Frankenstein nazi
LAVENDER
Tipo: Conto ou Crônica
Postado: 14/03/18 22:11
Editado: 14/03/18 22:16
Gênero(s): Reflexivo Sátira
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 1min
Apreciadores: 2
Comentários: 2
Total de Visualizações: 826
Usuários que Visualizaram: 5
Palavras: 196
[Texto Divulgado] ""
Não recomendado para menores de doze anos
Notas de Cabeçalho

Meu vigésimo conto e talvez o que encerre um ciclo aqui na academia. Obrigado por ficarem comigo até o fim do espetáculo e um vai toma no cu pra quem se levantou no meio do show pra ir no banheiro e atrapalhou a pessoa da fileira de trás. De: um dos contistas que mais durou aqui apesar do pouco retorno.

Capítulo Único Frankenstein nazi

Como leitura obrigatória daquele ano de 1920, Frankenstein: or the Modern Prometheus foi lido por toda classe da sexta série, considerando que o colégio dispunha somente de três exemplares do livro e que foram alternando entre os 39 alemãezinhos da sala.

Todos que leram adoraram o livro por maior parte porque tinha um monstro, entretanto um lourinho da primeira fileira provou ser o aluno da sala com maior intelecto por apreciar não apenas a criatura, mas também Victor Frankenstein, no qual se espelhou até morrer em solo brasileiro.

Entre 1933 e 1945, o lourinho queria mais que três exemplares em todas as escolas da Alemanha e viu isso menos distante na ideologia de Hitler e em seu discurso nas ruas. Seguindo-o, ele conseguiu trabalho nos laboratórios nazistas e realizou incansáveis experiências atrás de criar o soldado alemão perfeito, decepando incontáveis corpos e os costurando num só. Ao acordar com sons ensurdecedores, o alemão hasteou o seu monstro para uma abertura no teto pensando ser uma noite de trovoadas e raios, mas, quando olho pro céu, não acreditou nos bombardeiros americanos e seus barulhentos motores sobrevoando intrepidamente as nuvens negras sendo pilotados por corações únicos e inabaláveis.

❖❖❖
Apreciadores (2)
Comentários (2)
Postado 31/05/18 22:11

Sobre as Notas Iniciais: é uma verdadeira sessão de BDSM permanecer aqui no site, posto que os escassos usuários ativos em sua esmagadora maioria postam mas não comentam as obras de outrem. Assim não existe uma sinergia que mantenha o fluxo das coisas. Apenas decadência e desistências. Infelizmente.

Sobre o texto em si, na minha modesta opinião, embora ele tenha tido um percurso bem claro da trama (início, meio e fim), algo que não sei definir exatamente o quê deixou o mesmo com um tom de algo inacabado/interrompido. Mas, a ideia foi sublime, o que é de praxe quando ae trata de seus trabalhos, Sr Fadado!

Espero que continue um pouco mais neste antro maldito...

Atenciosamente,

Um ser decomposto e remendado grosseiramente, Diablair.

Postado 10/06/18 21:11 Editado 10/06/18 21:17

Inicialmente, respondo Sua última esperança:

Continuarei um pouco mais neste antro sim.

Agora, sabe que quando escrevi este texto eu não consegui arranjar final melhor. Também me sinto incomodado toda vez que volto aqui haha.

Enfim, vi que O senhor voltou recentemente e começou uma nova "novela" em parceria, gostei, ainda vou comentar lá, ok? haha

Visto seu histórico de romances conjuntos, espero muito desse e principalmente perceber Você no aspecto criativo.

Enfim novamente,

Do seu grande fã, Nathan(ã)

Postado 10/06/18 21:45

Sobre o "romance" novo em conjunto... Sou obrigado a spoilear que o senhor vai fica muito decepcionado/furioso comigo/conosco. Mas, desde já agradeço do que me resta de coração pela expectativa e apoio!

Gratíssimo! Gratíssimo!

Ps: também sou fã do senhor!

Postado 17/06/18 00:02

Hehehe. Texto escrito a milhão, pelo jeito. De qualquer forma, dá pra ver que o Nazi se lascou como todos os demais nazis. Malditos americanos e seus aviões com som de tempestade, hehehe.

Valeu!