a pure desaster
6 de Janeiro
Tipo: Conto ou Crônica
Postado: 05/07/18 00:48
Editado: 09/07/18 21:09
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 1min a 2min
Apreciadores: 1
Comentários: 1
Total de Visualizações: 104
Usuários que Visualizaram: 4
Palavras: 313
[Texto Divulgado] "Espelho da minh'alma" Eis ai uma parte do que vivi, vi , morri e renasci. Sentimentos Versos Experiência Tudo numa coerência
Não recomendado para menores de catorze anos
Capítulo Único a pure desaster

Estou cansada de me sentir um peso. Um peso que não pode ser tirado do lugar.

É que eu ronco muito alto, demoro para me vestir, e eu te beijo demais, e quero rir por mais tempo que o efeito da piada é, tenho opiniões contrárias - e te deixo magoado... De repente, me sinto um fardo por te abraçar como se quisesse entrar dentro do teu peito, quando você quer apenas descansar.

E eu me incomodo com a ideia de ficar para sempre, pois sei que eu necessito de amor demasiado que não pode ser assim oferecido a qualquer instante, pois eu exijo demais... E você não é obrigado a me dar todo o tipo de carinho, só por eu estar no solitária no meu cantinho e com vontade de chorar.

(Mas seria bom, se você viesse, sempre que você vem, eu nasço de novo)

Você tem o direito de ser livre de alguém que necessite o tempo todo em seu peito querer repousar; você precisa de alguém que não tenha uma tristeza perpétua que entra e sai e nunca tem hora para parar...

Pois você ama

E se esforça

E dá o afeto

E dá o peito

E dá os beijos...

Mas eu continuo como sangue estancado, nunca me curo, nunca evoluo... Vivo como o monstro que assombra meus próprios pesadelos. E não quero te assombrar.

Você cobre os ouvidos para não ouvir minha dor noturna - não que a culpa seja sempre sua, não há ninguém a culpar.

Viver é um ato violento

Alguns aprendem a gritar e esbrevejar,

Mas eu aprendi a chorar e a escrever poemas.

(é que, sabe... eu fico pensando que você merece tanta paz e eu tanto carinho, que seria melhor cada um de nós amar a si mesmo sozinho)

Eu sou a falha mais cruel de toda a criação divina

Eu não sei como quando parar.

❖❖❖
Notas de Rodapé

O pássaro de hoje tem dores e solidões cósmicas. Nunca poderá ser curado.

Mas ele agradece por vocês ainda estarem ao seu lado.

Apreciadores (1)
Comentários (1)
Postado 05/07/18 23:23

Lembrei-me de tantas coisas que aconteceram ou não lendo essas linhas. E lembrei-me disso:

"Nós nunca nos realizamos. Somos dois abismos - um poço fitando o céu."

Obrigado.

Postado 09/07/18 21:11

Um poço fitando o céu... Quem criou essa frase tem a alma mais intensa que eu já vi. Incrível...

Obrigada por estar aqui, obrigada pela reflexão (e que reflexão!)