Por que desisti de ser modelo internacional?
Allen Silva
Tipo: Conto ou Crônica
Postado: 02/04/18 22:06
Editado: 03/04/18 13:17
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 12min a 16min
Apreciadores: 0
Comentários: 0
Total de Visualizações: 188
Usuários que Visualizaram: 4
Palavras: 1944
[Texto Divulgado] ""
Não recomendado para menores de dezesseis anos
Capítulo Único Por que desisti de ser modelo internacional?

Era um dia normal, eu estava assistindo a série do Pablo Escobar, El Patron del Mal quando o meu celular tocou com um número diferente, na hora já achei que era o banco ligando, mas lembrei que os bancos já desistiram de me ligar.

Mas pensando bem podia ser também pois eles ligam pra mim procurando uma pessoa que eu nem conheço e isso acontece muito, mas eu já fiz tanto trote com eles que também já desistiram de procurar essas pessoas que de certo eram donas do meu número nas antigas.

Banco liga direto, mas nunca duas vezes do mesmo número, resolvi não atender, se fosse importante ligariam outra vez.

30 segundos depois o telefone toca e era o mesmo número, imaginei que era algum bandido dizendo que sequestrou a minha sogra, eu ia me divertir um pouco tirando ele pra “loque” e ainda era capaz de ele se interessar em sequestrar a minha sogra mesmo.

Só pra saber, vocês sabem o que é loque né? É tipo Coió, Boca Mole, Pedro Bó, Tanso, Bicho do Mato, Otário. Minha mãe ainda tinha sobrenome, Loque Esbandeirado.

Resolvi atender, já impostei a voz pra passar respeito:

-Alô (Mas foi um alô tipo Cid Moreira)

-Olá, Sr Alein? (Sim meu nome é Alein, mas como me chamavam de Alien, resolvi mudar)

Puta La Merda, das duas uma: Ou sequestraram a minha sogra de verdade ou era o banco que tinha comprado um chip novo, porque os outros 4325 que eles ligavam eu já tinha bloqueado.

Respondi:

-O Sr. Alein não se encontra, é da parte de quem?

-Somos de uma grande agência de modelos, a maior do Brasil e gostaríamos de convidar ele para vir até aqui, nos interessamos no perfil dele para ser nosso modelo. O senhor pode pedir para ele retornar?

Por dois segundos eu fiquei em silêncio pensando se não era um artimanha do banco pra levar eu até num lugar onde eles iam me pegar de jeito, mas ai lembrei que sou feio e com essa "desculpinha" de ser modelo eles não iam nem me tirar de casa.

- KKKKKKKKKK moça, acho que vocês se enganaram de Allen, esse aqui não serve nem pra modelo de roupa pra defunto. No cadastro de vocês não tem a foto dele ai? É só olhar que nos máximo ele vai servir de modelo para aqueles latões que pintam de alaranjado pra organizar o trânsito. Vocês não tem vergonha de ligar para a casa das pessoas e passando esses trotes?

- É sério senhor, ele pode ligar no nosso telefone e pedir pra falar com a Maria.

Ela deixou o telefone e eu desliguei ainda meio sem entender. Fui pra frente do espelho e comecei a me analisar, barbinha sempre bem feitinha, cabelinho penteadinho, óculos multifocal da moda (daqueles que não parecem de velho com duas meias luas na parte de baixo, pra ler de perto), camisetinha de marca, calça do balaio mas parece de marca e um sapato bonito que ganhei de presente de natal do Deputado Cleiton Salvaro. É, eu era um cara bonito, mas se pedissem pra eu ficar pelado eu tava ferrado. Mas fardadinho até que passava.

Me enchi de confiança e liguei de volta:

-Alô, por favor eu gostaria de falar com a Maria

-É ela

-Eu sou o Allen, vocês me ligaram e meu assessor atendeu a ligação

-Certo, bom eu trabalho na maior agência de modelos do Brasil e gostamos do seu perfil o senhor poderia vir até nossa sede em Florianópolis amanhã para conversarmos?

- Olha, sou de Criciúma mas consigo um espacinho para dar um pulinho em Floripa sim, amanhã estarei ai.

Gente por uma cagada do destino eu já estava indo para Florianópolis naquele dia, mas quis dar um migué para me fazer de importante.

