A próxima Terra
Jorge Miranda
Tipo: Conto ou Crônica
Postado: 06/07/18 20:35
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 1min a 2min
Apreciadores: 0
Comentários: 1
Total de Visualizações: 140
Usuários que Visualizaram: 2
Palavras: 293
[Texto Divulgado] "O olhar de Jurema" Jurema, uma brasileira comum, tem seu dia a dia e sua reflexão sobre sua vida narrada neste conto, que visa mostrar uma breve descrição do brasileiro em geral.
Livre para todos os públicos
Notas de Cabeçalho
Capítulo Único A próxima Terra

A grande nave aproximava-se do seu destino final. Após quase 600 anos ela finalmente estava próxima de concluir sua missão.

Quando os recursos naturais foram quase esgotados em sua totalidade, quando o homem com suas guerras e seu desprezo pelo equilíbrio ecológico finalmente transformaram a Terra em um lugar condenado, decidiu-se que era hora da raça humana sobreviver.

Viajando a dez por cento da velocidade da luz a grande nave aproximou-se do seu destino.

160 pessoas foram escolhidas por sua capacidade cognitiva (artistas, intelectuais e cientistas) e compleição genética para comporem a tripulação. Metade da tripulação era composta de homens e a outra metade de mulheres. Os debates e os conflitos foram intensos sobre quem seriam os escolhidos, mas não havia outra alternativa: a raça humana teria que continuar existindo

Em meio a toda a tensão com a partida da grande nave a única certeza existente era que quando esta chegasse ao seu destino não existiria mais o planeta Terra.

A nave recebeu o sugestivo nome de Arca de Noé. Ela era uma nave geracional. 160 pessoas saíram da Terra para viver, reproduzir-se e morrer no espaço. Ao fim de várias gerações os filhos dos filhos dos filhos dos tripulantes originais finalmente aproximavam-se do seu destino.

Ao aproximar-se do planeta, que já recebera o nome de Nova Terra, sondas foram enviadas a sua superfície.

Surpresa, desespero e medo espalharam-se entre os 280 moradores-tripulantes quando os dados enviados pelas sondas mostraram um planeta com uma temperatura superior a 500º Celsius, nuvens carregadas de ácido sulfúrico e uma atmosfera basicamente composta por dióxido de carbono e nitrogênio. Ele era inviável para a vida humana.

Em meio ao imenso vazio interestelar a grande arca humana segue em busca de seu próximo destino situado a 75 anos-luz.

❖❖❖
Apreciadores (0) Nenhum usuário apreciou este texto ainda.
Comentários (1)
Postado 15/07/18 19:54

Vish... Alguém se deu mal. Quero ver ter combustível pra uma viagem de 750 anos.

Valeu pelo texto!

Postado 17/07/18 00:23

Que bom que você gostou. É um texto simples mas é baseado em uma premissa real: a de que pela impossibiliade de se viajar à velocidade da luz o mais plausível seria a criação de naves geracionais. Arthur Clarck usou esse conceito em dos romançes dele.

Postado 17/07/18 09:56

Muito bom. Sempre é bacana ver textos de ficção científica usando de fato a ciências para a execussão do enredo.

Inclusive, acho teus enredo com potencial enorme, que poderiam ser explorados em um texto maior, com mais detalhes e tudo mais. De repente, além de ficção científica, colocar um drama, uma comédia, um suspense. Sempre valoriza, torna o que é bom ainda melhor.

Postado 17/07/18 22:57

Obrigado, camarada. Seus comentáros são muito pertinentes e valorizo muito eles. Eu tenho contos de terror e de suspense em que exploro um lado subjeivo do medo e da ansiedade, angústia, etc. Breve postarei um conto longo chamado "Histórias noturnas".