Limbo
Gabriel N Mendes
Tipo: Lírico
Postado: 13/03/18 18:40
Gênero(s): Poema
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 33seg a 44seg
Apreciadores: 1
Comentários: 2
Total de Visualizações: 104
Usuários que Visualizaram: 7
Palavras: 89
[Texto Divulgado] "Tempestade" Porque eu sou como uma força da natureza, não tente me parar. Isso é tudo o que eu te peço.
Livre para todos os públicos
Notas de Cabeçalho

Leia escutando The 1975 - Somebody Else

Capítulo Único Limbo

Dor, sentir e experimentá-la

bebemos água em chamas para ser como os outros, vencedores

envoltos no amargo gosto de viver

Morremos aos poucos sendo vistos como a ave que come a carne podre

Não como a ovelha que bebe leite

As costas pesam, a morte, leve deixa

Fugimos da dor que não queremos carregar

Mas, cegos, corremos em direção ao mar de fogo

Beijamos a água para não nos sentirmos só

onde há, perdedores

esquecidos no limbo infinito e escuro

o lugar de conforto para muitos

escondidos do mundo

❖❖❖
Apreciadores (1)
Comentários (2)
Postado 13/03/18 20:09

Lindo poema, parabéns!

Postado 16/10/18 10:20

Esta de parabéns , jovem padawan. Lindo e expressivo poema com certeza