Migué todo mundo sabe né? Todo mundo já deu um miguézinho um dia.

Cheguei na agência e fui colocado numa sala com mais cinco pessoas, eram dois homens e três mulheres, tudo gente bonita do tipo que não se vê na rua. Umas gurias de olhos com umas cores que não dava nem pra saber se eram azul ou verde, parecia porcelanato liquido, rostos com traços marcantes, e rapazes despojados, com olhos lindos também, rostos bonitos e olha que não acho homem bonito. Analisei bem a cena, cinco pessoas com corpos esculturais, lindas por natureza e eu.

Bom, eu, eu vou me apresentar tipo locutor de boxe:

Deeeeste lado do ringueeeee, cinco pessoas maravilhosas, olhos cor do céu, as coisas mais lindinhas do mundo e do outro ladooooo, pesando pra caralho, com seus olhos marrons cor de mar com ressaca, cabelos oleosos e vesgo, Alleeeeeennnnn Silvaaaaaaaa

Que chance eu ia ter com aquela turma?

Veio um carinha e chamou o primeiro e assim até eu ficar sozinho, depois de uns 30 minutos me chamaram.

O cara que veio me buscar me olhou de cima a baixo e ali eu pensei: É agora que ele diz que foi um engano e me manda embora.

Mas o cara me levou pra uma sala e começou as perguntas:

-Alien, acertei seu nome?

Ele já começou criando inimizade comigo

- Mais ou menos, mas pode chamar assim mesmo.

-Você já atuou?

-Só nos videozinhos que eu e meus amigos gravamos pro youtube e numa vez fiz o papel de um dos reis magos no presépio vivo lá na praça da Içara.

-Hummm..... Já dançou

Gente, olha pro meu corpinho e pergunta se eu já dancei, pelo amor de Deus.

- Já sim, dancei a quadrilha na escola uma vez num dia de chuva, eu estava usando uma bota da mãe e escorreguei, uma amiga tentou me segurar mas eu me estatelei no chão e depois dancei também numa apresentação vestido com um saco de lixo preto a musica Brasil do Cazuza. Nessa vez me disseram que fui bem, menos na hora que ia todo mundo pra um lado e eu pro outro.

Gente, de longe se via que eu não servia praquilo, mas o cara era teimoso.

Pegou uma fita para me medir, dos pés a cabeça sobrou fita, mas quando foi pra ver o tamanho da redondeza do bichão aqui, ai faltou fita métrica.

Parecia mais que eu tava uma avaliação para uma operação bariátrica do que numa seleção de modelos.

Sentamos e ele começou a me explicar:

- Olha hoje eu não tenho nenhum modelo no seu perfil aqui na agência.

Eu pensei: Mas claro que não tem, ninguém tem, um cara gordo com 34 anos, olhos pretos casado, com filho, a esposa grávida, pesando todos os quilos que podia pesar. Gente que nem eu não tá em agência de modelo, tá em farmácia comprando remédio pra hipertensão e anti ansiolíticos, ou em lanchonetes sendo felizes.

Bom, mas o cara era teimoso mesmo e continuou:

-Gostei do seu perfil, já recebi alguns pedidos de trabalho para o dia dos pais e o senhor se encaixa neles e tem alguns trabalhos Plus Size também. O senhor topa ser modelo da maior agência do Brasil?

-Depende, paga quanto?

-Trabalhos normais de R$500 a R$700 reais e trabalhos excepcionais até uns R$ 5000

-Começo quando?

-Então, o senhor precisa apenas de algumas coisas básicas para começar, assinar um contrato conosco, ele não é de exclusividade, ou seja, o senhor pode trabalhar com outras agências também.

-Ahh claro, fico mais tranquilo, tá cheio de agências me procurando, não dou conta de atender ligações. Cara no máximo que uma agência me procurou foi a do meu banco por causa de um cheque devolvido e uma agência de carga pra contratar eu pra descarregar caminhão de açúcar.

-Bom, o senhor precisa de umas fotos profissionais para que possamos disponibilizar para nossos clientes. Essas fotos nós mesmos fazemos aqui na agência, mandamos para finalizar em São Paulo e ai é só esperar os cliente chamarem você.

