A cidade acima do céu
Jorge Miranda
Tipo: Conto ou Crônica
Postado: 06/07/18 20:45
Editado: 06/07/18 20:57
Avaliação: Não avaliado
Tempo de Leitura: 2min a 3min
Apreciadores: 1
Comentários: 1
Total de Visualizações: 103
Usuários que Visualizaram: 3
Palavras: 450
[Texto Divulgado] "Tempestade" Porque eu sou como uma força da natureza, não tente me parar. Isso é tudo o que eu te peço.
Livre para todos os públicos
Capítulo Único A cidade acima do céu

A cidade flutuava tranquilamente há quase mil anos. Impavidamente situada a mais de 500 quilômetros acima da superfície terrestre ela mantinha seus habitantes longe de um lar que já foi chamado de Terra. Seus construtores a chamaram de Utopia.

Houve uma época na história da humanidade em que a coexistência pacífica entre as nações tornou-se impossível. Todos os conflitos terminaram por caminhar em direção a uma conflagração geral e apocalíptica. A Terra terminou por tornar-se inabitável para o homem.

Quando se tornou claro para todos que a vida na Terra teria seus dias contados iniciou-se a construção da grande cidade estelar. Décadas se passaram até que esta ficasse pronta.

Mil e quinhentas pessoas nela viviam. Começaram com seiscentos habitantes e em algumas centenas de anos, mesmo com rigoroso controle de natalidade, a população aumentou. A cidade agora encontrava-se no limite da sua capacidade de auto sustentar-se.

Em quase mil anos o espírito criativo dos seres humanos foi de alguma maneira obliterado. Vivendo em um ambiente de gravidade artificial, cercados da mais alta tecnologia, regido por regras rígidas que objetivavam sempre a manutenção e a sobrevivência da pequena comunidade, as pessoas terminaram por desenvolver um certo estado de apatia. Pesquisas cientificas e criação de novos padrões artísticos e estéticos tornaram-se algo muito raro.

O que restou da humanidade havia perdido o potencial empreendedor, aquela curiosidade que nos havia levado às estrelas e às profundezas do átomo, que havia criado uma Nona Sinfonia estava adormecida em algum canto escuro e escondido.

A cada cinquenta anos sondas eram enviadas à superfície terrestre para verificarem a possibilidade da existência de algum ambiente propício à vida. Por volta do ano 980 de existência de Utopia uma das sondas enviadas detectou e mapeou uma área situada no continente africano com forte possibilidade de ser compatível com a vida humana.

Um misto de alegria, ansiedade e medo instalou-se entre os habitantes da pequena cidade. Era natural que, para pessoas que nasceram em um ambiente artificial, que foram criadas conhecendo a história da Terra apenas por vídeos e fotografias, houvesse muita insegurança.

Após reuniões e assembleias com um forte caráter dramático os habitantes de Utopia decidiram que era hora de finalmente deixarem a cidade.

Inicialmente cento e cinquenta pessoas desceram à Terra. Estavam encarregadas de explorar a região e preparar toda a infraestrutura necessária para quando as demais chegassem. Haveria um longo processo de readaptação a um ambiente natural. Medos e conflitos com certeza surgiriam. Muitos pensariam em desistir, muitos ficariam pelo meio do caminho, mas a nova jornada teria que prosseguir.

Milhões de anos atrás a África foi o berço da civilização humana. Novamente era no coração do continente africano que a humanidade iniciaria uma nova caminhada.

❖❖❖
Apreciadores (1)
Comentários (1)
Postado 04/08/18 13:53

Muito interessante! Inclusive me fez lembrar de uma das séries que assisto, The 100. Tem continuação? Isso parece mais o primeiro capítulo de um livro, ou uma sinopse, em vez de uma história complete em si hehe. Parabéns!

Postado 05/08/18 23:51

Olá, amigo. Obrigado pelo comentário. É um pequeno conto escrito em quarenta minutos ( com alguma influência de Arthur Clarck). Conheco por alto a história de The 100 mas nunca vi. Tenho um conto bem maior de ficção científica ( já postado aqui e que gosto muito) intitulado EM VOLTA DA TERRA. Obrigado mais uma vez e um forte abraço.