (3)
Comentários (3)
Postado 25/03/18 19:28

Li seu texto refletindo muito. A vida realmente é injusta a maioria das vezes. Isso nos faz querer desistir de continuar tentando. Sei porque, infelizmente, isso já aconteceu comigo diversas vezes. Agora, só estou fazendo as coisas porque me falam pra fazer, porque, por mim, já teria desistido faz tempo. Foi um texto muito bonito e cheio de sentimentos. Está de parabéns!

Postado 25/04/18 01:23

Sabe, estou lendo este desabafo enquanto pela primera vez deixo de tomar meus comprimidos no [primeiro] tratamento que funcionou. E isso me fez relembrar todas as noites angustiantes que passei e como eu pareço ter me apegado a sofrer -- só há essa explicação.

Sinto muito, querida Ana.

Postado 15/06/18 20:49 Editado 15/06/18 20:52

Eu vejo uma beleza triste nesse texto. Não sou a melhor pessoa para falar, já que os meus sentimentos não são exatamente sentimentos. Eu sou uma pessoa bugada de todas as formas possíveis.

Não sei bem se o que eu vou dizer (lê digitar) agora vai fazer algum sentido, mas...

Cinzas voam com o vento. Flutuam graciosamente, embora seja uma visão um tanto quanto melancólica da coisa.

É tudo uma questão de vontade e aceitação. Ou algo nesse estilo. Não digo aceitar de fato a situação, mas aceitar que está na situação e ter vontade de mudar. (Olha eu lá bugando tudo...)

#TG 3/50

Outras obras de 6 de Janeiro

Outras obras do gênero Crítica

Outras obras do gênero Drama

Outras obras do gênero Erótico ou Adulto

Outras obras do gênero Reflexivo