Nessa hora eu já tava pensando que tinha uma dessas belezas estranhas tipo a Cameron Diaz ou a Bozena (Alessandra Maestrini) do Toma lá dá Cá. Tava até planejando em qual banco eu ia guardar minha fortuna dos trabalhos como modelo. Na verdade eu tava até ensaiando como seriam as entrevistas que eu ia dar nas rádios da minha cidade, como sai da periferia para virar modelo internacional, ia criar uma fundação com meu nome para ajudar países em guerra e tal.

-Tá amigo, eu aceito, como eu faço com essas fotos?

- Nós damos tudo, os look´s, a única coisa que o senhor precisa é vir de "banhinho" tomado.

-Fechou, to dentro!

Nessa hora eu já tava mandando uma mensagem de whats pro patrão pedindo a demissão

-Ahh, esse álbum tem um valor de R$1600 que parcelamos em 10x.

Gente isso mesmo, mil e seiscentos reais. Eu já fui fotografo e sei o preço, mas pra fazer aquelas deles, eu ia gastar no máximo uns 30 pila por foto na loja lá do centro, a não ser que eles cobrassem por área fotografada, ai ia dar bastante mesmo.

-Meu amigo, eu tava lá em casa, deitadinho assistindo a série do Pablo Escobar, bem na hora que ele subia no telhado vocês me ligaram, me tiraram de casa, fizeram eu me deslocar 200km pra me dizer que eu tenho que pagar um pau e seiscentos pra fazer umas fotos pra vocês mostrarem pros clientes e aquele que me achar bonito me contratar? Cara, eu sou feio, tira um xerox da minha identidade e mostra, o efeito vai ser quase o mesmo.

Tava ali o furo da bala, eles queriam faturar R$1600 nas minhas costas.

Eu sou feio, mas não sou burro, ali eles não me pegam!

Na bem da verdade quase me pegaram e eu podia até mudar para: Sou feio mas não tenho 1600 kkkkk.

Eu me senti igual quando vem aquele pessoal tentar me convencer a entrar nesses marketing multinível, mas pelo menos esses iam lá em casa, não me faziam andar 200km.

Nunca entrei em marketing multinível por dois motivos, 1º eu nunca tive grana pra investir e 2º Dizem que todo mundo se dá bem , mas como minha mãe sempre disse: Eu não sou todo mundo.

O cara me deu uma revistinha da agência com umas fotos de modelos que eles já lançaram e escreveu o telefone dele na última página. Uma revista com cores bonitas e um papel de altíssima qualidade, bem resistente, fato que seria muito importante pra mim mais tarde. Coloquei ela na minha mochila e saí.

Quando cheguei na porta da agência, eu olhei para trás e senti que tinha cumprido minha missão como modelo, era hora de eu me aposentar dessa carreira meteórica, então decidi que iria abandonar os palcos e esse mundo de badalação, e resolvi me dedicar a minha carreira de assessor em mídias sociais. Ainda bem que o whats deixa apagar mensagem que enviamos e nos arrependemos, ai meu patrão não leu meu pedido de demissão que tava acompanhado de mais uma besteiras que eu falei na hora da empolgação kkkk.

Esses dias pensei em mandar uma mensagem pro cara pra pelo menos agradecer de ter me convidado e me fazer sentir feliz por uns minutos, mas ai lembrei que semana passada faltou gasolina no meu carro, fui no posto e comprei um galão, mas não tinha funil. Então peguei a revistinha, enrolei bemmmm enroladinha, fiz um canudo e usei como funil, pelo menos me serviu pra alguma coisa.

Se eu fosse bonito e servisse mesmo como modelo, eles me pagariam as fotos né. Meu cunhado foi modelo, esse porque era bonito mesmo, deram as fotos e tudo mais que ele precisava e quando ele desistiu, ofereceram casa, carro, sociedade na agência.

Quando eu desisti, só me deram tchau!

❖❖❖
Apreciadores (0) Nenhum usuário apreciou este texto ainda.
Comentários (0) Ninguém comentou este texto ainda. Seja o primeiro a deixar um comentário!

Outras obras de Allen Silva

Outras obras do gênero Comédia

Outras obras do gênero Cotidiano

Outras obras do gênero Crítica

Outras obras do gênero Crônica