Inferno
kuhaku
Tipo: Conto ou Crônica
Postado: 02/04/18 12:39
Editado: 02/04/18 12:43
Gênero(s): Drama Reflexivo
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 2min a 3min
Apreciadores: 0
Comentários: 0
Total de Visualizações: 51
Usuários que Visualizaram: 4
Palavras: 377
[Texto Divulgado] ""
Livre para todos os públicos
Capítulo Único Inferno

Inferno

Era uma noite absurdamente quente, ninguém na cidade conseguia dormir, os cachorros de rua latiam por conta da indignação. Já era quatro horas da manhã e ninguém havia conseguido repousar, os que tinham ar condicionado, por conta do barulho dos animais, e aqueles sem o aparelho por conta da soma de fatores e principalmente o clima anormal daquela madrugada de dezembro.

Era dia 22 de dezembro, o natal estava próximo, época que todos tendem a trabalhar mais para compensar a folga na noite da véspera de feriado, e ninguém havia dormido uma noite inteira, alguns cochilaram por conta da exaustão, mas uma coisa é certa, não há uma pessoa que tenha descansado bem aquela noite.

Antes que qualquer um conseguisse acreditar naquele inferno, os despertadores na cidade inteira começam a soar, já eram cinco horas, as pessoas começam a se levantar mesmo que quase sem forças.

Depois de tomar um banho em uma tentativa inútil de combater o calor as pessoas tomam um rápido café e vão cada um para o seu destino porem todas já tem em mente que não conseguirão cumprir com seus prazos e já vão prontos para ouvir reclamações de seus respectivos chefes. Trabalhando até a exaustão e a fadiga completa do corpo apenas poucos duram até o fim do dia, uns desistem e são forçados a voltar para casa desempregados enquanto outros por não cumprirem com seus horários tem que levar trabalho para casa e trabalhar na véspera de natal também.

Após passar por esse teste ainda há um desafio que muitos tem que enfrentar, a compra do presente paras as festas de natal, esse é um momento que as pessoas precisam enfrentar trânsitos enlouquecedoras e filas exorbitantes, após algumas horas com o presente comprado cada um volta para sua casa esperando ter um merecido descanso, entretanto desde a madrugada o clima não melhorou nada, pelo contrário, ficou ainda mais quente.

Todos tentam dormir cedo nesse dia, nove horas já estavam em suas camas se remexendo de um lado para o outro na esperança de algum jeito se esconderem do calor, passam horas antes que alguém consiga dar um cochilo por conta da exaustão, e antes que alguém possa acreditar, os despertadores soam novamente indicando que já são cindo horas novamente.

❖❖❖
Apreciadores (0) Nenhum usuário apreciou este texto ainda.
Comentários (0) Ninguém comentou este texto ainda. Seja o primeiro a deixar um comentário!